Mostrando postagens com marcador flores. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador flores. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

12 Flores Que Você Precisa Ter Na Sua Horta: Elas Ajudam Muito Na Horta Orgânica

Fonte: site somosverdes.com.br

Atualmente, muitas pessoas têm feito hortas em suas casas. Esse fato de se deve às incertezas que rodam as plantações. Mas para ter sua horta você precisa saber quais flores que você precisa ter na sua horta e o porquê.
Algumas pessoas não confiam em produtos de determinadas fazendas e duvidam se o alimento leva ou não agrotóxico.
Apesar da fiscalização e dos produtores dizerem que não utilizam, é difícil de acreditar.
Sabemos o quanto os agrotóxicos fazem mal à saúde e também ao meio ambiente.
Dessa forma, aos poucos, foram surgindo as hortas caseiras e você precisa saber quais flores que você precisa ter na sua horta para que ela prospere.
As pessoas, então, passaram a procurar formas de cuidarem de suas hortas sem o uso de agrotóxicos.
Com esse intuito, nós preparamos uma lista com 12 flores que você precisa ter na sua horta.
Mas antes, não se esqueça de compartilhar este conteúdo na sua rede social favorita.
Vamos à lista!

12 flores que você precisa ter na sua horta

Procuramos trazer para vocês, flores que podem ajudar no combate de pequenas pragas e que também tragam  outros benefícios, como por exemplo plantas que possuem flores ou folhas comestíveis.
Vamos começar.

#1 Calêndula

flores que você precisa ter na sua horta
fonte: dicasdemulher
A calêndula é uma flor belíssima e muito conhecida pelas suas propriedades medicinais e é uma das flores que você precisa ter na sua horta.
Essa flor é utilizada na fabricação de pomadas e cremes para cicatrização de ferimentos e também de anti inflamatórios.
Ela também é comestível. Suas pétalas podem ser utilizadas em saladas, tortas, sobremesas, receitas de bolos, biscoitos, pães, entre outros.
Todavia, o ponto mais importante para se ter essa flor na sua horta é sua propriedade de repelir pragas como afídeos (pulgões) e insetos sugadores. Ela, também, ajuda a combater nematoides do solo.
A calêndula gosta de solos bem drenados e de sol.

#2 Camomila

fonte: opas.org.br
A camomila é uma planta medicinal. Além disso, ela atrai moscas que devoram os pulgões.
Ela também repele insetos como ácaros.
A camomila pode ser plantada perto da couve, por exemplo, como uma forma de realçar o seu sabor.
Ela também ajuda no restabelecimento de plantas fracas, além de seu chá ser eficiente para muitas doenças nas plantas.

#3 Capuchinha 

fonte: chabeneficios
A capuchinha é uma das flores comestíveis mais versáteis, pois suas flores, folhas e sementes podem ser utilizadas em pratos.
Essa flor também pode ser usada para decoração. Cultivá-la é muito fácil, sendo comum encontrá-la em terrenos abandonados.
A capuchinha é muito versátil, pois floresce em quase todo o ano.
Além de atraírem polinizadores e inimigos naturais das pragas como afídeos (piolhos) e nematoides. Também servem como barreira, pois atraem as borboletas para si e dessa forma as couves não são devoradas.

#4 Catinga-de-mulata

fonte: pinterest
A catinga-de-mulata é também conhecida como cheiro-de-mulata, tanaceto, atanásia ou erva-de-São-Marcos.
Essa flor possui aroma forte e por isso repele os insetos voadores da sua horta.
Ela pode ser plantada em toda horta e ainda é utilizada para fazer água de cheiro.

#5 Crisântemos

fonte: floreswiki
O crisântemo possui diversas cores.
Ele é um repelente natural de insetos como mosquitos, percevejos, pulgas e carrapatos.
Além disso, suas flores são comestíveis.

#6 Flor-de-mel

fonte: canetaespia
A flor-de-Mel ajuda no controle da sua horta, pois ela atrai os sirfídeos (mosca das flores) que são grandes predadores dos pulgões, cochonilhas e tripes.
Os sirfídeos são melhoras do que as joaninhas para encontrar e devorar os pulgões.
A flor-de-mel é perfumada e atraem abelhas para fazerem a polinização, além de possuírem flores comestíveis.

