Mostrando postagens com marcador ACIDEZ DO SOLO. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ACIDEZ DO SOLO. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Adubação: dicas espertas para você!!

Fonte: jardineiro.net

Existem fertilizantes para cada momento e tipo de planta do seu jardim, horta ou pomar. Conheça-os e saiba utilizá-los na hora certa para o máximo desempenho das suas plantas. Foto de  UGA College
Existem fertilizantes para cada momento e tipo de planta do seu jardim, horta ou pomar. Conheça-os e saiba utilizá-los na hora certa para o máximo desempenho das suas plantas. Foto de UGA College
1. Faça a adubação quando as plantas necessitam dos nutrientes e seja específico com suas necessidades. Durante o crescimento, dê atenção à quantidade equilibrada de nitrogêniofósforo e potássio, para um crescimento vigoroso. Já em momentos como floração e frutificação, leve em consideração a redução do nitrogênio e o aumento de fósforo e potássio, importantes nessa fase.
2. Evite adubar as plantas quando elas entram em dormência, por dois motivos: Elas pouco aproveitam os fertilizante, já que seu crescimento estará naturalmente estagnado, e você evita de colocar dinheiro fora. Mas Raquel, quando as plantas entram em dormência? Geralmente no período frio ou no período seco. Algumas espécies resolvem ser ativas no inverno, florescendo ou frutificando, como algumas orquídeas, a flor de maio, etc. Use a regra geral, mas não esqueça de conhecer as individualidades de cada espécie.
3. Não negligencie a calagem. A correção do pH é primordial para que as plantas possam absorver os fertilizantes do solo. De nada adianta colocar litros de adubo em um solo excessivamente ácido. A absorção será pequena e você vai perder muito dinheiro, já que muitos fertilizantes são rapidamente perdidos para o ambiente. Por isso, antes da implantação e na manutenção de jardins, hortas e pomares, solicite a análise de solo. Ela lhe dá o diagnóstico correto do estado atual do solo, em termos de fertilidade e características físicas, além da necessidade de calcário.
4. Na praia e em outros solos arenosos, acostume-se a fertilizar com mais frequência. Isso acontece por os nutrientes percolam com mais facilidade neste tipo de solo, assim você os perde mais rapidamente para o ambiente.
A flor-de-maio está a todo vapor no inverno. Florescendo com esplendor. Não deixe de fertilizá-la nesta fase. Foto de  Björn Sahlberg
A flor-de-maio está a todo vapor no inverno. Florescendo com esplendor. Não deixe de fertilizá-la nesta fase. Foto de 
Björn Sahlberg
5. A adubação de base pode ser a diferença entre o sucesso e fracasso do plantio e transplante. Enriquecer o solo com uma boa quantidade de matéria orgânica, como esterco de curral bem curtido, e nutrientes próprios para um perfeito desenvolvimento das raízes, como fósforo e potássio, fazem toda a diferença no vigor inicial da planta muitas vezes no seu desenvolvimento final. Deixe para colocar as doses maiores de nitrogênio quando a planta já estiver bem estabelecida, dando sinais de crescimento. Nitrogênio na base pode ser utilizado, mas preferencialmente com adubos de liberação lenta e em quantidades modestas. A chance dele queimar as raízes feridas durante o transplante e as delicadas raízes em formação são grandes.
6. Jamais deixe faltar água às plantas durante o período subsequente à adubação. Elas tendem a acumular os sais dos fertilizante e podem se desidratar facilmente. Irrigando bem, você previne sérios danos às plantas.
7. A adubação ideal é aquela que é gradual e de acordo com a fase da planta, em termos de quantidade e qualidade de nutrientes. No entanto, geralmente os adubos de liberação lenta são caros e sua compra pode ser inviável. Aproveite a capacidade que as plantas tem de armazenar nutrientes em seus tecidos, como o nitrogênio por exemplo e lembre-se disso quando foi fertilizar hortaliças. Não adube se já estiver pensando na colheita. Os altos níveis de nitrogênio acumulados podem ser prejudiciais à saúde de quem consumir folhas e frutos.
8. Sempre aplique os fertilizantes em dose menor ou igual à indicada na embalagem do produto. Principalmente se eles forem adubos ricos em nitrogênio, como uréia, estercos, ou NPK 10-10-10, por exemplo. É muito comum as plantas murcharem e morrerem da noite para o dia, devido à aplicação excessiva de adubos.
9. Os dias nublados são os melhores para fertilizar as plantas. Evita-se a ação do sol intenso sobre as plantas, que ficam sensibilizadas e perde-se menos nitrogênio por volatilização. Da mesma forma, os dias chuvosos provocam grandes perdas de nutrientes, que são carregados pela água.
Um pomar bem nutrido produz em abundância e é mais resistente a doenças. Foto de  Jon RB
Um pomar bem nutrido produz em abundância e é mais resistente a doenças. Foto de Jon RB
10. Jamais utilize estercos frescos ou mal curtidos, assim como restos de alimentos, cascas, diretamente sobre o solo. A fermentação destes materiais produz substâncias que são muito prejudiciais às plantas, podendo queimar a apodrecer raízes e colo. Faça sempre a compostagem destes materiais antes de utilizar, para evitar este tipo de problema e aproveitar melhor os ricos nutrientes que eles contém.
11. A fertilização mal calculada, seja em excesso ou aplicada em dias impróprios, não é somente um desperdício de dinheiro. Os nutrientes perdidos para o ar por volatilização são prejudiciais à camada de ozônio. Da mesma forma, os que são carregados pela água da chuva e regas, podem percolar até os lençóis subterrâneos e contaminar importantes fontes de água potável. Além disso, ainda é bastante comum que cheguem aos cursos de água, como lagos e rios, e provoquem a eutrofização, por crescimento exagerado de algas e plantas aquáticas.
Foto de Samuel
Foto de Samuel
Se este artigo ajudou você. Então compartilhe este artigo e ajude a divulgar essa informação.

