Mostrando postagens com marcador alimentação alternativa. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador alimentação alternativa. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Moringa, a árvore mágica que pode acabar com a fome no mundo




Suas folhas verdes contêm mais cálcio que o leite de vaca e mais ferro que o espinafre

HAROLDO CASTRO & GISELLE PAULINO (TEXTO E FOTOS)| DO VALE DO RIO OMO, ETIÓPIA
24/06/2015 - 15h46 - Atualizado 11/06/2017 13h20

Resultado de imagem para folhas moringa
Poucos brasileiros ouviram falar de uma
 planta chamada moringa. Originária da Ásia e da África, a árvore de até 12 metros de altura fornece abundantes galhos carregados de pequenas folhinhas verdes. Considerada como uma panaceia para muitos males – de tratamento da malária a dores de estômago – e um alimento com alto valor nutritivo e com uma excelente composição de proteínas, vitaminas e sais minerais, a moringa é uma daquelas árvore que todos habitantes dos trópicos deveriam ter no quintal de casa.
Das 14 espécies identificadas, duas são as mais populares. Nativa das encostas do Himalaia, a Moringa oleifera foi reconhecida pela medicina ayurvédica como uma importante erva medicinal há quatro mil anos. A planta indiana acabou sendo disseminada por todo o mundo e chegou até o Brasil.
Uma espécie próxima é a Moringa stenotepala, nativa do leste da África. Segundo pesquisadores da Universidade de Addis Ababa, da Etiópia, que pesquisam a planta há quase duas décadas, a moringa possui uma elevada capacidade para combater diferentes doenças tropicais, tais como a leishmaniose.
Mas o que assombra os nutricionistas é sua composição como alimento. Pesquisadores concluíram que, comparada grama por grama com outros produtos, a moringa possui sete vezes mais vitamina C que a laranja, quatro vezes mais vitamina A que a cenoura, quatro vezes mais cálcio que o leite de vaca, três vezes mais ferro que o espinafre e três vezes mais potássio que a banana. E mais: a composição de sua proteína mostra um balanço excelente de aminoácidos essenciais (aqueles que precisamos ingerir pois o corpo humano não os produz).
Árvores de moringa  (Foto: © Haroldo Castro/Época)
Em um país lembrado por imagens de subnutrição, observar que a moringa etíope – a espécie Moringa stenotepala – é fartamente plantada na zona tropical do país nos dá um grande entusiasmo. Na estrada que sai de Arba Minch em direção ao sul, a árvore está espalhada em diversos campos de cultivo de milho, assim como ao redor das cabanas de palha dos habitantes da região.
Cerca de 90 km depois, chegamos em Konso, a porta de entrada para o território nativo dos povos do vale do rio Omo. Os vilarejos tradicionais da etnia Konso foram proclamados Patrimônio Mundial pela Unesco em 2011 devido aos terraços criados para a agricultura e às muralhas de pedras que protegem os assentamentos humanos.
Como se não bastasse a engenhosidade dos Konso com seus terraços, possibilitando uma agricultura sustentável nas encostas áridas das montanhas, os líderes da etnia plantam, há muitas gerações, árvores de moringa ao redor de suas casas. Assim, a folhinha verde tão nutritiva não falta a ninguém na comunidade e traz um mínimo de elementos nutritivos a toda a população, principalmente às crianças.
Árvores de moringa entre as cabanas dos habitantes Konso (Foto: © Haroldo Castro/Época)
Graças à moringa abundante e aos cereais e as leguminosas plantados nos terraços Konso, o fantasma da subnutrição afasta-se cada vez mais do sul da Etiópia. De fato, em todos os mercados semanais da região, sempre encontramos pencas e pencas de moringa fresca sendo vendidas para aqueles que não possuem uma árvore em seu quintal.
Thamyres Matarozzi, uma fotógrafa paulistana que viaja com nosso pequeno grupo de brasileiros, já conhecia a fama da moringa desde 2011 quando vivia em Londres. Por ser vegana e buscar uma alimentação consciente, Thamyres comprara na Europa dezenas de saquinhos de pó de moringa para complementar uma possível falta de proteínas ou vitaminas durante sua viagem à Etiópia. Qual não foi sua surpresa ao ver que quase todos os restaurantes onde comemos ofereciam moringa – ou, no idioma local, aleko – nas mais variadas formas, de sopa a refogado!
Thamyres compra um quilo de moringa fresca (Foto: © Haroldo Castro/Época)
Mulher da etnia Banna, com uma cabaça sobre seu penteado tradicional (Foto: © Giselle Paulino )
Uma jovem da etnia Ari chega com um carregamento de folhas de moringa nas costas (Foto: © Haroldo Castro/Época)
A moringa oferece ainda mais um presente às comunidades rurais. Devido a uma composição particular dos óleos e das proteínas contidas nas sementes, quando trituradas e misturadas a uma água turva e não potável, uma reação extraordinária é produzida: a água fica limpa. Como isso acontece? O pó das sementes de moringa possui a propriedade de atrair argila, sedimentos e bactérias, os quais acabam indo para o fundo do recipiente e deixando a água clara e potável.
Tanto as sementes da espécie etíope (Moringa stenopatala) como da asiática (Moringa oleífera) possuem as mesmas características de decantar a água. Pesquisadores do Instituto de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Minas Gerais comprovaram, em testes de laboratório, que as sementes da moringa asiática conseguem remover 99% da turbidez da água.
Com todos esses atributos, não é difícil considerar a moringa como uma das plantas mais generosas do planeta. Por isso, várias ONGs de desenvolvimento humano que combatem a pobreza e a fome a chamam de “super planta”, “árvore milagrosa” ou “folha que salva vidas”. 
Depois de saber tudo isso, nosso próximo passo será comprar sementes e plantar moringa em casa!
FONTE: http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/viajologia/noticia/2015/06/moringa-arvore-magica-que-pode-acabar-com-fome-no-mundo.html