#7 Gerânios

O gerânio é uma flor que ajuda como repelente de moscas e mosquitos.
Ao plantar na sua horta, plante-os como companheiros das hortaliças, pois eles irão repelir vermes de repolho, cicadelídeos e ácaros da aranha vermelha.
Você também pode plantar ao redor da horta como uma espécie de cerca.
São plantas muito bonitas e possuem diversas cores. São também comestíveis.

#8 Gergelim

fonte: terra
O gergelim atua como barreira contra formigas cortadeiras.
Frequentemente as formigas são atraídas para essa planta e ao levarem ao formigueiro acabam destruindo o fungo do qual as formigas se alimentam.

#9 Girassol

fonte: curasaudavel
O girassol é uma flor belíssima. Ele repete alguns insetos e atrai polinizadores.
Também pode servir para atrair algumas pragas que irão preferir ele às hortaliças.

#10 Maravilha

fonte: omeujardim
Essa flor pode ser usada na prevenção de viroses em tomates e pimentões, sendo aplicada nas mudas.
Esta flor também é muito conhecida como Mirabilis.

#11 Onze-horas

fonte: wikipedia
A onze-horas é uma flor comestível, medicinal e altamente nutritiva.
Ela é rica em ômega 3 e ajuda a reter a umidade do solo.
Pode ser plantada ao redor do milho.
A onze-horas atrai polinizadores, alimentando abelhas no inverno.

#12 Tagetes

fonte: wikipedia
Os tagetes são vulgarmente conhecidos como cravo-de-defunto, pois possuem odor forte e um pouco desagradável.
Eles são repelentes naturais de muitos insetos prejudiciais ao cultivo de plantas e protegem contra os nematoides.
Os tagetes também ajudam na prevenção da broca no tomateiro, funciona como repelente da mosca-branca e é usado em receitas de defensivos naturais.

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

COMO CUIDAR DA SUA ORQUÍDEA PHALAENOPSIS


fonte: blog flores i flores
OrqudeaOlá a todos, esta semana diversos clientes que compraram nossas orquídeas Phalaenopsis nos fizeram a mesma pergunta: - Como faço pra cuidar dela? Devido a isso decidi postar hoje sobre "Como cuidar da sua Phalaenopsis".
Decidi escolher esta orquídea para fazer parte do banner da loja devido à sua beleza incomparável. Vamos saber mais sobre ela.
O gênero Phalaenopsis foi criado em 1825 por Karl Ludwig von Blume , ela foi batizada com esse nome a partir de duas palavras gregas “phalaina” (falena, mariposa) e “ópsis,-eos” (visão, ação de ver) . segundo Karl suas flores sparecem com as asas de mariposas.
Na época ele fez o estudo o exemplar utilizado na pesquisa foi da espécie Phalaenopsis amabilis, descrita algum tempo antes (1741 e 1750) pelo botanista holandês Georg Ebehard Rumpf (ou Rumphius).
No gênero Phalaenopsis estão catalogadas cerca de 50 espécies, a maioria epífita e ocasionalmente litófitas, distribuídas por toda Ásia tropical, sudeste da Índia e Nepal, Nova Guiné, norte da China, Taiwan e Austrália, mas é nas Filipinas que está concentrada maior riqueza de espécies nativas.

CARACTERISTICAS  DA ORQUÍDEA PHALAENOPSIS

Orqudea PhalaenopsisApresentam caule praticamente nulo com folhas largas e suculenta, onde é armazenada sua reserva nutricional, é monopodial, de crescimento sucessivo, possui raízes longas, grossas e flexíveis.
Sua floração ocorre a partir de uma haste que parte de seu caule e desenvolve suas flores no decorrer da mesma.

SUBSTRATO

O substrato pode ser composto por fibra de coco destratada, casca de pinus, carvão, casca de arroz carbonizada, semente de açaí carbonizada ou até mesmo uma mistura deles.
Deve ser mantido levemente úmido, não devendo ser encharcado, caso isso aconteça suas raízes apodrecerão e a planta morrerá.

