terça-feira, 17 de abril de 2018

Festa Nacional da Pitaya Orgânica 1a. edição





Venha participar da Festa Nacional da Pitaya Orgânica 

Confira a programação 

17 a 20/05 - Exposição de produtos orgânicos, derivados de Pitaya, mudas, gastronomia e ainda a 10ª Festália, tradicional festa da cultura italiana e o 5° Arrancadão de Tratores.

18/05 - Curso Atualizado de Cultivo de Pitaya Orgânica

19/05 - Seminário com palestras exclusivas

Acesse www.pitayaorganica.vpeventos.com 
e obtenha informações completas e inscrições

Inscrições com 20% de desconto até amanhã(18/04). Aproveite! 
Dúvidas? Manda um whats (48) 9 9168 1089

Abraços, 

ASSESSORIA
Festa Nacional da Pitaya Orgânica 
17 a 20 maio
Turvo - SC

segunda-feira, 16 de abril de 2018

SERRACIMA Agricultura Familiar na Região de Cunha/SP







A Serra Acima – Associação de Cultura e Educação Ambiental  é uma Organização Social de Interesse Público – OSCIP, fundada em 1999.
Sediada no município de Cunha, estado de São Paulo, atua na região do Vale do Paraíba Paulista com o objetivo de incentivar a geração participativa de conhecimentos e práticas ambientalmente sustentáveis e socialmente justas, empregando conceitos e ferramentas da agroecologia.
Desenvolve ações e projetos voltados para a conservação ambiental (proteção de nascentes, recuperação da Mata Atlântica e eliminação da dependência de insumos de síntese química) com ênfase na geração de trabalho e renda para famílias agricultoras.
Endereço:
Parque Nova Cunha
CEP: 12530-000
Cunha – São Paulo – Brasil
Fone: +55 (12) 31111744

Mais um minhocário entregue em Porto Alegre!



Aos poucos vamos semeando minhocários por Porto Alegre, transformando lixo em luxo!
 Acredito que é uma forma de levar o ser humano a encontrar-se com a natureza, é menos lixo sendo transportado para o aterro sanitário (apenas 130 km desta capital), são jardins e hortas adubadas com humus, produzindo flores e frutos.

Quer um? fale comigo agropanerai@gmail.com


Não tem verba para gastar com minhocário? 
Faça um modelo baratinho com baldes http://cadicominhocas.blogspot.com.br/

sábado, 14 de abril de 2018

Como Plantar Couve em Casa - Minha Horta na Cidade EP10



Aprenda como plantar couve em casa para ter uma colheita abundante. Veja tambem como prevenir certas pestes e doenças na sua horta caseira orgânica. Mostro dicas de como cultivar couve facilmente. Produção: Siloé Oliveira

Terra Sul Responde - Minhocultura | Programa Terra Sul





Nesta semana o quadro "Terra Sul Responde" traz algumas dúvidas sobre minhocultura. O pesquisador da Embrapa Clima temperado, Gustavo Schiedeck, é quem esclarece sobre o assunto.

Assista!

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Descubra os benefícios e propriedades da pimenta biquinho

A pimenta biquinho é rica em magnésio, ferro, cálcio, sódio e fósforo. Além disso, contem as vitaminas B6, C e K1. Conheça seus benefícios

As pimentas são frutos de uma planta que ganhou popularidade no mundo graças à ardência que provocam na boca.
Existem dezenas de variações do fruto, que são consumidas diariamente por milhares de pessoas, desde as mais ardentes até as “pimentas doces”, que possuem o sabor mais brando.
Para aqueles que preferem não se arriscar com os tipos de pimentas mais picantes, a pimenta biquinho, ou pimenta de bico como é conhecida em algumas regiões, pode ser uma alternativa.
A pimenta biquinho não arde, tem um sabor delicioso e ainda é fonte segura de nutrientes e outras substâncias que provocam efeitos benéficos para o organismo.
Descubra os benefícios e propriedades da pimenta biquinho
Foto: depositphotos

Características da pimenta biquinho

A planta é de origem brasileira, mas ainda é pouco conhecida pelo fato de ter surgido recentemente. Isto porque, foi em 2004, que a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater/MG) passou a comercializar este condimento, intensificando a produção na cidade de Campo Florido.
Fazendo parte do mesmo grupo que as pimentas-de-cheiro, a biquinho é, de certa forma, parente da aroeira-vermelha, pimenta godê e da cambuci.
Ganha este nome devido ao formato de gota que os frutos possuem. Além disso, quando estão bem maduras adquirem uma cor bem avermelhada.
Pode ser encontrada para venda in natura ou em sementes, tendo em vista que pode ser facilmente plantada em casa por crescer rápido e ser um arbusto de porte médio.