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Ora-pro-nobis, o bife dos pobres



Ora-pro-nóbis, a planta que contém 25% de proteína

      Ela pode ser usada como cerca viva, ornamentação ou alimento. Mas uma coisa é fato: a ora-pro-nóbis vem conquistando cada dia mais as pessoas. Em especial, os veganos.
      A planta é originária do continente americano e seu nome
científico é Pereskia aculeata.
      Do latim, seu nome significa “rogai por nós”, e segundo tradições, esse nome foi dado por algumas pessoas que a colhiam no quintal de um padre enquanto ele rezava em latim.
      É encontrada em abundância na região Sudeste do Brasil e muito usada na culinária.
      Seu cultivo é fácil e seu valor nutricional muito alto. Adapta-se facilmente a diversos tipos de solo e climas. Ela pertence à família das cactáceas. Na idade adulta, sua estrutura em forma de arbusto torna-se uma excelente cerca viva, tanto para ser usada como quebra-vento quanto como barreira contra predadores. A existência de espinhos pontiagudos nos ramos inibe o avanço dos invasores.
      Sua floração ocorre por apenas um dia, podendo ocorrer de janeiro a abril com flores pequenas e perfumadas de coloração branca. A produção de seus frutos ocorre de junho a julho apenas, e são amarelos e redondos. A generosa e bela floração é um ornamento ao ambiente, ideal para decoração natural de propriedades rurais, como chácaras, sítios e fazendas. Suas propriedades já são bastante conhecidas justamente pelas pessoas que vivem nas zonas rurais, e a cultivam em seu quintal como remédio e alimento. Foi a partir desse conhecimento popular que a Ora-pro-nobis passou a chegar às grandes cidades, ainda de forma bastante tímida. 

TENHO MUDAS EM PORTO ALEGRE. agropanerai@gmail.com
orapronobis-cursos-cpt

   

sábado, 26 de agosto de 2017

Os Benefícios da Espinheira Santa

Resultado de imagem para chá de espinheira santa
Fonte:https://drjulianopimentel.com.br/artigos/principais-beneficios-da-espinheira-santa/

A Espinheira Santa é uma planta originária da América do Sul e muito presente na região sul do Brasil. Ela é utilizada há muito tempo pelos povos nativos dessas regiões como planta medicinal.
O nome espinheira santa se deve ao formato de suas folhas, que parecem ter vários espinhos e por ser considerada um “santo remédio” na linguagem popular.  Seu uso é muito útil no combate às dores de estômago, gastrite, úlcera, azia e queimação, devido às propriedades medicinais que possui. Ela também pode colaborar na perda de peso.
Neste artigo, eu irei falar mais sobre os benefícios da espinheira santa.
Não deixe de ler e compartilhar.

Propriedades Da Espinheira Santa.