LOCAL

É ideal para cultivo em ambientes fechados ou apartamentos, desde que o local tenha uma mínimo de ventilação natural e principalmente boa luminosidade indireta e esteja exposta a um mínimo de luminosidade solar filtrada entre 7 e 9 horas da manhã ou das 16hs até o anoitecer. Resolve-se isso colocando seu vaso sobre aparadores junto de janelas. No habitat de origem, as Phalaenopsis vegetam em baixas altitudes de florestas tropicais asiáticas onde a temperatura média diurna varia entre 28 e 35º C e noturna na faixa dos 20 a 24º C e sob luminosidade natural filtrada pela copa das árvores, sem incidir diretamente nas folhas, a não ser aquela ainda fraca do amanhecer ou anoitecer. Baseado nisso fica mais fácil seu cultivo em interiores ou exteriores.

REGAS E ADUBAÇÃO

A orquídea Phalaenopsis, como a maioria das orquidáceas, se desenvolve bem com boa umidade ambiente no substrato em vaso ventilado (vasos com furos nas laterais, mas nunca encharcado. Regas uma vez ao dia, preferencialmente no amanhecer ou entardecer, quando os estômatos (micro orifícios localizados na parte de baixo das folhas) nas folhas estão abertos e receptivos a nebulização úmida do ar absorve os nutrientes, o mesmo ocorrendo com os velames micro porosos que compõem todo o enraizamento da planta.
Para evitar acúmulo de água na junção de suas folhas, o ideal é cultivar a planta um pouco inclinada, principalmente nos casos em que se tenha muitos vasos, regando-os com esguicho ou aspersores.
Orqudea PhalaenopsisNa adubação de manutenção e crescimento há quem faça o uso de ADUBO CRISTALIZADO SOLÚVEL EM ÁGUA e que deve envolver além dos micronutrientes já incorporados na fórmula química, os macronutrientes N-P-K na proporção 10-10-10 ou 20-20-20. Para floração a composição muda para reforço maior em Fósforo (P) e pouca coisa a mais em Potássio (K)– válido para a maioria das orquídeas – na fórmula 10-30-20. Se na região onde você residir não tem a fórmula com esses valores, não é problema, compre o que encontrar desde que tenha proporção parecida ainda que apresente esses números reduzidos (aliás é o que mais encontramos no interior do Brasil nas lojas de jardinagem ou produtos agropecuários).
Adubação orgânica composta pela mistura de torta de mamona substituindo o Nitrogênio (ureia) químico (N), a farinha de osso ou de ostras substituindo o Fósforo(P) e cinzas de madeiras diversas no lugar do Potássio (K), são excelente variante de adubação para orquídeas. Apesar de orgânico, esses componentes devem ser usados com a mesma cautela ou cuidado quando usamos adubação química, tendo em consideração que o ideal é usar em quantidade mínimas ou homeopáticas a fim de evitar danos à sua planta.
Orqudea Phalaenopsis AlbaExemplificando: Se no folheto ou modo de usar do frasco diz uma colher de chá para um litro de água, diminua para uma colher de café, ou naquela quantidade maior, aumente em três vezes a quantidade de água, guardando em frasco plástico fechado (garrafa pet por exemplo) e com essa água molhe a planta uma vez ao dia, até que essa solução nutricional acabe. Lembre-se apenas de agitar o frasco antes do uso.
Agindo assim a orquídea não terá problema de super dosagem e intoxicação.