Benefícios deste condimento

A pimenta biquinho possui os benefícios que os demais frutos da mesma espécie, como o betacaroteno, a substância que é responsável pela cor vermelha das pimentas no geral.
Este mesmo elemento é considerado um antioxidante e ainda consegue auxiliar o organismo numa melhor absorção de vitamina A e C. Desta forma, é um bom alimento para aumentar a imunidade do organismo.
Além disto, biquinho ainda é rica em magnésio, ferro, cálcio, sódio e fósforo. Todos estes nutrientes são indispensáveis para o organismo humano, tanto na realização de atividades, como também na proteção da saúde dos consumidores.
Vale ressaltar que este condimento contem as vitaminas B6, C e K1, por estas razões é uma excelente opção para controlar as taxas de açúcar do sangue e evitar inflamações ou tratá-las.
Contudo, a maior diferença entre os benefícios da biquinho e das pimentas que ardem é a quantidade de capsaicina, substância responsável pela ardência deste condimento e por estimular o metabolismo.
Desta forma, as pimentas de cheiro não conseguem ser boas opções na promoção do emagrecimento, mas também não engordam, tendo em vista que a cada 100g de biquinho contém apenas 9 calorias.

terça-feira, 10 de abril de 2018

Oficina de Compostagem Doméstica





Oficina de compostagem doméstica em grupo para os colaboradores da Unimed Joinville. 

Grupos de 5 pessoas, confecção de 10 composteiras para levar para casa e integração de equipe. 

Ótima experiência e troca de informações sobre sustentabilidade.

PODA DA CARAMBOLA, como fazer?





Neste vídeo, Roberto Losque mostra como ele faz a poda de inverno no pé de carambola. Nosso consultor fala em condução e consórcio. Veja mais em www.tvsitio.com.br

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Como Fazer Compostagem em Casa ou no Apartamento??


Sabe aquelas sobras da cozinha de quando se prepara uma refeição? Muito melhor que jogá-las no lixo comum, é dar a esses restos uma destinação ecológica conhecida como compostagem, técnica que transforma resíduos em adubos para jardins e hortas.

Na prática, a compostagem nada mais que a degradação da matéria orgânica por micro-organismos. No método podem ser utilizados restos orgânicos como folhas, cascas de verduras, frutas, ovos e serragem. Restos de comida também são bem vindos, mas cuidado com alimentos de origem animal, tais como carnes, pois podem atrair pragas.

Segundo o biólogo Carlos Eduardo Cereto:  “É possível fazer composteira em casa, mas também existem empresas especializadas nesse tipo de serviço. As duas formas podem ser utilizadas. O importante é que além do destino correto dado para o lixo, o adubo produzido pode ser usado em hortas e jardins”. Cereto também acrescenta que: “O uso de adubo orgânico conserva as propriedades naturais do solo aumentando a vida útil do terreno. Ao contrário do adubo químico que desgasta o solo mais rapidamente e causa vários problemas de produtividade”.


Como fazer:

É necessário um espaço de, no mínimo, um metro cúbico para se fazer uma composteira doméstica. Em caso de espaços menores como apartamentos, a compostagem pode ser feita em caixas. Ao contrário do que muitos pensam, na compostagem não é indicado colocar terra, as camadas são feitas de lixo orgânico e outra de serragem ou folhas secas.

O tempo de decomposição depende do tipo de lixo e pode demorar de 9 a 16 semanas para decomposição total do lixo orgânico, que em forma de adubo, pode ser usado em hortas, jardins. Mas, deve ser evitado em hortas, caso exista na compostagem dejetos de animais.

1. Quem tem espaço com chão de terra no quintal pode separar um canteiro para fazer a compostagem. Quem não tem, pode improvisar usando um recipiente grande, lembrando de fazer alguns furos laterais para a saída de ar.

2. Os resíduos podem ser colocados em camadas e não precisam ser separados por tipo, mas é interessante colocar em camadas alternadas de resíduos (cascas de frutas, legumes, ovos e outros), com camadas de folhas, palha, serragem ou mesmo terra. Para acelerar a decomposição e evitar o aparecimento de moscas, recomenda-se cobrir tudo com uma lona.

