terça-feira, 21 de novembro de 2017

Uvaia – Fruta com benefícios e muitas propriedades para saúde!

Conhecida como Uvaia, Uvalha ou Uvaieira, a planta  Eugenia pyriformis da família Myrtaceae ganha a cada dia mais fãs no mundo da alimentação saudável. Podendo ter entre 6 m a 13 m de altura, 30 cm a 50 cm de diâmetro e ocorrendo nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, essa planta além de ter uma forma bela e flores lindas, proporciona um fruto delicioso e super nutritivo.

Qual é a temporada da Uvaia?

Você pode até encontrar a Uvaia in natura fora de época, mas como os frutos da uvaieira amassam, oxidam e ressecam muito facilmente, é mais viável preferir a época da frutificação, que ocorre entre setembro e janeiro. Fora de época, melhor optar por produtos derivados da fruta, como sucos, compotas, geleias e outros.

Como é a Uvaia?

É uma fruta de polpa muito delicado, casca fina e com a cor amarelo/dourado; ligeiramente aveludada. Seu aroma tem um cheiro suave e agradável, com um sabor ligeiramente ácido e doce.

Quais são as vantagens da Uvaia?

Primeiramente, a Uvaia tem um alto benefício ecológico. Como é uma planta nativa da mata atlântica e pelo seu fruto saboroso até para os pássaros, a uvaieira é muito utilizada em projetos de reflorestamento em áreas degradadas, de preservação permanente e plantios mistos. Sua madeira não é comercialmente utilizada, sendo apenas usada por locais para utilidades domésticas (lenha, moirões etc).
O alto teor de vitamina C
Complementando a importância ecológica da Uvaia, a fruta tem aproximadamente quatro vezes mais vitamina C do que a laranja.
Vitamina A
Além do alto teor de vitamina C, a Uvaia contém uma considerável quantidade de vitamina A para contribuir às suas necessidades diárias deste nutriente.
Importância da uvaieira
Com frutos gostosos, a uvaeira é uma árvore nativa da mata atlântica que além de ajudar sua saúde, ajude na preservação da natureza. (Foto: www.vendio.com)

Benefícios e propriedades da Uvaia para a saúde

Quando usada por populares, a infusão/chá das folhas da Uvaeira é tida como responsável por controlar a hipertensão, diminuir o colesterol, auxiliar no emagrecimento, além de adstringente e digestivo. Porém, pesquisas científicas ainda são necessárias para comprovar a efetividade no tratamento destes problemas de saúde.
Quanto às vitaminas A e C, podemos afirmar que a Uvaia ajuda no combate aos radicais livres e o envelhecimento celular, ajudando na prevenção de doenças cardiovasculares, câncer e doenças derivadas do envelhecimento. São indicadas para apoio no tratamento ao HIV, tumores, malária, processos inflamatórios e redução no nível de ácido úrico. Novamente, mais pesquisas são necessárias, mas evidências demonstram que o consumo da Uvaia, graças às vitaminas nela presentes, trazem benefícios para sua saúde.

Como consumir a Uvaia?

Sucos, chás das folhas, sorvetes, geleias, licores. A uvaia, assim como a grande maioria das frutas, pode assumir várias formas. Vale só lembrar de tomar cuidado ao adoçar a Uvaia pois o excesso de calorias pode atrapalhar quem está em dieta.

Cuidados com o consumo da Uvaia

Circulam na internet artigos e notícias que destacam as propriedades quase que milagrosas da Uvaia. Gostaríamos de reforçar o que sempre dizemos em nosso blog: NÃO EXISTE ALIMENTO MILAGROSO! Qualquer alimento saudável tem que ser consumido com acompanhamento de um nutricionista e um profissional da saúde, que fará uma dieta balanceada de acordo com suas necessidades. Não adianta acrescentar a Uvaia na sua dieta e ter um estilo de vida completamente não saudável.

Considerações Finais

A uvaia, quando consumida em conjunto com uma mudança de atitudes, a prática de exercícios físicos e uma alimentação saudável, irá trazer a você um complemento de vitaminas importante para uma Saúde Melhor. Agora, se você espera que a fruta vá fazer milagres para você perder peso ou melhorar de uma hora para outra, é melhor ficar sentado esperando.

Você já consumiu a uvalha? Quais receitas tem para compartilhar conosco? Deixem nos comentários!

Fonte: https://www.saudemelhor.com/uvaia-fruta-beneficios-muitas-propriedades-saude/


segunda-feira, 20 de novembro de 2017

castanha portuguesa: benefícios para todo o organismo!

castanha_portuguesa_capa
Artigo de especialista – Veridiana Ueda Ferreira*
A castanha portuguesa é um fruto seco muito procurado no fim do ano, principalmente para as ceias de Natal e Ano Novo, inclusive pelo seu período de comercialização ser de outubro a janeiro.
Esse alimento apresenta diversas formas de consumo e comercialização, como castanha congelada, castanha torrada, castanha em conserva, castanha em calda, farinhas, aperitivos, entre outros.
Além disso, por não conter glúten, essa oleaginosa atende ao grupo dos portadores da doença celíaca, já que a farinha de castanha portuguesa é uma alternativa saudável em substituição ao trigo e outros farináceos que possuem glúten.

conheça as propriedades da castanha portuguesa

Ao analisar sua composição nutricional, conclui-se que a castanha portuguesa é um alimento saudável por ser uma boa fonte de nutrientes essenciais, fonte de energia, proteínas que apresentam bom perfil de aminoácidos, fibras, vitaminas, minerais e baixo conteúdo de gordura, mas é importante lembrar que o consumo deve ser moderado. Confira:

carboidratos

O carboidrato presente na castanha portuguesa é composto por dois tipos de amido, o amilose e o amilopectina. O primeiro é responsável por fornecer energia e o outro por efeitos positivos sobre as funções do intestino.

proteínas

São de de alto valor biológico por possuírem aminoácidos essencias, que são precursores da proteína, ou seja, são os responsáveis pela composição. É importante recordar que o aminoácido essencial não é produzido pelo organismo, por isso precisa ser obtido por meio da alimentação.

lipídeos

Trata-se de um alimento com baixo teor de gordura e, consequentemente, hipocalórico. Possui ácido graxo insaturado, com níveis significativos de monoinsaturado e polinsaturado.

fibra

A castanha portuguesa possui quantidades significativas de fibra, no organismo é responsável pelo aumento da viscosidade do conteúdo intestinal e redução do colesterol plasmático, eleva o volume do bolo fecal, reduz o tempo de trânsito no intestino grosso e torna a eliminação fecal mais fácil e rápida.

vitaminas

As vitaminas que podemos destacar é a E e a C, a primeira age no organismo como agente antioxidante, combate os radicais livres e o retardo no envelhecimento; a segunda é importante na defesa do organismo contra infecções e fundamental na integridade das paredes dos vasos sanguíneos.

minerais

As castanhas têm um conteúdo mineral importante, que desempenha funções essenciais no organismo humano, apresenta uma quantidade significativa de ferro, atua principalmente na síntese (fabricação) das células vermelhas do sangue e no transporte do oxigênio para todas as células do corpo.

então, porque consumir a castanha portuguesa?