FLORAÇÃO E NOVAS MUDAS

A Phalaenopsis apresenta flores vistosas, coloridas, que variam do branco ao vermelho, passando pelo amarelo, creme-esverdeado, roxo, estriadas e incontáveis nuances de cores, pintalgadas ou não, principalmente nas espécies híbridas, plantas mais usadas para embelezar interiores.
São sempre trilobadas e podem apresentar diferenças de forma, considerando a origem de sua origem genética nos cruzamentos. Apesar da exuberância de suas florações seu perfume, se existir é praticamente nulo. Ainda não encontrei durante o dia uma Phalaenopsis híbrida perfumada. Diz-se que ela seria polinizada na madrugada por um tipo de mariposa (falena) que aliás, são insetos de hábitos noturnos, diferentes das borboletas que possuem hábito diurno. Qualquer dia desses vou acordar durante a madrugada para verificar e conto a você na próxima postagem (risos)!
Muda de orqudea Phalaenopsis
As orquídeas Phalaenopsis costumam nos presentear com uma nova floração na mesma haste floral onde tenha tido floração anterior, soltando nova inflorescência nos nódulos velhos (ou gemas), por isso, mesmo depois da floração recomenda-se não cortar a haste até que ela esteja totalmente ressecada.
Em algumas situações a planta pode desenvolver nesses nódulos velhos, novas mudas.
Alguns orquidófilos após a floração anterior, costumam medir cerca de um palmo (cerca de 22 cm) na haste floral a partir da base da planta, cortando ali. Em seguida cauterizam o ferimento com uma colher quente e/ou passam pasta de canela em pó úmida evitando germes oportunistas como fungos e bactérias.
Nesse pedaço de 22 cm de haste que ficou na planta costuma nascer outra haste floral. Borrifar solução de água filtrada com complexo vitamínico B ou hormônio enraizador (tiamina de boro ou 2 comprimidos de BENERVA esmagados e dissolvidos num litro de água - e ácido giberélico). Com o tempo poderá surgir novas mudas nos nódulos dessa haste. Somente destacar as novas mudas quando estas estiverem com as folhas duplas crescidas e apresentando enraizamento, replantando-as conforme já explicado acima.
DICAS FINAIS: Muitos orquidófilos usam canela em pó colocada na palma da mão e soprando-a sobre as raízes das Phalaenopsis, visando proteção contra fungos e bactérias, e dizem, obtendo melhor floração com a planta mais saudável.
Em breve postaremos como fecundar a flor da Phalaenopsis para ela criar o bulbo e gerar sementes
Caso queira aprofundar seus conhecimentos a respeito do cultivo de orquídeas leia também nossa postagem sobre Adubação de orquídeas

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Aprenda a Fazer um Jardim no Vaso Encantador

É indiscutível o fato de que um jardim deixa o nosso lar com mais vida. Pena que nem sempre temos um grande espaço com terra para cultivar. Nesse caso, usar um vaso para plantar pode ser a escolha ideal. Além de ser uma ótima forma de levar o verde para pequenos espaços, o jardim no vaso também é perfeito para decorar.
Criar um jardim no vaso é algo que qualquer pessoa pode fazer; afinal, o processo de montagem é bem simples e rápido. Para deixar esse momento ainda mais divertido, as crianças também podem participar. O contato com a natureza não só relaxa os adultos, mas como também contribui para a educação ambiental da criançada.
Por isso, vamos ensinar o passo a passo para que você consiga recriar essa ideia em casa. Vamos mostrar como preparar o solo, como plantar e como decorar o vaso.
O resultado desse tutorial é um mini jardim que mais parece ter saído de um conto de fadas! Se você gostou dessa ideia, continue com a gente para aprender todos os detalhes desse maravilhoso projeto de jardinagem.

Materiais Necessários

jardim no vaso
  • Vaso para plantas – grande e redondo
  • Terra vegetal
  • Substrato para plantas
  • Areia
  • Adubo
  • Gravetos pequenos
  • Flores pequenas – como Calêndulas, Margaridas e Violetas
  • Pazinha para jardinagem
Dicas: A maioria dos materiais necessários para montar o jardim podem ser encontrados em lojas de jardinagem e também em floriculturas.

Elementos decorativos

  • Mini arco feito de arame
  • Vasilha de água para pássaros
  • Borboletas de acetato
  • Musgo
  • Pedras para jardim
Dica: Os elementos decorativos sugeridos acima podem ser substituídos por aqueles que forem mais acessíveis para você. Uma sugestão é utilizar peças e brinquedos em miniatura, como bonequinhas, casinhas e regadores.