Em espaços menores, a compostagem pode ser feita em caixas -


3. Regar o conteúdo de dois em dois dias e revirar o recipiente com alguma ferramenta de jardim é importante para arejar o material em decomposição. No caso da composteira feita no chão, ela deve ter mais ou menos 60 cm de altura e 1 metro de largura. A cada 15 dias é importante virar o monte, revolvendo os materiais para facilitar a decomposicão. Em razão da ação de bactérias e fungos, o monte pode esquentar em até 60 graus, por isso devemos molhar de vez em quando, para diminuir a temperatura e manter a umidade, porém sem encharcar.

4. Após algumas semanas o material adquire uma coloração marrom escura, semelhante ao marrom café. Dá para perceber que o composto está pronto quando não se percebe mais um "cheiro ruim" e sim um "cheiro de terra", além disso, a aparência é bem homogênea e a temperatura fica igual à do ambiente.
5. Depois de pronto, o composto orgânico já pode ser misturado à terra do jardim, da horta e dos vasos.
 Disponível em Revista Ecólogico

quinta-feira, 5 de abril de 2018

'Sucos de frutas reduzem risco de Alzheimer'


Vegetais e saúde das artérias
Comer vegetais previne o endurecimento das artérias

Pesquisas feitas nos Estados Unidos, mostram que camundongos alimentados com uma mistura de vegetais, incluindo cenouras e ervilhas, tiveram uma redução média de 38% nos depósitos de gordura nas artérias

A evidência sobre o efeito da dieta no desenvolvimento de arteriosclerose em humanos ainda não foi totalmente comprovada.

Mas a crença é que comer frutas e verduras é bom para proteger o coração contra doenças.

Os resultados apontam que uma dieta rica em vegetais verdes e amarelos, inibe o desenvolvimento do endurecimento das artérias e pode reduzir o risco de uma doença do coração.

Por Marco de Cardoso


Consumidores de suco de uva natural têm memória privilegiada e têm menos chances de adquirir Alzheimer...

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Cincinnati, em Ohio, nos EUA, chegou à conclusão que os antioxidantes existentes no suco de uva ajudam a memória. Segundo a pesquisa, as pessoas que tomam a bebida de forma natural, têm melhor memória do que as que evitam consumir o produto em seu dia a dia.
As enzimas, minerais e vitaminas que podem melhorar a memória são encontradas em grande escala na casca da fruta ou em seu composto.

Um estudo mais antigo, datado de 2006, concluído pela Universidade Vanderbilt indicou que beber sucos de frutas e vegetais pode diminuir os riscos do desenvolvimento do Alzheimer. Segundo a pesquisa, as chances de adquirir a doença são 76 % menores.

Equipe Bem Star
FONTE
http://bemstar.globo.com/index.php?modulo=corpoevida_mat&type=5&url_id=3249

'Sucos de frutas reduzem risco de Alzheimer'

Frutas
Suco de uva seria um dos que oferecem mais benefícios à saúde

Uma dieta rica em suco de frutas pode cortar o risco de Mal de Alzheimer e outras doenças, segundo uma pesquisa da Universidade de Glasgow, na Grã-Bretanha.
A equipe de pesquisadores realizou um dos primeiros estudos a respeito dos benefícios dos antioxidantes.
Antioxidantes são químicos naturais que reduzem o dano a células causado pelos radicais livres, tido como uma importante causa de doenças e envelhecimento.
A pesquisa revelou que os sucos de uva, maçã e amora contêm grandes quantidades de benefícios químicos.
Sucos
O estudo será publicado na revista Journal of Agriculture and Food Chemistry.
Pesquisadores do Grupo de Nutrição Humana na Universidade de Glasgow examinaram sucos diferentes e a quantidade de antioxidantes que cada suco continha, além dos diferentes compostos químicos.
Antioxidantes conhecidos como polifenóis conseguem eliminar os radicais livres no corpo.
Acredita-se que eles ajudam a manter e melhorar a saúde além de proteger contra doenças crônicas.
Os resultados das pesquisas mostraram que o suco de uvas roxas do tipo Concord, contém grande quantidade e variedade de polifenóis além de ter a maior capacidade antioxidante, igual à encontrada no vinho tinto Beaujolais.

Flores comestíveis: descubra estas delícias



Na chegada da primavera, conhecça os benefícios das flores comestíveis, plantas ricas nutrientes



A maior parte das plantas aromáticas ou medicinais que conhecemos têm flores que são comestíveis. É o caso da manjerona, coentro, cebolinho, hortelã, rosmaninho, rúcula e salvia entre outras.