Por proporcionar diversos benefícios à saúde, é interessante incluir o consumo da castanha portuguesa na alimentação, já que essa oleaginosa combate os radicais livres, retarda o envelhecimento precoce e ainda possui aminoácidos essenciais, lipídeos de boa qualidade e quantidades significativas de fibra e minerais, com destaque para o ferro.
*Veridiana Ueda Ferreira é formada em nutrição pela Universidade Paulista e pós-graduada em Vigilância Sanitária e Qualidade dos Alimentos pela Estácio de Sá


OS MUITOS BENEFICIOS DAS ÁRVORES! CONHECES?

BLOG-BENEFICIOS-DE-LOS-ARBOLES-640X547

Estes são apenas alguns dos benefícios de árvores. Eles são mais do que suficientes razões para encher a cidade com eles. Se cada um de nós teve mais uma árvore na cidade, que seria rico em oxigênio e teria um clima ideal. Ajude-nos a alcançar o nosso objectivo: um habitante, uma árvore!

Sequestrar o dióxido de carbono que contamina e dar-nos oxigénio para respirar.

Através da fotossíntese eles executam suas folhas, a árvore chama a CO2 da atmosfera eo converte em oxigênio puro, enriquecendo e limpeza do ar que respiramos. Estima-se que um hectare com árvores saudáveis, vigorosas produzem oxigênio suficiente para 40 pessoas na cidade. Uma floresta de um hectare consome em um ano todo o CO2 gerado pela cementação de um carro no mesmo período. Neste processo, as folhas também absorvem outros poluentes do ar, tais como o ozono, monóxido de carbono e dióxido de enxofre, e libertar oxigénio.

Ar-condicionado

O efeito sobre a atmosfera de uma árvore jovem, saudável é equivalente a máquinas de condicionamento de ar de dez acesas 20 horas por dia.

O investimento futuro

Plante uma árvore, no lado oeste da sua casa vai resultar em economia de energia de 3% ao longo dos próximos 5 anos e 12% nos próximos 15 anos, porque ele regula a temperatura exterior.

limpeza

Um grupo de árvores reduz a contaminação por partículas. Numa área urbana arborizadas, contaminação do solo é entre 27 e 42% mais baixo do que de uma forma não árvores.

abafar chuva

A coroa de uma árvore é flexível e é projetado para pegar chuva, fazendo com que ele deslize através das folhas, galhos e tronco para o chão. Al amortecido o impacto da chuva na árvore abate erosão e protege a superfície do solo.

árvores de sombra

A copa é projetado para capturar a luz solar e tons estendidas no chão, causando bem-estar em um dia ensolarado e protecção da vida selvagem, flora fundo e homem e sua propriedade, o efeito nocivo do impacto direto da raios solares.

regular o clima

florestas globalmente reduzir o aquecimento global e regular o clima da Terra. Nas cidades, a perda de árvores e levantando a evaporação do solo temperatura. A falta de árvores em várias partes da cidade permite zonas de calor são mais graves. As temperaturas em certas áreas da cidade na primavera e verão pode ser de até 3 ° C em média, superiores nos bosques ou parques da cidade; o equivalente a 200 m de altitude por grau centígrado.

Reduzir a velocidade do vento

É verdade que eles não parar um furacão, mas a sua presença permanece velocidade tempestades, dissipando sua força e melhorar o ambiente.

Remover partículas nocivas em suspensão no ar.

A copa das árvores é projetado para o ar passar através de suas folhas, prendendo poeira, cinzas, fumaça, esporos, pólen e outras impurezas transportadas pelo vento.

Reduzir a poluição sonora

Árvores e folhagem dobrar para baixo o ruído. almofadas de tecidos vegetais do impacto das ondas sonoras, reduzindo os níveis de ruído em ruas, parques e áreas industriais. Plantada no arranjo ou grupos de árvores dobrado ruído cortinas especial alinhados a partir de 6 a 10 decibéis.

gera biodiversidade

As árvores são as mais diversas comunidades da terra, porque eles proliferam sob sua proteção. Muitas espécies de árvores têm evoluído juntamente com insetos polinizadores e dispersores de aves, frutos e sementes e outros microrganismos do solo. Árvores oferecem diversos nichos da vida selvagem maior e menor, o que favorece a criação de novas espécies animais e vegetais, aumentando a biodiversidade do planeta.

Melhorar a qualidade de vida

Queremos ter árvores em torno de nós que tornam a nossa vida mais agradável. A maioria de nós responder à presença de árvores não só admirando sua beleza. Em um bosque que se sentir calmo, tranqüilo, descansado e relaxado; Nós nos sentimos em casa. Pacientes em hospitais mostraram cirurgia recuperar mais rapidamente de seus quartos quando as árvores são.

Dar valor acrescentado à sua propriedade

A casa com jardim sempre tem mais valor do que sem ele e as árvores e arbustos são o principal componente do jardim. Árvores e arbustos bem colocado ao redor da casa e gerenciá-las adequadamente, levantar valores de propriedade. Árvores plantadas em fileiras dar privacidade dobrado ruído externo das estradas e fornecer propriedade de segurança como quebra-ventos.

Economia de energia Árvore urbana

Árvores bem colocado ao redor da casa do filtro de ar quente e frio através de seus vidro, paredes sombreadas, pátios, telhados e janelas, reduzindo os custos de ar condicionado.

Absorvem a água da chuva e levar a água subterrânea.

Além disso para combater inundação através da absorção de água no solo, alimentando aquíferos subterrâneos.