Passo a Passo

Prepare o solo

Para evitar carregar peso, prepare o solo no próprio lugar onde ficará o vaso – sugerimos a varanda ou a área privativa, espaço muito comum em apartamentos.
1. Em uma vasilha, misture partes iguais de terra vegetal, substrato e areia até obter a quantidade necessária para encher o vaso.
2. Junte um pouco de adubo e misture para que fique bem distribuído.
Dica: não exagere na quantidade de adubo. Na dúvida, verifique as recomendações de uso na embalagem do produto. 
3. Forre o fundo do vaso com gravetos para auxiliar na drenagem da água. Em seguida, despeje a mistura feita com a terra. Caso necessário, complete com terra vegetal pura.
4. Molhe o solo todos os dias, 15 dias depois ele estará pronto para receber as flores.

Monte o jardim

1. Para montar o jardim, distribua no vaso os elementos decorativos maiores. Em seguida, crie um caminho de pedras.
2. Coloque um pouco de musgo em volta do caminho de pedras. Se não tiver, substitua por serragem ou por brita fina.
Dica: Para segurar o musgo no lugar, até em dias de ventania, pregue o musgo na terra com palitos de dente.

3. Com a pazinha para jardinagem, faça algumas covinhas na terra e plante as flores. Aperte um pouco a terra para que a raiz fique firme.

4. Adicione as decorações menores no final, como mini borboletas de plástico ou pássaros decorativos.

5. Por último, molhe a terra e encha de água a vasilha dos pássaros.
Dica: Não se esqueça de trocar a água e de lavar a vasilha regularmente para evitar problemas com o mosquito da dengue.
Como resultado, você terá um encantador jardim no vaso. Como você deve ter percebido, nem é preciso muito espaço para montar esse pequeno oásis verde. Use nossas dicas, juntamente com sua criatividade, para montar um mini jardim com a sua cara.
Se você gostou desse tutorial de jardinagem, deixe seu recado pra gente nos comentários!

Mariana Barbosa

Formada em Letras pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, redatora na Revista Artesanato. Acredita que o aprendizado tem o poder de transformar a vida das pessoas.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Como podar e cuidar de suas roseiras



Marcelo Marthe foi ao sítio de um grande produtor do Ceasa para mostrar
como cuidar corretamente das roseiras, desde o plantio até a poda, que
acontece no inverno. Até a posição da tesoura faz diferença.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Aprenda como fazer mudas de Brinco-de-princesa

Fonte: blog jardinet

Sementes de flores Feltrin
Como fazer mudas de Brinco-de-princesa

Quer aprender a fazer mudas dessa planta de flores belíssimas e super atrativas para os beija-flores?

       Há duas formas de propagação do brinco de princesa. A primeira e menos indicada é através de sementes. A segunda, e a que mais uso por aqui, é por estaquia da ponta dos ramos. Para a estaquia, ramos de 8 à 10 cm já são suficientes, você pode inclusive utilizar os ramos das podaspara fazer as estacas. Retire as folhas da base deixando apenas umas 2 ou 3 folhas e procure ramos sem flores. Se não conseguir corte os botões florais.
Estaquia do brinco-de-princesa em sementeiras

       Depois é só plantar o raminho num substrato bem úmido protegido do sol direto. Lembre-se também de usar um recipiente com furos no fundo para drenar o excesso de água. Quando a estaca começar a produzir novas folhinhas e raízes é sinal de que ela já "pegou" daí é só transferi-la para um vaso maior e o crescimento dela a partir daí é muito rápido

Como fazer a propagação da brinco de princesa
Uma semana após a transferência para o vaso

Obs: Faça as estacas quando o tempo estiver mais úmido, pois assim ficará mais fácil delas "pegarem". O tempo da chuva é o melhor momento!

       Caso opte pela propagação por sementes, espere até que o frutinho esteja bem maduro, retire as sementes e lave-as em água corrente para retirar a polpa do fruto. Para semeá-las coloque-as numa sementeira ou recipiente com furo no fundo para a drenagem de água e cubra as sementes com uma fina camada de terra. Deixe a sementeira em local bem iluminado sem luz solar direta e boa sorte com suas sementes!