.
Lista de Flores Comestíveis e seus nomes científicos


Planta                                   Parte comestível                                                       Nome Cientifico

Abóbora                              Flores e fruto                                                            Curcubita máxima

Beldroega                            Flores e folhas                                                           Portulacea oleracea

Calendula                             Flores e Folhas                                                         Calêndula officinalis

Capuchinha                         Flores, botões de flor, folhas e sementes                     Tropaeolum majus

Dente-de-Leão                    Flores e folhas                                                          Taraxum officinale

Feijão                                 Flores, fruto                                                               Phaseolus vulgaris

Girassol                                Flores                                                                      Helianthus annus

Hibisco                                Flores (pétalas)                                                        Hibiscus rosa-sinensis

Pepino                                  Flores e fruto                                                           Cucumis sativus

Perpétua                              Flores                                                                        Centaurea cyanus



.  Além destas, podem também comer-se as folhas e flores do Amor-perfeito (viola), das zinias, das videiras e de muitas outras plantas. Já é possível encontrar no mercado uma variedade razoável de flores comestíveis.

Nota Importante

Existem aromas culinários naturais, como flor de laranjeira, geranium, jasmin, rosa e até violeta que se utilizam sobretudo em pastelaria e são originários de plantas perfeitamente comestíveis. Existem no entanto também aromas de plantas que são muito tóxicas, como por exemplo o Lírio-de-Maio (Convallaria maialis) e não deverão NUNCA os aromas ser tomados como referência para comer determinada flor.

Colher as Flores do meu Jardim

É preferível colher as flores abertas no dia, de manhã, depois de secas naturalmente do orvalho e sobretudo que sejam consumidas rapidamente.

É possível secar pétalas, ou até pequenas flores inteiras para utilizar durante o Inverno na decoração de sobremesas ou na composição de molhos. Depois de bem secas ao abrigo da luz, para não perderem a cor, devem ser guardadas em boiões herméticos.

Quando escolher flores muito perfumadas, colha-as na altura em que estão mais perfumadas: violetas sem cheiro não perfumarão intensamente os seus pratos, o mesmo se aplica às rosas, cravos, cravos-da-índia, etc.

Tenha sempre muito cuidado com uma possível contaminação, quer por produtos químicos (pode não utilizar nenhum, mas os seus vizinhos podem fazê-lo e o vento transporta facilmente os produtos até ao seu jardim). No caso das flores selvagens, colha-as sempre longe de fontes de contaminação (carros, bermas tratadas quimicamente, animais, etc…)

Segurança

É indispensável assegurar-se, antes de comer qualquer tipo de flor, que é de fato comestível. O fato de certas partes da planta o serem não implica que outras o sejam, como no caso das batatas e do tomate, cujo fruto é perfeitamente comestível sendo, as folhas muito tóxicas.

Procure um bom guia botânico, com imagens e descrições minuciosas das plantas e, em caso de dúvida desista ou procure conselho profissional. Lembre-se também que as flores são uma fonte de pólen e que há pessoas alérgicas ao mesmo.

segunda-feira, 2 de abril de 2018

PALAVRA DO ESPECIALISTA | PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL Carlos Nabinger: fotossíntese e educação

FONTE: Jornal Zero Hora - caderno campo e lavoura 31/03/2018

Ensino direcionado para a natureza é vital se quisermos sobreviver às baratas, cupins e outros seres mais capazes de se adaptar ao novo equilíbrio, diz especialista