Podendo ser utilizada como chá, as indicações de espinheira santa são várias.
Os usos clássicos são para úlceras gástricas e intestinais, gastrite, dispepsia, indigestão, constipação e problemas no fígado. Outras indicações incluem anemia, câncer e como contraceptivo.
O chá feito a partir das folhas também pode ser aplicado topicamente em lesões da pele e machucados.
Os fitoquímicos presentes na espinheira santa e que são os responsáveis pelas suas atividades biológicas no organismo humano são terpenos, triterpenos, taninos e alcaloides.
A espinheira santa possui boas quantidade de taninos, especialmente epigalocatequina, que têm poder cicatrizante de lesões ulcerosas no estômago por controlar a produção de ácido clorídrico no órgão. Os taninos também são poderosos antissépticos por paralisar as fermentações gastrintestinais (1).
Os óleos essenciais, especialmente o fridenelol, estão presentes na espinheira santa. Este óleo se destaca pelo efeito gastroprotetor. Por fim, a planta possui em sua composição os ácidos tônico e silícico, que possuem ação antisséptica e cicatrizante.

Espinheira Santa Emagrece?

O chá de espinheira santa pode sim te ajudar a emagrecer.
Isto porque ele possui um leve efeito laxativo, junto com a melhora na digestão e uma ação diurética.
Em resumo, a Espinheira Santa serve para emagrecer também por conta da grande melhora na digestão que ela propicia.
A digestão se relaciona diretamente com o acúmulo de gordura localizada. Com a digestão funcionando adequadamente, o seu corpo digere tudo que realmente precisa e tem capacidade de eliminar o que não precisa (2).
Mas é claro que a espinheira santa não é milagrosa, e para emagrecer a alimentação precisa ser rica em nutrientes, proteínas, frutas, verduras e gorduras saudáveis. Não adianta tomar chá e continuar comendo porcarias industrializadas e açucaradas.

Benefícios Da Espinheira Santa

mulher-tomando-cha-mulher-bebendo-ilustra-1347463762904_1024x768
O Chá De Espinheira Santa Ajuda A Melhorar Os Problemas Gastrointestinais
Dentre os principais benefícios da espinheira santa podemos destacar:
  1. Melhora Gastrointestinal
Pesquisas clínicas a respeito da espinheira santa começaram há muitas décadas e mostram os resultados positivos da planta e sua ação no combate a problemas estomacais, como gastrite, úlcera e gases.
As potentes propriedades antiulcerogências da espinheira santa foram demonstradas por um estudo em que o chá foi tão eficaz quanto dois dos medicamentos mais utilizados no combate às úlceras estomacais, a ranitidina e a cimetidina, aumentando o pH do conteúdo estomacal.
O baixo pH provocado pela secreção de ácido clorídrico naturalmente pelo estômago é o principal agente de úlceras quando essa secreção ocorre em excesso, esse ácido corrói as paredes do órgão levando a gastrite e até à úlcera (3).
Devido aos seus benefícios, o chá de espinheira santa pode ser indicado para os seguintes quadros clínicos:
  •         Má digestão;
  •         Azia e acidez estomacal;
  •         Refluxo;
  •         Gastrites, inclusive as causadas por Helicobacter pylori;
  •         Úlceras gástricas e duodenais;
  •         Perturbações do trato gastrointestinal;
  •         Enterites (inflamações do intestino);
  •         Flatulência;
  •         Mau hálito causado por distúrbios estomacais.
Mesmo com a ação digestiva, cicatrizante, antiinflamatória e protetora da mucosa gástrica, o médico deve sempre ser consultado para avaliar o benefício da inclusão da espinheira santa como auxiliar no tratamento dessas doenças.
  1. Risco Reduzido de Câncer
Estudos demonstraram a atividade de substâncias presentes na espinheira santa contra células cancerosas e tumores em concentrações bastante baixas.
A substância maitansina, um alcaloide, levou a expressivas regressões de carcinoma de ovário e linfomas, mais pesquisas não foram conduzidas pois observou-se alta toxicidade nas doses usadas.
Já um outro alcaloide, maiteína, apresentou baixa ou nenhuma toxicidade e teve excelentes resultados na redução de tumores epidermóides, ou seja, que se originam de células epiteliais, de até 60% com expressiva melhora na condição de vida dos pacientes (4).
Em 1990, pesquisadores japoneses descobriram a ação antineoplásica em um outro grupo de moléculas presente na espinheira santa pertencentes à classe dos triterpenos. Os experimentos mostraram citotoxidade ou inibição de vários tipos de leucemia e tumores.
Apesar da capacidade da espinheira santa em auxiliar nos tratamentos contra o câncer, a utilização dessa planta só deve ser feita com o aval médico.
  1. Outras utilizações
Outros benefícios e efeitos da espinheira santa incluem:
  •         Anticonceptivo;
  •         Antisséptico;
  •         Antiespasmódico;
  •         Diurético;
  •         Antiasmático;
  •         Antitumoral;
  •         Laxativo;
  •         Combate enfermidades do fígado;
  •         Abortivo;
  •         Cicatrizante.