As árvores fornecem sensação de bem-estar, embelezar a paisagem urbana e constituem um valor patrimonial para o município.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Cultivando a MORINGA OLEÍFERA


A Moringa Oleífera (Moringaceae), planta originária da Índia é considerada por botânicos e biólogos, um milagre da natureza. Uma esperança para o combate da fome no mundo. Rica em vitaminas e sais minerais, ela tem, segundo os estudos mais recentes:

a) Sete vezes mais vitamina C que a laranja;
b) Quatro vezes mais cálcio que o leite;
c) Duas vezes a proteína do Yogurte;
d) Quatro vezes mais vitamina A que a cenoura;
e) Três vezes mais potássio que a banana;
f) 27% de proteína, equivalente à carne do boi;
g) Mais ferro que o espinafre;
h) Vitaminas presentes: A, B (tiamina, riboflavina, niacina), C, E, e beta caroteno.
i) Minerais presentes: Cromo, Cobre, Fósforo, Ferro, Magnésio, Manganës, Potássio, Selênio e Zinco.
Obs.: As folhinhas da Moringa oleífera não são recomendadas sem autorização e acompanhamento médico para quem tem problemas na tireoide ou qualquer outro causado pela ingestão de iodo. Veja no link a seguir uma tese noticiada pela FAPESP sobre o excesso de iodo na gestação e lactação. http://agencia.fapesp.br/18191
UTILIZAÇÕES POSSÍVEIS DA PLANTA

SEMENTES - De sua semente se extrai um óleo similar em qualidade ao azeite de oliva. Por ser a única planta conhecida que floresce todo o ano, é, também, considerada melífera, própria para a criação de abelhas. Seu mel é considerado medicinal e alcança elevado valor no mercado europeu. Pela produção intensiva de flores e sementes, estudos recentes recomendam seu plantio para extração de biodiesel de suas sementes.

As sementes verdes podem ser cozidas, como feijão vagem, quiabo, soja, etc., e servidas na forma de salada.

FOLHAS - Suas folhas e flores são comestíveis, para humanos e animais. Podem, também, ser utilizadas em chás para uso continuo.

FLORES - Das flores se faz um prato apreciado na Indonésia e Timor Leste, chamado makansufa, As flores são fritas em óleo de coco, e imersas em leite de coco, sendo comidas com arroz ou milho. As folhas e flores podem, também, ser consumidas em vitaminas ou sucos com outros legumes, como beterraba, cenoura, ou frutas como a laranja, maçã, melão, mamão, caju, abacaxi. etc. Também, podem ser utilizadas em chás para uso continuo.

As flores também poderão ser utilizada em um chá medicinal, recomendado para resfriados, de uso popular em vários países. O suco das flores ou folhas, pode compor caldos ou molhos, na sua forma natural para preservar vitaminas e sais minerais. É excelente no tratamento para redução de peso, e por ser rica em nutrientes, facilita uma reeducação alimentar sem agressão ao corpo e ao metabolismo.

As suas flores são muito utilizadas para alimentação de abelhas tipo Europa (Apis) ou as nativas sem ferrão. Produzem muito néctar para a alimentação das abelhas, florescendo o ano todo. De suas folhas, flores ou sementes, se pode extrair um produto, utilizado como decantador no tratamento de água para consumo humano, similar aos produtos aos químicos utilizados pelas companhias de tratamento de água. As folhas maceradas em poças de água barrenta provocam rápida limpeza. Se não estiver contaminada, fica própria para o consumo. No Nordeste brasileiro esta planta já está sendo utilizada para este fim.

VAGENS - As vagens novas podem ser cozidas, iguala aspargos ou vagens de feijão. E bastante utilizada desta forma no Haiti.

CASCAS - De suas cascas se faz artesanato, pois são muito maleáveis e próprias para moldar e fazer cestos, trançados, etc. Pode ser processada para extrair uma fibra, para produzir tapetes. Sua seiva tem gosto adocicado.

BATATAS - Pode-se plantá-la em canteiros, como uma hortaliça, e quando a planta atinge cerca de 30 centímetros, arranca-se o pé e se extrai uma batata para consumo alimentar. Tem gosto de rábano, próximo do rabanete, A seiva e a batata, tem todas as vitaminas da plantas em concentração. Essa batata pode ser comida em saladas ou refogados. Ou mesmo em sucos de frutas ou legumes. Após esse período de 30 dias a batata desaparece e transforma-se na raiz da planta.

ORNAMENTAL - Em muitos países se planta a Moringa como ornamental pois ela produz flores o ano inteiro, sendo a única planta conhecida com essa capacidade.

CELULOSE - Sua madeira é mole, mas é excelente para produzir celulose para fabricação de papel.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

ADUBAÇÃO VERDE - Consórcio Leguminosas x Banana



Neste vídeo são apresentadas informações de um dos projetos de pesquisa desenvolvidos na Fazendinha Agroecológica de Palmas, da Fundação Universidade do Tocantins - UNITINS, em Palmas/TO.
- Projeto desenvolvido com apoio financeiro do Programa Primeiros Projetos - PPP CNPq/SEDECTI-TO.
- Adubação verde em consórcio com bananeira (var. Thap Maeo): Calopogônio e Feijão de Porco.
- Pesquisador: Dr. Arison José Pereira
- Maio/2013

domingo, 12 de novembro de 2017

Black Maca, Mashua, and the Richness of Andean Tubers! A riqueza das batatas andinas!


FONTE:https://permaculturenews.org/2017/11/09/black-maca-mashua-richness-andean-tubers


For thousands of years, the ancient Incan empire developed a strong, resilient agriculture system that thrived even in the tough climate of the highlands of the Andes Mountains. One of the principles of their agricultural development was the diversification of different species that were well adapted to the local climatic conditions. In fact, the Food and Agriculture Organization of the UN considers the Andes region to be one of the centers in the world for food diversity.
Tubers made up an essential part of the Incan diet, with well over 3,000 types of different tubers cultivated throughout their territory. One of the most commonly cultivated and eaten of these tubers was the maca root which wasn´t discovered by westerners until the mid-1800´s. While the medicinal and nutritional properties of the maca root were well known by people throughout the Andes region for thousands of years, only recently have people in industrialized societ8ies begun to discover the true benefits of this magical plant.
Similarly, mashua is another of the most commonly cultivated tubers in the Andes. This long, white, carrot-like root is a relative of the edible flower nasturtium. The quick vegetative growth above ground mimics the rapid growth of these peppery-flavored tubers that are both healthy and delicious.
Both maca and mashua can be easily grown in several different climate zones and offer several health-related benefits.

What is Black Maca?