Imagine um processo que remova CO2 da atmosfera – diminuindo o efeito estufa – substituindo-o pelo oxigênio necessário à vida e ainda dando suporte a um fabuloso microbioma capaz de regenerar o solo, melhorar o teor de nutrientes nos alimentos, aumentar a disponibilidade de água limpa e a rentabilidade do agro.
Pois esse processo existe, chama-se fotossíntese e ocorre no interior das células nas folhas verdes das plantas e também em algas. As plantas interceptam a luz solar e utilizam sua energia para capturar o CO2 do ar, recombiná-lo com a água retirada do solo, formando açúcares simples e devolvendo oxigênio e água para a atmosfera. Esses açúcares simples - considerados os tijolos da construção da planta - são transformados em uma diversidade de outros compostos como amido, proteínas, ácidos orgânicos, celulose, lignina, óleos e ceras. 
A maioria dos compostos formados durante a fotossíntese também é essencial ao solo, pois fazem parte da matéria orgânica originada das plantas e onde reside um fantástico universo de seres microscópicos responsáveis pela vida desse solo. Portanto, sem fotossíntese não haveria matéria orgânica e sem ela o solo seria apenas um composto mineral inerte. De fato, mais de 95% das formas de vida do planeta residem no solo e a maior parte da energia necessária para fazer funcionar esse microbioma deriva do carbono contido nas plantas e retirado da atmosfera via fotossíntese. 
Daí a importância de mantermos o solo sempre coberto com plantas, juntamente com práticas que conservem o C (carbono) fixado e a vida microbiana do solo. Dessa forma  diminuiremos os atuais níveis de CO2 da atmosfera, devolvendo o equilíbrio climático, a fertilidade aos solos, a qualidade das águas, a sustentabilidade da produção agrícola e a qualidade da vida humana.
Darmos mais atenção e cuidado aos fenômenos básicos da natureza, dos quais a fotossíntese é o mais importante, deveria ser uma atitude lógica e consciente de cada ser humano. Infelizmente não o é, pois, em geral, nos falta conhecimento sobre as coisas mais triviais da vida. Por isso, educação direcionada para a natureza é vital se quisermos sobreviver às baratas, cupins e outros seres mais capazes de se adaptar ao novo equilíbrio que certamente ocorrerá, mas do qual muito provavelmente não faremos parte se continuarmos a atual escalada de destruição da natureza.
Carlos Nabinger é mestre em Fitotecnia e doutor em Zootecnia, professor da Faculdade de Agronomia da UFRGS
nabinger@ufrgs.br

Como cuidar do jardim no outono!!

postado por

cuidados outono
Em março o outono começa oficialmente. É hora de fazer as mudanças necessárias no seu jardim para que ele continue saudável e bonito. Nesse post vamos dar dicas como cuidar do jardim no outono.

Muitas flores de jardins anuais continuam sua floração até o outono, já os jardins sazonais de primavera e verão precisarão ser trocados e suas plantas retiradas, pois não suportarão a mudança de temperatura e níveis de umidade. Se você vai montar um novo jardim, a sugestão é plantar hibisco, quaresmeiras do outono, prímulas e amores-perfeitos. Elas vão se desenvolver com mais facilidade durante essa estação.

Faça uma limpeza cuidadosa no jardim, eliminando ervas daninhas que possam se proliferar no seu espaço durante as estações mais frias e se tornarem um grande problema com a chegada da primavera. É importante fertilizar bem o jardim durante o outono, pois assim as plantas terão tempo para absorver a matéria orgânica e ficarão protegidas durante o inverno (ressaltando que o inverno afeta o Brasil de maneiras completamente diferentes de acordo com a região, então, busque informações com um técnico para se certificar do tipo de fertilizante e a quantidade).

As folhas que caíram estão incomodando você? Os sopradores BGE 71, BG 86 C-E e BGA 85 da STIHL são ótimos para fazer a limpeza do seu jardim. Conheça os produtos clicando aqui.
O outono é uma época ótima para desbastar trepadeiras, desembaraça-las e podar as extremidades. Se você possui arbustos decorativos, o começo do outono marca a última poda até a primavera. Se cortados durante as estações mais frias, os arbustos não conseguem se restabelecer tão bem. Não faça as chamadas “podas educativas” também, elas podem afetar a floração da planta.

Cuidado redobrado com a quantidade de água no solo! Diferentemente do verão, a temperatura e as condições de umidade no ar do outono são mais amenas. A quantidade de regas deve ser diminuída, pois a evaporação de água durante o outono é menor e o encharcar o solo pode resultar no apodrecimento das raízes.

Tem mais alguma dica para cuidar do jardim no outono? Conte para a gente nos comentários!

quinta-feira, 29 de março de 2018

terça-feira, 27 de março de 2018

MELHORE, RECUPERE SEU SOLO! ALGUMAS espécies para adubação verde!

AMENDOIM FORRAGEIRO OU GRAMA AMENDOIM

 

 

 

 

 

 

 

 

 

adubação verde

Devem ser escolhidas para esta prática, espécies que produzam PLANTAS que produzem grande quantidade de matéria seca, 
resistentes ao ataque de pragas e moléstias, que possuam sementes uniformes e de bom poder 
germinativo, com exigência relativamente baixa quanto ao preparo e fertilidade do solo, de rápido 
crescimento, precoce, de fácil manejo, de sistema radicular profundo e que dispensem tratos culturais.

