terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Biodiversidade, produção orgânica e nutrição


Por: Joop Stoltenborg

A produção orgânica procura se aproximar da biodiversidade natural para produzir alimentos com maior valor nutritivo.

O mais marcante na natureza é a diversidade. Cada planta, no ambiente natural, tem à sua disposição os restos em decomposição das mais variadas plantas mortas para se alimentar. Frutas e plantas selvagens comestíveis têm a fama de serem muito saudáveis As pessoas de idade que moravam na área rural falam com muitas saudades e entusiasmo das frutas do cerrado: guabiroba, pitangas etc., que elas comiam e dizem que deixavam as crianças com boa saúde. Se a natureza providenciou essa diversidade é porque ela é importante. Frangos e galinhas que andam soltos sabem instintivamente se alimentar bem com uma variação de plantas, ciscando a terra para comer insetos e inclusive pedrinhas. Gado que tem à disposição um pasto com vários tipos de grama, leguminosas, arbustos e ervas produz uma qualidade de leite e carne superior à do gado que só tem braquiária para comer. Estudos mostram que o valor nutritivo dos nossos alimentos caiu vertiginosamente nos últimos 45 anos.

Na produção orgânica de verduras e frutas busca-se a diversidade na 'alimentação' (adubação) das mesmas, para produzir víveres que sejam realmente nutritivos.

Nós podemos aumentar a diversidade de 'alimentos' para as plantas com uma técnica chamada adubação verde, que consiste em semear uma mistura de sementes de várias plantas que, depois de alguns meses, são roçadas e /ou misturadas com a terra. Essas plantas em decomposição servem de alimento no crescimento das verduras e frutas orgânicas. Quanto maior a variedade dessa mistura de sementes da adubação verde, mais nutrientes vão ficar disponíveis na terra para a plantação das verduras e legumes. Acontece que cada planta da mistura da adubação verde tem uma necessidade de nutrição diferente: algumas tiram mais zinco da terra, outras procuram mais nitrogênio, outras mais potássio, então o conjunto dessas plantas explora o subsolo com as raízes. Cada centímetro cúbico do solo e subsolo é visitado por raízes das várias plantas que, juntas, levam os elementos perdidos no fundo da terra de volta para a superfície para ficarem assim disponíveis para a próxima plantação.

Além da adubação verde, podemos fazer biofertilizante: é um líquido fermentado com uma diversidade de plantas como ervas daninhas, verduras, frutas, etc., pó de rochas de vários tipos como granito, mármore, basalto, que forma outro adubo com muita diversidade e ajuda as plantas com uma riqueza de elementos, dando a ela mais sabor e muito mais saúde aos consumidores.

O consumidor orgânico, além de cuidar da sua própria saúde, cuida também da fertilidade da terra e a preservação da biodiversidade.