Black Maca is known as Lepidium meyenii in Latin. It is a tuber that was originally grown in the highlands of the Andes Mountain in Peru, principally near the Lake Junin region. While this crop was only adapted to the cooler mountainous regions, it was traded extensively throughout the ancient Incan Empire with the highlands indigenous peoples trading black maca root for other lowland stale crops such as corn and quinoa.
For thousands of generations, then, the Andean peoples have known of the numerous health benefits associated with the black maca plant. Similar in size to a large radish or small turnip, this root vegetable also loosely resembles a type of white carrot. The small green leaves never grow more than 20 cm of the ground, making this a unique plant in that the majority of the growth occurs underground.
The actual roots of the maca plant, which are the edible part of the plant, vary in size and shape and can be spherical, rectangular and even triangular. Furthermore, the color of the root can range from a gold or cream color to darker hues of reds, purples, and blacks. Black maca is by far the most common and the most recognized by the outside world for its health benefits.
Photo Credit: cdn1.bigcommerce.com

What is Mashua?

Mashua, or Tropaeolum tuberosum in Latin, is a perennial tuber that grows throughout the year in places without severe frosts. The abundant tubers have a rich, peppery flavor and can be cooked several different ways. Furthermore, this tuber is known as a natural repellant and can be combined with other crops to deter insects, nematodes, and others. The vegetative growth above ground offers unique climbing vines and beautiful flowers that are often grown for ornamental purposes.
While mashua roots are most often white in color, you can also find Mashua roots that are yellow, red, and other colors.

Health Benefits of Black Maca and Mashua

Black Maca is high in Protein and Essential Vitamins
While many people take black maca as a supplement for its health properties that we will explore below, it is actually one of the most overall nutritious foods on the market. One ounce of black maca will give you over 130% of your vitamin C, 4 grams of protein, and 85% of your daily copper intake. It is also a good source of other essential vitamins and minerals such as iron, potassium, and manganese.
Black Maca is a Libido Enhancer
Daily consumption of black maca has also been proven to boost sexual desire in both men and women. The enhanced fertility that supposedly comes with consuming black maca is most likely due to the increased libido that comes with this unique plant. One recent study confirmed that black maca root does improve the sex drive in healthy, middle-aged men.
Black Maca Increases Endurance
Many professional athletes, bodybuilders, and weightlifters have recently begun taking black maca supplements because of the increased endurance that it offers during extreme physical activity. Swimmers especially have found that regular consumption of black maca allows them to go longer and farther during training.
Black Maca Reduces Prostate Size
The prostate gland causes all sorts of problems in aging men. From difficulty with urinating to prostate cancer, many men fear the problems that come with aging. Regular consumption of black maca might very well help to reduce the size of the prostate gland in men. Since larger prostate glands can cause problems passing urine and potentially lead to cancer, black maca consumption is encouraged in aging men, not to mention that it can also help induce sexual desire.
Mashua has Diuretic Properties
If you are looking for a quality natural diuretic to add to your diet, mashua is known to help get rid of excess fluids in the body. While most natural diuretics are taken as a tea, this one can be eaten.
Mashua is a Natural Lice Killer
Everyone deals with lice at some time during their life. Instead of buying chemical-laden shampoos to kill off the lice running around your head, the peppery flavor of mashua is known to kill and repel lice. You can make a simple powder from dried mashua root to apply to your hair or boil the mashua root to make an extract that you then use to wash your hair.
Both mashua and maca roots are unique tubers that offer several advantages both to the ecological resiliency of your piece of land and to your overall health and wellbeing.

sábado, 11 de novembro de 2017

ALIMENTE-SE COM SABEDORIA! Como manter a vitalidade, buscar longevidade e manter-se distante de doenças?


RADICAIS LIVRES E ANTIOXIDANTES

* De um lado da imagem você tem os efeitos positivos de radicais, do outro, o aposto.

Como manter a vitalidade, buscar longevidade
e manter-se distante de doenças?
Já tens pensado como você deseja estar daqui alguns anos?
Os radicais de oxigênio (radicais livres) e o superóxido são produzidos de forma continua e possuem um papel importante nas reações que ocorrem no organismo, em níveis adequados são essenciais, como por exemplo, na produção de prostaglandinas, combatendo vírus e bactérias, agem na coagulação sanguínea, cicatrização... No entanto, em quantidades excessivas são responsável aos processos patológicos, podendo destruir membranas celulares, como o DNA. O stress oxidativo e a inflamação são fatores de risco às doenças degenerativas crônicas crescentes na população como o diabetes, doenças cardíacas, câncer, além do envelhecimento precoce.

Não só pelo processo digestivo, mas ao respirar utilizamos o oxigênio como combustível às células para produzir energia sob a forma de ATP. Entretanto, neste processo contínuo, por meio de reações químicas, moléculas ficam livres, podemos dizer assim que, "resíduos" são formados.

O organismo em situação normal produz condições específicas para proteção contra danos às células causadas por radicais livres, captam e neutralizam seu excesso. Estes antioxidantes, não são todos produzidos pelo nosso organismo, fato que devemos consumir nutrientes.

Para você ter uma ideia, antioxidantes endógenos produzidos pelo nosso organismo são as enzimas SOD, catalase e glutationa peroxidase, os antioxidantes exógenos, devem ser fornecidos através da alimentação entre eles alguns exemplos estão as vitaminas A, C, E, betacaroteno e outros carotenóides, polifenóis, selênio, zinco, cobre, manganês, biotina, coenzima Q10, ácido alfalipóico.
Sedentarismo, fumo, estresse emocional, obesidade, inflamação crônica... já sabemos que o estilo de vida que você escolhe correspondem por mais de 70% de sua longevidade! As repercussões destes processos será distintas de pessoa para pessoa, cada indivíduo irá envelhecer de forma e velocidade diferente. 

A forma mais simples e eficaz para alcançar uma boa saúde e longevidade é o foco sobre a nutrição diária. A melhor maneira de repor as necessidades do organismo com antioxidantes está em realizar uma alimentação variada.
 
Os compostos naturais chamados polifenóis encontrados em frutas, legumes, possuem efeitos antioxidantes e antiinflamatórios que podem proteger contra o declínio associado à idade. Pergunto à você, como está sua alimentação?


Sedentarismo, fumo, estresse emocional, obesidade, inflamação crônica... já sabemos que o estilo de vida que você escolhe correspondem por mais de 70% de sua longevidade! As repercussões destes processos será distintas de pessoa para pessoa, cada indivíduo irá envelhecer de forma e velocidade diferente.