As espécies utilizadas como adubo verde se dividem em plantas de verão, normalmente leguminosas 
plantadas no início das chuvas e manejadas até o final das chuvas, e as de inverno 
(leguminosas e gramíneas), plantadas no final das chuvas e manejadas quando em pleno florescimento.

Crotalária breviflora (Crotalaria breviflora): Leguminosa anual arbustiva de porte baixo (60 a 120 cm), 
de crescimento rápido e ciclo curto, pouco ramificada e eficiente na diminuição das populações de
 nematóides. As plantas não suportam geadas mas são pouco atacadas por pragas e doenças. 
O manejo se faz aos 100 dias, época do florescimento com roçadeira ou trituradores.

Crotalária juncea (Crotalaria juncea L.): Leguminosa anual de porte ereto, de crescimento rápido 
(mais de 3 m de altura), boa cobertura do solo e alta produção de fitomassa, caule semilenhoso, 
com efeito alelopático e/ou supressor de invasoras bastante expressivo, comportando-se bem em solos arenosos e argilosos, não suportando geadas e tombando com ventos fortes. Muito empregada em reforma de 
pomares e áreas com problemas de nematóides, apresentando boa resistência à seca, pois seu 
sistema radicular atinge até 4,6 m de profundidade, porém, 80% dele encontra-se nos primeiros 30 cm 
do solo. Apresenta ótimo rendimento em material verde, incorporando N, P2O5 e K2O. Do caule se
 extrai fibra para a indústria de papel, devendo ser manejada após a floração (110 a 140 dias).




Crotalária spectabilis
Crotalária spectabilis 
 (Crotalaria spectabilis Roth.): Leguminosa anual 
subarbustiva, de porte alto (1,0 a 1,5 m), 
apresenta dificuldade na germinação e 
crescimento inicial lento, controladora de algumas
 espécies de nematóides, possui raiz pivotante 
profunda, podendo romper camadas compactadas
. Não suporta geadas, mas comporta-se bem em 
solos argilosos e arenosos. O plantio convencional ocorre de setembro a dezembro e o florescimento, 
aos 120-140 dias. Não recomendada para 
alimentação animal, mas utilizada como planta 
atrativa de lagartas em cultivos consorciados.


Lab-lab (Dolichos lablab L. ou
 Lablab vulgaris Savi): Leguminosa anual ou
 bianual de hábito indeterminado. Adapta-se a 
solos argilosos a arenosos com melhor performance nos bem drenados e férteis, tolerando secas e
 resistente a geadas. Usada na alimentação animal como forragem verde ou ensilada com milho ou 
sorgo para bovinos e eqüinos. Semeadura convencional de setembro a dezembro e manejo
 recomendado no florescimento/início da formação de vagens (130 a 180 dias). Tem as desvantagens 
de ser suscetível ao ataque de vaquinha (Cerotoma sp, Diabrotica speciosa), não apresentar boa 
nodulação e ainda ser multiplicadora de populações de nematóides.


Feijão-de-porco (Canavalia ensiformis (L.) DC.): Leguminosa anual ou bianual herbácea, rústica,
 de crescimento inicial lento, ereto e hábito determinado (60 a 120 cm de altura), resistente a altas 
temperaturas e à seca. Tolerante a sombreamento parcial e a geada, adaptando-se a diferentes tipos 
de solo, inclusive solos pobres. Semeadura convencional de setembro a dezembro e manejo no 
florescimento/início da formação de vagens (100 a 120 dias). Promotora de boa cobertura do solo, 
com efeito alelopático às invasoras, atuando eficientemente no controle da tiririca (Cyperus sp). O 
avantajado tamanho das sementes leva a um gasto elevado na implantação. Esporadicamente sofre 
ataque de vaquinha (Diabrotica speciosa), sendo hospedeira da mosca-branca (Bemisia tabaci), 
transmissora do VMDF (vírus do mosaico dourado do feijoeiro) e de outras viroses do feijoeiro comum.