domingo, 12 de março de 2017

MIRTILO → 1001 PROPRIEDADES E BENEFÍCIOS PARA SUA SAÚDE




Fonte site 

mirtilo

Mirtilo, uma frutinha azul, pequena, redonda e saborosa. Dizem ser ótima para melhorar a visãoideal para os diabéticos e muito mais. Sim, essa fruta rica em antocianinas e resveratrol é mesmo uma dádiva da natureza tanto para a alimentação quanto para a saúde humana.

Que fruta é o mirtilo?

O mirtilo é um arbusto baixo da família das Ericaceae, nativo da Europa e Ásia, onde abunda nos campos e nas cidades. É uma planta de inverno forte, com gelo e neve, que rebrota na primavera e se enche de frutinhas azuis. O mirtilo também é conhecido como uva-do-monte ou arando (ou arándano, pois o nome é espanhol) é medicinal, extremamente nutritivo e muito gostoso.
Existem diversas espécies de Vaccinium conhecidas como mirtilo - na América do Sul, em regiões frias, são cultivadas as espécies americanas, Vaccinium ashei, cujas frutas são mais avermelhadas e melhor adaptado a climas temperados, o Vaccinium myrtillus, de origem europeia, que só resiste onde há inverno forte (precisa de frio e neve, com uma primavera explosiva, para brotar) e também o Vaccinium corymbosum, conhecido como “olho de coelho”.

Propriedades nutricionais dos mirtilos

* Estas frutinhas, menores que uma uva, têm baixas calorias - 60 calorias por cada 100 gramas da fruta fresca.
* Também contêm carboidratos, açúcar e fibra alimentar.
* São uma excelente fonte de vitaminas (A, B, C, E e K) e
* minerais (potássio, cálcio, magnésio, ferro, zinco, selênio, manganês e fósforo).
* Frutas azuis, em geral, são ricas em antioxidantes - antocianinas, flavonóides e compostos fenólicos - e os mirtilos são um exemplo desta riqueza nutricional e medicinal.

Propriedades medicinais

Desde o século XVI o mirtilo é usado na alimentação humana e na medicina por suas propriedades antioxidantes e antibacterianas.
Segundo o Plantas que Curam um site muito sério de pesquisa sobre ervas medicinais, os mirtilos atuam, principalmente, na tonificação dos vasos sanguíneos periféricos e, é desta sua propriedade que resultariam muitos dos benefícios curativos desta planta - especificamente, se refere à recuperação da visão, a recuperação da vascularização dos pés em diabéticos, varizes e hemorróidas. Porém, no mundo todo o mirtilo é reconhecido também como:
* antioxidante
* combate radicais livres
* antibacteriano
* antidiarreico
* febrífugo
* antiinfeccioso
* anticancerígeno
* vasodilatador

Seu uso medicinal é reconhecido nos casos de:

* diabetes - reduz a taxa de açúcar no sangue, cura retinopatia diabética e pé diabético
* falta de visão noturna
* problemas de pressão arterial
* problemas coronarianos
* problemas renais
* colesterol elevado
* circulação sanguínea, varizes e hemorroidas
“O mirtilo é uma das maiores fontes de antioxidantes que temos ao nosso dispor, com a vantagem de nos ser apresentado em doses fisiológicas, ou seja, às quais o nosso organismo está habituado, e não em "megadoses” como existem em muitos suplementos. Com um potencial antioxidante superior ao da maioria dos frutos e legumes mas também do vinho tinto e do chá verde, o mirtilo tem sido associado à prevenção de patologias como a hipertensão, diabetes tipo II, doenças cardiovasculares e vários tipos de cancro. Também na diminuição do declínio cognitivo associado ao envelhecimento e na diminuição dos danos cerebrais em vítimas de AVC o mirtilo tem efeitos positivos e comprovados cientificamente”, informa Pedro de Carvalho, da Faculdade de Ciências e Nutrição do Porto, Portugal.

Chá de mirtilo (benefícios e como fazer)

chá das folhas de mirtilo é usado para casos de infecção urináriacistite, problemas digestivos, inflamações da boca, prevenção de diarreia, gases intestinais e colite.
Segundo os entendidos, as folhas do mirtilo são muito mais ricas em antioxidantes e princípios curativos do que as frutinhas azuis.

Receita de chá de folhas de mirtilo

Para fazer o chá de folha de mirtilo use o processo de infusão (colocar as folhas em água fervente e abafar) ou o de decocção (ferver as folhas junto com a água) pois o resultado é semelhante.
A quantidade de folhas que você vai usar para seu chá dependerá do tão concentrado que o queira tomar (eu indico um punhado de folhas frescas para 1 litro de água, ou a metade das folhas se estas forem secas).
Mas, as folhas de mirtilo, para chá, deverão ser colhidas na primavera e secadas à sombra para não perderem seu potencial curativo.

Receita de chá de mirtilo (frutas)

cha mirtilo
Caso prefira, ou não tenha folhas e sim frutos, faça o chá com frutas inteiras, com semente e tudo, por decocção, usando meia xícara de mirtilos amassados para meio litro de água.
Deixe ferver por até 10 minutos, abafe, coe e beba. Indica-se de 3 a 4 xícaras ao dia.

Suco de mirtilo

O suco de mirtilo, feito com as frutas frescas, tem os mesmos usos indicados para o chá, acrescentando-se todos aqueles em que as antocianinas sejam eficazes mas, principalmente, o consumo de frutas frescas de mirtilo é muito eficaz na recuperação da visão noturna.

Mirtilo na cozinha (geleia, iogurte e doces)

Você pode usar mirtilos no café da manhã, junto com iogurte ou salada de frutas; como suco ou em vitaminas; em tortas, bolos ou para preparar geleias.
Na indústria alimentar o mirtilo entra em iogurtes, sorvetes e sucos de cor roxa, azulada. Esta é uma das “frutas vermelhas”, tão ricas em sabor e saúde.
As frutas frescas podem ser congeladas ou batidas em polpa, para uso futuro.
Também é possível secar as frutinhas sem que percam suas qualidades.

Cultivar mirtilos é possível no Brasil?

Bom, se você morar em um dos estados do sul do Brasil, em região elevada, onde as temperaturas de inverno cheguem praticamente ao zero graus, você terá sucesso no cultivo de mirtilos, especialmente os da espécie Vaccinium aschei.
Se for este o seu interesse, dê uma olhada neste material da Embrapa aqui.

segunda-feira, 21 de março de 2016

Como realizar a amostragem de solo?





A amostragem é a primeira etapa no processo de avaliação da fertilidade do solo. Através dela é possível identificar os nutrientes presentes no solo e orientar os procedimentos de adubação e correção, para que o sistema agrícola seja produtivo, eficiente e econômico.