Radicais livres
Os radicais de oxigênio (radicais livres) e o superóxido são produzidos de forma continua e possuem um papel importante nas reações que ocorrem no organismo, em níveis adequados são essenciais, como por exemplo, na produção de prostaglandinas, combatendo vírus e bactérias, agem na coagulação sanguínea, cicatrização... No entanto, em quantidades excessivas são responsável aos processos patológicos, podendo destruir membranas celulares, como o DNA. O stress oxidativo e a inflamação são fatores de risco às doenças degenerativas crônicas crescentes na população como o diabetes, doenças cardíacas, câncer, além do envelhecimento precoce.

Não só pelo processo digestivo, mas ao respirar utilizamos o oxigênio como combustível às células para produzir energia sob a forma de ATP. Entretanto, neste processo contínuo, por meio de reações químicas, moléculas ficam livres, podemos dizer assim que, "resíduos" são formados.

Quando as células do corpo usam o oxigênio, eles produzem naturalmente os radicais livres (subprodutos), que podem causar danos. O organismo em situação normal produz condições específicas para proteção contra danos às células causadas por radicais livres, captam e neutralizam seu excesso. Estes antioxidantes, não são todos produzidos pelo nosso organismo, fato que devemos consumir nutrientes.
Os antioxidantes atuam como "varredores de radicais livres" e, portanto, podem prevenir e reparar danos causados ​​por esses radicais livres. Os problemas de saúde, como doença cardíaca, degeneração macular, diabetes, câncer são todos causados por danos oxidativos. Os antioxidantes podem também aumentar a defesa imunológica e, portanto, menor o risco de câncer e infecções.

Para você ter uma ideia, antioxidantes endógenos produzidos pelo nosso organismo são as enzimas SOD, catalase e glutationa peroxidase, os antioxidantes exógenos, devem ser fornecidos através da alimentação entre eles alguns exemplos estão as vitaminas A, C, E, betacaroteno e outros carotenóides, polifenóis, selênio, zinco, cobre, manganês, biotina, coenzima Q10, ácido alfalipóico.

A presença de radicais livres pode resultar em câncer, acidente vascular cerebral, problemas cardíacos, envelhecimento precoce, e muitas outras doenças degenerativas. Células não funcionam corretamente quando os radicais livres as afetam.

Como os radicais ocorrem em nosso metabolismo naturalmente, mas também são formados por influências ambientais, como poluição, fumaça do cigarro dos outros, radiação e agrotóxicos; os ANTIOXIDANTES são nutrientes poderosos que prevenir, reduzir, atrasar ou reparar os danos oxidativos às células do nosso corpo causados ​​pelos radicais livres.

Por enfatiza-se a NUTRIÇÃO DIÁRIA? A forma mais simples e eficaz para alcançar uma boa saúde e longevidade é o foco sobre ela, já que é a melhor maneira de repor as "ferramentas" ao pleno funcionamento do organismo.



Existem certos alimentos que contêm uma quantidade excepcionalmente grande em antioxidantes. Aqui estão cinco dos alimentos antioxidantes:

A maioria dos antioxidantes comumente conhecidos
■ Vitamina A e carotenóides, encontrada em alimentos como cenoura, abóbora, brócolis, batata doce, tomate, couve, melão, pêssegos e damascos
■ Vitamina C
As frutas cítricas como laranja e limão, etc, pimentão verde, brócolis, vegetais de folhas verdes, morangos e tomates
■ Vitamina E
Nozes e sementes, grãos integrais, vegetais verdes folhosos, óleos vegetais e óleo de fígado
■ Selênio
Peixes e crustáceos, carne vermelha, cereais, ovos, frango e alho

Outros antioxidantes:
Alguns fitoquímicos:
■ Flavonóides / polifenóis: Soja, vinho tinto, uvas, romã, cranberries, chá
■ Licopeno: Tomate e seus produtos, caqui, melancia
■ Luteína: Vegetais verde-escuros, como couve, brócolis, kiwi, broto de bruxelas e espinafre
■ Lignanas: Semente de linho, aveia, cevada, centeio

Mais antioxidantes:
■ Coenzima Q10 ( CoQ10 )
■ Glutationa

As enzimas endógenas antioxidantes:
■ Superóxido dismutase (SOD)
■ Catalase
■ Glutationa peroxidase

 


Já que os antioxidantes são encontrados em abundância no feijão, grãos, frutas e legumes, procure variar sua dieta, inclua frutos com cores brilhantes - luteína em alguns dos pigmentos amarelos encontrados no milho, laranja melão, abóbora e manga; vermelha do licopeno de tomate e melancia... É melhor obter esses antioxidantes dos alimentos, em vez de suplementos.

Por Greice Caroline Baggio - NUTRIÇÃO CLÍNICA. Atualizado em 06/11/2011.

fonte http://alimentesecomsabedoria.blogspot.com.br/p/radicais-livres-e-antioxidantes.html

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Amendoim forrageiro ou Grama amendoim é ideal para ser cultivada em taludes e terrenos muito acidentados.

Grama amendoim, amendoim rasteiro, amendoinzinho e amendoim-forrageiro, conhecido por diversos nomes diferentes esta espécie leguminosa trata-se de uma planta rasteiras que apresente folhas na cor verde escuras em formato oval que nascem em pares com pequenas flores amarelas, que nascem durante toda a primavera e verão.



A espécie apresenta raízes entrelaçadas e profundas, que atingem de 10 á 30 cm de cumprimento; O que auxilia no combate da erosão e cria no terreno uma resistência contra deslizamentos. Essa característica torna a grama amendoim ideal para ser cultivada em taludes e terrenos muito acidentados.
Com raiz muito comprida a grama amendoim busca nutrientes e água no fundo do solo e com isto, tolera períodos extensos sem irrigação.
O sistema radicular da planta produz seu próprio nitrogênio, nutriente essencial para a formação das folhas. Assim só é necessário adubar a planta se quiser estimular a floração.
Com um desenvolvimento e rebrote muito rápidos a grama amendoim desempenha muito bem o papel de proteção contra ervas daninhas, com uma altura média de 30 cm, dispensa podas periódicas e assim reduz gastos com manutenção. Sua densa folhagem garante que o solo receba pouca ou nenhuma luz solar, impedindo que as ervas daninhas cresçam; Embora rústica em alguns aspectos apresenta resistência a geada, cultivo em sombra e pisoteio.
A grama amendoim se desenvolve muito bem em solos ácidos e com média ou pouca fertilidade e é utilizada para fazer correção de acidez do solo e na recuperação de solos muito degradados.
Ambiente ideal para o cultivo da grama amendoim:
  • A grama amendoim é muito utilizada em plantações de hortaliças e pomares devido aos grandes benefícios que ela traz ao solo e as plantas, onde ajuda reter umidade e fixar o nitrogênio no solo e realiza a adubação natural do solo, além de fazer a correção do pH da terra. Sendo considerada um adubo vivo ou adubo verde.
  • Na pastagem para gado, pois possui alto valor nutritivo.
  • Cultivo em gramado, pois é uma espécie bastante ornamental, introduzida na forma de forração, se adapta bem ao clima de todas as regiões do Brasil.