Como Fazer Chá De Espinheira Santa?

As doses recomendadas de chá de espinheira santa são de até três xícaras ao dia.
Para fazer o chá ferva cerca de 30g de folhas picadas em meio litro de água e deixe esfriar.
Se possível, utilize sempre a erva fresca e natural para o preparo do chá, evitando o uso de sachês.

Contraindicações Da Espinheira Santa

Mulheres que fazem tratamento para fertilidade ou que estão tentando engravidar não devem fazer uso de espinheira santa devido ao seu efeito abortivo descrito em pesquisas científicas.
Mulheres amamentando também não devem fazer uso da espinheira santa, pois estudos demonstram que pode ocorrer redução do leite materno (5).
A espinheira santa também não é recomendada para crianças.
Mas de maneira geral a espinheira santa é saudável, benéfica para a sua saúde e emagrecimento.
O chá de espinheira santa é um dos 10 melhores chás termogênicos que te ajudam a secar barriga. Se você quer descobrir quais são os outros nove, basta preencher o formulário abaixo para ter acesso ao meu Guia GRATUITO sobre chás termogênicos.
Abraços e fique com Deus!
Dr. Juliano Pimentel.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Conheces a Capuchinha (Tropaeolum majus L.)??

Fonte: http://www.fazfacil.com.br/jardim/capuchinha-tropaeolum-majus/
Escrito por 
Conheça a capuchinha, planta inteiramente comestível, incluindo as flores. Aprenda a cultivá-la: ela também possui propriedades medicinais.
Nome botânico: Tropaeolum majus L.
Sin.: Cardaminum majus (L.) Moench
Nome popular: capuchinha, cinco-chagas, agriao-do-mexico
Familia: Angiospermae – Família Tropaeolaceae
Origem: desconhecida, provável  América do Sul

Descrição

Planta herbácea rasteira de caule e talos suculentos de dimensões imensuráveis.
Folhas circulares com pecíolo partindo do meio dando aspecto de sombrinha. Flores de formato original, com uma das pétalas em formato de espora, nas cores creme, amarela, laranja e vermelha.
capuchinhaO florescimento ocorre da primavera até o verão e as flores atraem insetos polinizadores, principalmente abelhas e vespas.
É uma planta considerada ruderal, crescendo em terrenos baldios, sobre qualquer tipo de terreno, inclusive sobre restos de madeira e tijolos de resíduos de construção.
Pode subir em cercas de tela, formando densa cortina. Pode servir como ornamental.

Modo de Cultivo

Pode ser cultivada a partir de sementes em solo úmido de qualquer tipo, em local definitivo, pois mudas transplantadas não se desenvolvem tão bem.
Local de cultivo ao sol com umidade moderada. A duração da muda é variável, de anual a bianual. Sementes caídas e brotadas poderão levar a denso tapete da planta, ficando como permanente no local.
Quando localizada em horta caseira poderá tornar-se invasora, abafando as outras plantas vizinhas.

Propriedades Medicinais do Capuchinho

capuchinha salada comestívelÉ considerada medicinal, com vários usos terapêuticos, como antibiótica, expectorante, digestiva, antisséptica, diurética e cicatrizante de feridas.
A capuchinha está repleta de princípios ativos benéficos, tais como vitamina C, flavonoides, ácidos graxos, oxalatos, óleos essenciais, pigmentos, substâncias bactericidas, ferro, iodo, cálcio, enxofre, potássio, frutose e glicose.
Combate a retenção de líquidos, infecções urinárias, algumas alergias de pele e problemas digestivos. Ajuda a cicatrizar feridas e aliviar a caspa.
Além disso, toda a planta é comestívelAs flores podem ser usadas em saladas e ornamentação de pratos. As folhas em saladas cruas ou empanadas. Os frutos dão saborosos picles, lembrando as alcaparras.
Seu sabor é forte e característico, nem sempre do agrado de todos.
Fotos utilizadas sob licença Creative Commons: costantino.berettadaryl_mitchell