GUANDU
Guandu (Cajanus cajan L. Millsp): Leguminosa 
arbustiva anual, bianual ou semiperene, 
crescendo bem em solos argilosos e arenosos,
 tolerante à seca e não tolerante a umidade 
excessiva nas raízes. Planta rústica, pouco
 exigente em fertilidade, produtora de grãos e
 forrageira rica em proteínas para a alimentação
 animal (pastejo, corte, silagem e feno), 
com semeadura convencional de setembro a 
dezembro. O manejo para adubação verde deve 
ser feito aos 140 a 180 dias, fixando elevada
 quantidade de nitrogênio e grande produtora de
 fitomassa. Utilizada em rotação e associações 
de cultivos; em consorciação com gramíneas
 anuais e em cultivo intercalar a culturas perenes.
 Sistema radicular pivotante bastante agressivo, 
que penetra em solos compactados e adensados, capaz de reciclar grande quantidades de nutrientes no solo. Embora semiperene, deve ser cultivada por no máximo 
2 anos, devido ao engrossamento dos troncos, que se tornam muito lenhosos, dificultando o manejo 
do material para adubação verde, quando a mesma planta é cultivada por vários anos.

Guandu-Anão (Cajanus cajan L. Millsp): Leguminosa anual, de cilclo curto (90 a 120 dias), porte baixo
 (0,8 a 1,2m), crescimento rápido e arbustiva. Pode ser utilizada em rotação, consorciada e como 
forrageira. No caso do citros é mais usada no sistema intercalar, devido ao baixo porte, permitindo 
o trânsito dos equipamentos para operações de adubação e pulverização.

Mucuna-Preta (Stizolobium aterrimum = Mucuna aterrima): Leguminosa anual, de crescimento rasteiro
 e indeterminado, ramos extremamente trepadores, rústica, resistente à seca, sombra, temperaturas 
elevadas e ligeiramente resistente ao encharcamento, desenvolvendo-se bem em solos pobres e 
atuando no impedimento da multiplicação de nematóides. Semeadura convencional, de setembro a 
início de janeiro e manejo após o florescimento aos 140 a 170 dias. Utilizada como forrageira, os grãos
 são ricos em proteína para animais, porém as plantas são suscetíveis à cercosporiose e às viroses. 
Em citros deve ser bem manejada devido ao hábito trepador.

Mucuna-Anã (Mucuna deeringiana ou Stizolobium deeringianum, Steph e Bart = Mucuna pruriens): 
 Leguminosa anual herbácea, ereta, de crescimento determinado, com altura em torno de 40 a 80 cm,
 resistente à seca, desenvolvendo-se bem em solos argilosos e arenosos e de baixa fertilidade. 
Semeadura convencional, de setembro a janeiro e manejo devendo ser realizado do florescimento 
ao início do enchimento de vagens (80 a 100 dias). Recomendada para plantio intercalar, em função do
 hábito determinado e não-trepador e não apresentar problemas com pragas. Em algumas regiões 
 verifica-se suscetibilidade à cercosporiose, mas não a ponto de inviabilizar seu cultivo.

LAB LAB
Lab-lab (Dolichos lablab L. ou Lablab vulgaris Savi):
 Leguminosa anual ou bianual de hábito
 indeterminado. Adapta-se a solos argilosos a arenosos 
com melhor performance nos bem drenados e
 férteis, tolerando secas e resistente a geadas.
 Usada na alimentação animal como forragem verde ou 
ensilada com milho ou sorgo para bovinos e eqüinos. 
Semeadura convencional de setembro a 
dezembro e manejo recomendado no florescimento/
início da formação de vagens (130 a 180 dias). 
Tem as desvantagens de ser suscetível ao ataque de 
vaquinha (Cerotoma sp, Diabrotica speciosa), 
não apresentar boa nodulação e ainda ser multiplicadora 
de populações de nematóides.


Fonte: http://www.estacaoexperimental.com.br/documentos/BC_09.pdf

Grama Amendoim ou Amendoim Forrageiro

  

A grama amendoim, cientificamente chamada de Arachis Repens e também conhecida por amendoim-rasteiro, amendoinzinho e amendoim-forrageiro, é uma planta leguminosa pertencente à família Arachis e, embora se pareça muito com a Arachis Pintoi, se trata de uma espécie muito distinta. Conhecida por sua bela cobertura verde-escuro, de textura peculiar, e suas delicadas flores amarelas, a grama amendoim é comumente empregada no paisagismo, principalmente de jardins fazenda.

Grama Amendoim e suas Aplicações

Sua principal aplicação é na pastagem para gado, pois possui alto valor nutritivo para os animais. Além disso, o desenvolvimento e rebrote rápidos da grama amendoim fazem dela uma excelente vegetação para se usar na proteção de taludes. Suas raízes profundas, que podem medir cerca de 30 cm de profundidade, garantem uma ótima resistência do terreno contra chuvas e deslizamentos.