Dicas para o cultivo saudável da grama amendoim:

  • Cultive sob sol pleno ou meia sombra, porém a grama amendoim é uma planta que tolera bem o frio.
  • Regue a planta a cada 15 dias, pois a planta apresenta grande resistência a falta d’água.
  • A planta pode ser cultivada em solo pobre e ácidos.
  • Realize mudas através de divisão de ramagens.
  • Faça a poda de contenção da planta se houver necessidade, entre os meses de maio até agosto.
  • Adube com fertilizante rico em fósforo. Se desejar estimular a floração da planta.
Planta rasteiras que apresente folhas na cor verde escuras em formato oval que nascem em pares.

Grama amendoim é ideal para ser cultivada em taludes e terrenos muito acidentados.

FONTE: http://terracotajardinagem.com.br/?p=7712


quinta-feira, 9 de novembro de 2017

APRENDA A ADUBAR A JABUTICABEIRA





Neste vídeo, Aline Cury do www.jabuticabeira.com.br,

nos ensina a fazer a adubação correta da jabuticabeira.

A produtora mostra como escolher o melhor tipo de

adubo para árvores frutíferas e dá dicas muito úteis

de como aplicá-lo.

Sistema Francês - Horta em apartamento é possível! Veja como....


Agora não tem mais desculpa para quem quer cultivar plantas em seu apartamento.

A dupla francesa Nicolas Barreau e Jules Charbonnet criou o sistema Volet Vegetal, onde a horta fica do lado de fora da janela. E quando anoitecer, basta recolher a estrutura e fechar a janela.
O projeto de Barreau e Charbonnet foi finalista de um concurso de design na França, e agora buscam recursos para produzir esse sistema em grande escala.






terça-feira, 7 de novembro de 2017

Casca de ovo é adubo?

Fonte: https://www.greenme.com.br/morar/horta-e-jardim/4331-adubo-casca-de-ovo-2-receitas

Como fazer adubo de casca de ovo - 2 receitas fáceis

casca de ovo
Casca de ovo nós sabemos que são riquíssimas em cálcio, potássio e magnésio, e que é muito bom misturá-las ao composto, à terra dos vasos e da horta. Mas, tem receita que ajuda esses minerais a estarem mais disponíveis para as plantas, bem mais do que estão quando se usa a casca de ovo pura.
Claro que você pode colocar as cascas dos ovos que vai usando, quebradas na mão, diretamente nos seus vasos, ou na composteira mas, os minerais demorarão muito tempo para chegar até a planta.
ovo composto
Para melhorar a disponibilidade destes nutrientes, você deverá moer as cascas até fazer uma farinha fina (1ª receita), ou se aproveitar das reações químicas que os tornam mais disponíveis para as plantas, como mostro na segunda receita:

1° Receita - farinha de casca de ovo

Um dos jeitos é você juntar as cascas de ovos, secar à sombra (para não perder o nitrogênio que contêm), moer tudo no liquidificador até obter uma farinha fininha. Só faça a moagem quando as cascas estiverem bem secas. Junte tudo em um pote de vidro, com tampa e guarde em local fresco.
Serve para fertilizar canteiros, hortas, vasos, árvores. A maioria das plantas agradecerão esse adubo de casca de ovo moída. Use uma colher de sopa por canteiro, ou uma colherinha de café, por vaso. O ideal é não ultrapassar os 50 gramos de pó de casca de ovo por cada metro linear de solo, nas hortas e pomares. Espalhe sobre a terra. Faça essa adubação a cada 40 dias. Se preferir aplicar com maior frequência, divida a dose.
Você também deverá acrescentar casca de ovo, 50 gramos a cada 20 litros de terra, quando for preparar o substrato para fazer novos vasos e canteiros. Algumas plantas não gostam da alcalinização que a casca de ovo em pó vai operar no solo - evite usar em azaleias, prímulas, gardênias, plantas carnívoras, entre outras. Leia mais aqui e veja o video abaixo:

2° Receita - solução de cálcio com casca de ovo

Uma das melhores maneiras para se disponibilizar o cálcio das cascas de ovo para uso direto das plantas é fazendo uma Solução de Cálcio, pela reação química das cascas com o vinagre. Ao juntar cascas secas de ovo com vinagre “teremos uma reação química que irá liberar dióxido de carbono (CO2), restando um sal de Solução de Cálcio em água (H2O), o acetato de cálcio (Ca(C2H3O2)2). Este sal de cálcio liberado pela reação química é mais biodisponível do que em sua forma anterior (CaCO3), o que o torna de alto valor biológico, de fácil e rápida absorção pelas plantas”, como explica o blog MungoVerde.
Para esta preparação você vai precisar de cascas de ovos secas ao sol (vai perder o nitrogênio mas ganhar em rapidez), sem as películas internas, vinagre (de maçã, arroz ou vinho) e um pote de vidro com tampa.
Modo de fazer: seque as cascas ao sol durante 3 dias, remova as membranas e quebre as cascas, com pilão ou com as mãos, em pedaços pequenos. Coloque as cascas em uma panela e leve ao fogo baixo (15 a 20 minutos), mexendo sempre, para consumir qualquer resíduo orgânico que ainda esteja no material. Deixe as cascas esfriarem.
No vidro, coloque as cascas e junte o vinagre na proporção de 1:3, em volume (quer dizer, para 50 ml de cascas piladas junte 150 ml de vinagre). Se usar vinagre de vinho dilua-o com 50% de água.
Tampe o vidro com um pano, ou deixe a tampa frouxa, para que a mistura possa respirar e expelir os gases que se formarão. Guarde o vidro em local fresco, com luz indireta. Todo o processo de fabricação da Solução de Cálcio demorará uns 15 dias - estará terminado quando o líquido não soltar mais bolhas mas, se você acrescentar mais vinagre, a reação ainda continuará por um bom tempo então, quando estiver pronta a primeira reação, retire a solução e guarde-a em uma garrafa, para uso, e volte a acrescentar vinagre às cascas que restaram.
Este adubo deverá ser usado diluído em água, de 30 em 30 dias, como água de rega para as plantas que estão na fase reprodutiva ou que apresentam carência de cálcio.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Pesquisadores criam sistema integrado de tecnologias sociais para rejeitos de dessalinizadores

Fonte: http://nossaciencia.com.br/noticias/pesquisadores-criam-sistema-integrado-de-tecnologias-sociais-para-rejeitos-de-dessalinizadores/
Professor Nildo Dias, no centro da foto, com os participantes do projeto.
 