quarta-feira, 16 de março de 2016

Corrigindo a acidez da terra em Solos Arenosos

canteiros sítio Nena Baroni
Os solos arenosos apresentam teores de argila de até 20%. São solos com maior proporção de areia. Por isso secam mais rapidamente. A movimentação da água, para as camadas mais profundas do solo, é feita com muita facilidade. E nesta maior facilidade, a água carrega os nutrientes essenciais para os vegetais. 
São solos de baixa fertilidade natural, o pH é baixo, apresentam teores muito baixos de matéria orgânica, baixa Capacitação de Troca de Cátions, pobreza de nutrientes, deficiência de cálcio e presença de alumínio tóxico nas camadas mais profundas. 
O sistema radicular da plantas tem dificuldade para desenvolver em área e em  profundidade. Com isto, na época de estiagem, as raízes encontram dificuldades para buscar água e nutrientes nas camadas mais profundas, o que causa estresse na planta e contribui para a queda da produtividade das lavouras. 
A calagem nos solos arenosos é primordial e deve ser feita com maior frequência, à profundidades maiores e com bastante antecedência do plantio. 
canteiros sítio Nena Baroni
Os solos arenosos precisam de calagem mais frequente que os argilosos. Além da calagem, a adição de gesso agrícola favorece a mobilização do cálcio para as camadas mais profundas, bem como o ânion SO4- do sulfato de cálcio (gesso) reagirá com o Al tóxico formando compostos menos tóxico para as plantas. Isto criará um meio propício para o desenvolvimento radicular nas camadas mais profundas do solo.
O cálculo da necessidade de calagem (NC) em t/ha, para um solo arenoso, com menos de 20% de argila, é feita através de duas fórmulas, das quais a recomendação será aquela que apresentar a maior quantidade.
NC (t/ha) = Al x 2 x f        (1)
NC (t/ha) = [2 - (Ca+Mg)] x f.       (2)
Por hipótese, seja um solo arenoso com 15% de argila, com teores de Ca = 0,8 cmolc/dm³, Mg = 0,28 cmolc/dm³ e Al = 0,9 cmolc/dm³, utilizando um calcário com PRNT = 85%. Aplicando as duas fórmulas, encontramos:
NC (t/ha) = 2 x 0,9 x f     (1)
Lembrando que a recomendação oficial é para um calcário com PRNT de 100%, e como o calcário a ser usado tem PRNT = 85%, devemos fazer a correção (f) da quantidade:
f = 100 / 85 ou f = 1,17.
Assim sendo,
NC (t/ha) = 2 x 0,9 x 1,17     
NC = 2,1 t/ha      (1)
NC (t/ha) = [2 - (0,8+0,28)] x 1,17   (2)
NC (t/ha) = [2-1,08] x 1,17
NC (t/ha) = 0,92 x 1,17
NC = 1,08 t/ha     (2)
A escolha da quantidade deverá ser de acordo com o maior valor encontrado no cálculo das duas fórmulas, que neste caso será a fórmula (1): 2,1 t/ha.

Cálculo da Calagem para Solos Arenosos

quinta-feira, 26 de março de 2015

Porque modificar o pH do solo? Porque corrigir a acidez do solo?

pH do solo

Porque modificar o pH do solo:
A acidez do solo, pH é de grande influência na absorção dos nutrientes pelas plantas.
Solos muito ácidos ou muito alcalinos podem reter em ligações e compostos e a deficiência do nutriente na planta se faz sentir, mesmo que esteja no solo,estará indisponível para a planta.
pH do soloA correção do pH deste solo será necessária para que a planta se desenvolva.
Conforme a cultura a ser implantada e também com a recomendação de correção feita com a prévia análise de solos, temos:
- Solos muito alcalinos: torná-los mais ácidos,com a adição de folhas,cascas de árvores,folhas de coníferas,turfa,musgo, pó de serra, compostos vegetais
- Solos muito ácidos: Fazer calagem, que é a incorporação no solo de calcário (carbonato de cálcio), calcário dolomítico (tem também magnésio) ou Óxido de cálcio comercial (cal virgem) ou Hidróxido de cálcio (cal extinta).

pH do solo e os corretivos de acidez:

Deve-se fazer a análise de solos em laboratório, quando for usado o substrato mineral da propriedade.
Na análise vem o índice de pH e a quantidade de corretivo a usar, se necessário, para a cultura desejada a implantar. Consulte um profissional.
No comércio existem alguns elementos que são usados para corrigir a acidez do solo:
1. Calcário é um produto em pó, obtido pela moagem de rocha calcária, contém carbonato de cálcio e carbonato de magnésio.
2. Cal virgem de uso agrícola, quando o calcário é queimado, constituído de óxido de cálcio e óxido de magnésio, pó fino e cáustico.
3. Cal hidratada ou extinta, é a cal virgem com a adição de água, tornando-se hidróxido de cálcio e hidróxido de magnésio.
Os adubos tipo nitrogenados Salitre do Chile, nitratos de K e Ca, tendem a diminuir a acidez do solo e os amoniacais, sulfato de amônio, uréia e fosfato de amônio tende a acidificar.
A mistura feita pela indústria de fertilizantes abrange todos os macronutrientes e a maioria dos micros, em diversas formulações para as diversas culturas.
Em fertirrigação o costume é de utilizar os elementos separados, devido a precipitações por incompatibilidade de alguns elementos.

fonte:http://www.fazfacil.com.br/jardim/ph-solo/