Em sua aplicação para jardins e hortas, a grama amendoim desempenha muito bem o papel de proteção contra ervas daninhas e, por isso, reduz também os gastos na manutenção do gramado. Sua densa folhagem garante que o solo receba bem pouca ou nenhuma luz solar e impede que ervas daninhas apareçam.



Características da Grama Amendoim


Sua folhagem é constituída de pequenas folhas com pêlos sedosos nas margens e pequenas flores amarelas ao longo de todo gramado, e que florescem várias vezes ao ano, característica notável da grama amendoim e que são apresentadas em outras espécies da família Arachis.

A grama amendoim, embora pareça rústica, não é dotada de boa resistência ao desgaste, geadas, e o pisoteio, porém, possui rápido rebrote e sua capacidade de regeneração é muito grande.



Cuidados Com a Grama Amendoim

A grama amendoim não é muito tolerante a períodos de seca prolongados e necessita de irrigação periódica, contudo, demonstra maior resistência do que outros tipos de gramado, quando cultivados nas mesmas condições do cerrado. Com suas raízes compridas, que podem alcançar até 30 cm abaixo do solo, a grama amendoim pode buscar os nutrientes e água de que precisa bem fundo no solo, e por isso pode tolerar períodos consideravelmente extensos sem irrigação. Possui boa resistência a sombra e recomenda-se que seu cultivo seja feito a pleno sol ou meia sombra. Podendo ter de 20 cm a 40 cm de altura, dispensa as podas periódicas e possui tolerância média ao encharcamento do solo.



Como Cultivar a Grama Amendoim

A grama amendoim produz uma quantidade muito pequena de sementes, tão pequena que seria inviável a sua comercialização. O cultivo da grama amendoim é possível através de mudas e de estolões, que podem chegar até 1,5 cm de comprimento. Para garantir uma propagação efetiva do gramado, seu cultivo é feito através de mudas ou estolões ligeiramente desenvolvidos que são plantados com certa distancia uns dos outros. O sucesso do cultivo dessa forma se dá pelo fato de que a grama amendoim é muito agressiva em cobrir o solo e se desenvolve com muita rapidez. Apesar disso, a grama amendoim se dá muito bem com outras espécies de gramíneas igualmente agressivas como, por exemplo, as do gênero Brachiaria e podem ser cultivadas em conjunto.



Análise dos Benefícios e Aspectos Negativos da Grama Amendoim

Benefícios Oferecidos pela Grama Amendoim
A grama amendoim se desenvolve muito bem mesmo em solos ácidos, com média ou pouca fertilidade, e pode ser utilizada para fazer a correção da acidez do solo e na recuperação de solos muito degradados ou pouco férteis.

A grama amendoim é muito utilizada em plantações de hortaliças e pomares devido aos grandes benefícios que ela traz ao solo e as plantas próximas de onde é cultivada. Ela é geralmente implantada entre os meios dos cultivos onde ajuda, não só a combater as ervas daninhas, mas também a reter umidade e fixar o nitrogênio no solo, adubando o solo naturalmente, além de fazer a correção do pH da terra. Por tais motivos, a grama amendoim é considerada um adubo vivo ou “adubo verde“.

Antes de iniciar o cultivo de qualquer espécie de grama, é necessário fazer uma análise, não só dos pontos positivos, mas, também dos aspectos negativos sobre determinado cultivar, em questão, da grama amendoim.



Aspectos Negativos Sobre a Grama Amendoim

Tais pontos negativos da grama amendoim são muito claros e não somam muitos em sua totalidade. O principal aspecto a se levar em consideração é que a grama amendoim é muito delicada e não suporta bem o desgaste de pisoteio e geadas ( com certeza rebrota após a geada). Outro fator que não foi comentado ao longo do artigo é que ela pode eventualmente atrair lebres, o que pode representar um problema para o seu cultivo em hortas. Mesmo sendo poucos, são fatores essenciais para se analisar antes de começar a cultivar a grama amendoim. Questões como, qual será o nível de uso do gramado ou se existem lebres próximo a sua localidade, são de extrema ajuda na hora de fazer tal escolha. Podemos dizer que, deixando de lado os pequenos inconvenientes da grama amendoim, ela é uma ótima opção para o cultivo de um gramado ou pastagem.

Fonte: http://gramagrama.net/tipos-de-grama/grama-amendoim

Em breve teremos mudas para comercialização. Serão kits com 50 mudas de 25 cm, em raiz nua.
Caso tenha interesse, envie um email.ok