Projeto desenvolvido na Ufersa está beneficiando famílias de Assentamentos e Comunidades rurais. A ideia foi selecionada para prêmio da Agência Nacional de Águas

As estações de tratamentos de águas salobras de poços instaladas em Comunidades e Assentamentos rurais vêm sendo utilizadas por dezenas de famílias que sofrem com a escassez hídrica. Mas, qual o destino adequado para os rejeitos salinos desses dessalinizadores que podem poluir rios e solos, causando grande impacto ambiental? Aproveitar o rejeito para irrigar hortas comunitárias, na produção de tilápias e na engorda de rebanhos caprinos e ovinos foram as respostas sustentáveis dos pesquisadores do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Semiárido (Ufersa).
Iniciado em 2009, o projeto de pesquisa da Ufersa “Produção Agrícola Familiar Utilizando Rejeito da Dessalinização”, coordenado pelo professor Nildo Dias, começou observando os impactos da deposição do rejeito no solo em uma visita de campo à Comunidade de Bom Jesus, Campo Grande, RN. “Decidimos, inicialmente, aproveitar o rejeito salino em um projeto de hortas comunitárias e, como este suporte hídrico era bastante salino, desenvolvemos algumas estratégias de manejo para irrigar as hortaliças, sendo a escolhas de espécies tolerantes aos sais e a irrigação superficial, as principais práticas”, lembra o professor.
Depois dessa primeira ação, os pesquisadores resolveram testar o uso do rejeito salino para a produção de tilápias em viveiro de criação devido a elevada tolerância da espécie à salinidade da água; porém esta deveria estar integrada a outras ações em um sistema de produção capaz de eliminar os riscos de impactos ambientais negativos e que, também, contribuíssem para a segurança alimentar das localidades beneficiadas.

Premiação
Ao todo, seis projetos de todo o país foram selecionados para a final do Prêmio da Agência Nacional de Águas – ANA 2017. O projeto que foi selecionado para a final na categoria Pesquisa e Inovação Científica. Com a classificação, o projeto da Ufersa agora receberá uma visita técnica da comissão avaliadora da Agência. Após essas visitas, serão divulgados o resultado e a classificação final. A visita está agendada para a segunda semana de outubro e a premiação para os vencedores será no dia 06 de dezembro.
O professor Nildo comemora estar entre os finalistas do prêmio. “Isso é muito gratificante porque representa o reconhecimento de um trabalho, iniciado em 2009, em prol do fortalecimento da agricultura familiar. Estamos convictos de que Ufersa pode e deve apontar soluções e caminhos para assegurar água e promover o desenvolvimento e a qualidade de vida dos povos do campo”.
 

Sistema de produção
O professor Nildo Dias explica que o sistema é composto por um conjunto de ações, que inclui o tratamento e dessalinização da água dos poços produzindo água potável para as famílias e também a água residuária (rejeito salmoura ou concentrado). O efluente do dessalinizador é bombeado para tanques de piscicultura para a criação de tilápia, fonte de proteínas para a comunidade. Posteriormente, o efluente dessa criação, enriquecido em matéria orgânica, é aproveitado na produção vegetal (horta comunitária orgânica, irrigação de mudas de essências florestais para revegetação e irrigação de espécies forrageiras. “Por último temos a forragem, com teor de proteína entre 14 e 18%, ela é utilizada para a engorda de caprinos e/ou ovinos que, juntamente como a produção de tilápia e hortaliças garante a segurança alimentas e nutricional das famílias e, ainda a o aumento da renda com a venda do excedente, fechando assim o sistema de produção ambientalmente sustentável”, comemora Dias.
De acordo com o pesquisador, durante o processo de dessalinização, 60% da água tornam-se potável e os outros 40% são rejeitos salinos, que quando não são descartados da forma correta, possuem um elevado potencial de poluição dos rios e solos. A água de rejeito tem potencial para contaminar mananciais, solos e, em casos extremos a fauna e a flora da região, resultando na desertificação da área devido a salinização dos solos.
“Quando, por exemplo, os sais presentes no rejeito da dessalinização tem acumulação excessivamente nos solos, este pode ter vários efeitos negativos sobre as plantas como seca fisiológica (a presença de sais solúveis no solo dificulta a absorção da água no solo) e toxicidade das folhas pelo acúmulo excessivo de sais, reduzindo o seu crescimento e a produção das plantas”, explica Nildo Dias.
Resultados alcançados
O coordenador do projeto conta que as ações da pesquisa apresentaram possibilidades técnicas do uso ‘nobre’ do rejeito salino e apontam a viabilidade desse processo para a produção agrícola familiar, com vista à geração de renda em comunidades rurais. Além disso, essas ações colaboraram significativamente com a gestão participativa das águas residuárias e com a potencialização da geração de renda e de alimentos, por meio da inovação e da diversidade de atividades que poderão ser desenvolvidas pelas famílias, também contribuindo para a conservação ambiental de dois importantes recursos naturais: o solo e a água.
“O rejeito salino tem restrições de uso para fins de irrigação quando manejado inadequadamente e, a sua deposição direta nos solos provoca a salinização das áreas das comunidades. O subsistema criação de peixes utilizando rejeito salino como suporte hídrico ocupa a segunda menor área entre as atividades desenvolvidas na comunidade e o mais eficiente dos subsistemas no que se refere à produtividade. A produção de mudas de essência da caatinga e a produção de hortaliças orgânicas utilizando o rejeito salino são viáveis para o fortalecimento da agricultura familiar com maior segurança ambiental. A erva sal extraiu do solo 971,21 kg de sais por ha-1 ano-1, comprovando o seu poder de fitoremediação dos ambientes salinos”, detalha.
Tecnologia social
Mesmo com os resultados promissores alcançados, o professor Dias conta que no início foi bastante difícil a interação com a comunidade, pois eles não acreditavam muito que a água de rejeito salino pudesse ser utilizada na irrigação e produzir satisfatoriamente. “Muitos diziam: “nem os cavalos bebem essa água”. Mas com o tempo, eles passaram a acreditar e a se envolver mais com o projeto quando os resultados foram surgindo”, relembra.
Ainda segundo ele, hoje é mais fácil envolver as famílias na comunidade, pois inicialmente os pesquisadores fazem um trabalho de sensibilização e mobilização utilizando os resultados da experiência do projeto piloto. “Além disso, realizamos algumas capacitações sobre temas relacionados com o projeto como, por exemplo, produção de mudas, hortas orgânicas e criação de peixes em viveiros utilizando rejeito como suporte hídrico. Para garantir o envolvimento da comunidade e a socialização da tecnologia do nosso projeto utilizamos a metodologia da pesquisa participativa, ou seja, todas as atividades do projeto são dialogadas com as famílias em uma construção conjunta de instrumentos que potencializariam o planejamento das ações e sua execução”, diz.
A equipe do professor Dias é formada por estudantes de graduação e pós-graduação. No projeto já foram desenvolvidos vários Trabalhos de Conclusão de Curso, Dissertações e Teses de Doutorado. Também participam discentes do curso de Engenharia de Pesca, Agronomia, Ciências e Tecnologia e Engenharia Agrícola da Ufersa. “Nós levamos a nossa experiência cientifica para as famílias, mas, também, aprendemos muito com a comunidade e os agricultores(as). Na verdade é uma troca de experiência e de saberes científico e empírico”.
 Planos para o futuro
Em janeiro de 2014, a equipe conseguiu um financiamento do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade – IABS e com isso foi possível replicar essa experiência em mais duas comunidades rurais de Mossoró, no RN (Santa Elza e Serra Mossoró) que, também possuem estações de dessalinização. “Hoje não temos financiamento, submetemos uma proposta para o edital da Fundação Nacional de Saúde (FUNASA) e estamos esperando o resultado. Ainda temos muitas pesquisas para realizar”, pondera.
De acordo com Nildo Dias, não há dúvidas que o emprego desta tecnologia acaba por amenizar as precárias condições do abastecimento hídrico nas localidades nordestinas contempladas pelos programas governamentais neste âmbito. “Precisamos otimizar e priorizar questões relativa à qualidade alimentar e nutricional da comunidade e, estamos buscando parceria com profissionais da área de saúde pública para que possamos despertar o interesse das pessoas em ter bons hábitos alimentares e, também evitarem o desperdício de alimento e, se possível, aproveitá-lo antes de serem descartados”, planeja.
A próxima etapa do projeto prevê a redução de custos na criação de tilápias, estudando métodos alternativos para reduzir os gastos com a ração industrializada, que é a maior dificuldade relatada pelos agricultores. “Então, se conseguirmos desenvolver uma ração caseira para alimentar os peixes, os custos serão reduzidos, o agricultor não fica dependente da indústria, ganha autonomia e a tecnologia social torna-se mais acessível”, planeja.

Edna Ferreira

Record News Rural - Cultivo de Ora-pro-nóbis



Tire suas dúvidas sobre o cultivo de Ora-pro-nóbis.Um biólogo explica em quais

solos a planta pode ser cultivada e o dono de um viveiro dá dicas de plantio para

quem quer cultivar a planta em casa.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

As mosquinhas da composteira estão te incomodando? Saiba como eliminá-las de modos naturais

Dicas para quem deseja se livrar das moscas drosófilas em composteiras


Se você utiliza uma composteira em sua casa, é possível que algumas mosquinhas estejam te incomodando devido a desregulações do sistema. A Drosophila melanogaster, também conhecida como mosca-do-vinagre, mosca-da-banana ou mosca-de-frutas, alimenta-se das leveduras em frutos já caídos (veja mai aqui). Estas leveduras geralmente são encontradas em materiais em inicio de decomposição. Sendo assim, as mosquinhas de frutas podem aparecer na sua composteira durante o processo de transformação do material orgânico.
Como resolver este problema? Aqui vão algumas dicas para você deter facilmente essas mosquinhas inconvenientes:

1. Detectar se a umidade está elevada na sua composteira
A umidade deve ser um processo regulado para evitar problemas na sua composteira. Um teste simples para saber se a umidade está alta é apertar a mistura para verificar se há gotejamento de líquido. Se isso ocorrer, coloque mais material seco (folhas secas ou serragem) e revolva a mistura - o conteúdo deixará de ficar tão úmido.

2. Perceber se há mau cheiro na sua composteira
Quando isto ocorre, é sinal de que há um desequilíbrio no sistema. O mau cheiro e a fermentação são grandes aliados para a atração das moscas. O odor é causado quando o lixo orgânico úmido (em grandes quantidades) excede a capacidade de absorção do sistema, gerando gás metano. Em outras palavras, ele se dá quando ocorre a fermentação (entenda melhor).

3. Usar repelentes naturais e armadilhas
Também pode haver proliferação das moscas através da eclosão dos ovos já depositados nos frutos que estão sendo compostados. Nesse caso, percebendo presença das moscas-de-frutas, a dica é utilizar algum repelente natural contra insetos, como chá concentrado de capim limão e óleo de citronela. O chá deve ser borrifado na mistura e o óleo pode ser adicionado nas paredes das caixas pelo lado de fora.
Outra informação importante é que temperaturas acima de 30 °C e baixa umidade, durante algumas horas, provocam mortalidade elevada de ovos (veja mais).
A armadilha natural para mosquinhas de fruta também funciona como uma alternativa ao uso de inseticidas. Ela é feita a base de atrativo alimentar para "chamar" as moscas e auxilia no processo de controle das mesmas. Utiliza-se também, para capturar as mosquinhas, armadilha feita com vinagre de maçã e algumas gotas de sabão dentro de uma tigela (veja mais).

4. Por último, é bom lembrar
• Regular a umidade na composteira evita atração de moscas.
• Não é indicado compostar frutos com furos, ou sinais de “bichado”, pois estes podem conter ovos e larvas das moscas.
Veja mais sobre o tema em outras matérias do Portal eCycle (clique aqui e aqui). Para saber o que não deve ir para a composteira, clique aqui.