Como semear as sementes do brinco-de-princesa?
Fruto com sementes do brinco-de-princesa

terça-feira, 18 de abril de 2017

Conheça onze plantas que crescem mesmo sob a sombra

Veja como conciliar uma rotina corrida e manter uma planta dentro de sua casa

Plantas
Talvez você conheça a seguinte história: você compra ou ganha uma linda planta, mas graças à rotina corrida (o que significa a falta de tempo para cuidados com jardim), ela fica sem o sol necessário para conseguir sobreviver. Conclusão: logo a planta estará morta e sua casa perderá um pedacinho de verde.
Se você se identificou com a história e acha que ter uma planta dentro de casa é quase impossível, essa matéria irá renovar suas esperanças. Confira abaixo a relação de algumas espécies que são aptas a sobreviverem sem muita exposição ao sol.

Espada de São Jorge

Espada de São Jorge
De origem africana, a espada de São Jorge é uma planta que exige pouca manutenção e apresenta grande resistência. Deve ser plantada em lugares com meia sombra, tolerando tanto ambientes iluminados quanto sem luz alguma. Consegue aguentar situações de extremo calor ou extremo frio, e deve ser regada sempre que seu solo estiver seco.

Aglaonema

Aglaonema
Essa planta originária na Ásia, Filipinas e Oceania, possui cerca de 50 espécies. Ela consegue aguentar baixas temperaturas, e precisa apenas ficar na sombra. Deve ser plantada em um solo bem drenado, e sempre regada quando a terra parecer seca. É ótima para ter em casa pois filtra toxinas presentes no ar.

Jiboia ou pothos

Jiboia ou pothos
Essa planta possui cerca de oito espécies, sendo originária nas Ilhas Salomão,Oceania. É muito prática, pois consegue se adaptar ao ambiente em que se encontra. Não precisa de muita luz, e é outra planta ótima por purificar o ar e retirarformaldeído dele.

Lírio-da-paz

Lírio-da-paz
Original da América Central, é uma planta que combina beleza com cuidados simples. Resiste a climas de baixa temperatura, e precisa de uma umidade moderada. No caso dela, é preciso evitar o uso de prato com água sob o vaso. Assim como as outras, também remove formaldeído e monóxido de carbono do ar.

Antúrio

Antúrio
Original da Colômbia, essa planta é tradicional no paisagismo por sua beleza e por ser de fácil cultivo e manutenção. Deve sempre estar a meia sombra e ser regada regularmente, porém sem encharcar.

Zamioculcas

Zamioculcas
Original da Tanzânia e de Zanzíbar, é considerada popular para ambientes internos por ser uma planta decorativa. Ela é bem resistente por conseguir aguentar alta exposição solar ou falta dela, além de poder ficar muito tempo sem ser regada. Só tome cuidado para não colocar a planta em um vaso com muita água - ela deve ter o solo apenas ligeiramente úmido.

Camedórea-elegante

Camedórea-elegante
Se você tem uma sala com sombra indireta, essa é a sua planta. Com origem na América Central, ela apenas necessita de um vaso e água quando seu solo parecer seco.

Babosa-de-pau

Babosa-de-pau
Planta brasileira, é conhecida por seus efeitos em produtos como tonificantes do bulbo capilar, hidratante e condicionador do cabelo. Por ser tipicamente tropical, é necessário que ela fique à meia sombra. É uma planta que não suporta temperaturas baixas e deve ser regada sempre que seu solo estiver seco.

Bambu da sorte

Bambu da sorte
Considerada sinônimo de boa sorte quando dado de presente, essa planta tem em seu nome bambu, porém não possui bambu algum. Para manutenção, é necessário trocar a água uma vez por semana e expô-la a luz solar indireta. Com origem no Taiwan, é uma planta importante no feng shui.

Singônio

Singônio
Original da Nicarágua, é uma planta de folhagem decorativa. Por não ser tolerante ao frio, deve estar sempre em uma sombra úmida e ser regada com frequência, sempre que seu solo estiver seco, porém sem encharcá-lo.

Peperômia

Peperômia
Essa planta cresce com luz solar de forma moderada ou luz florescente, tornando-se assim uma opção popular em escritórios. Nativa da América do Sul, precisa de água de forma moderada e de condições de ambiente úmido.

sábado, 14 de maio de 2016

Época de cuidar das Rosas e Roseiras


RosaPodar envolve a remoção de qualquer rosa danificada, doente ou morta, para aprimorar a aparência, estimulando o crescimento e o controle de pestes e doenças. Podar de um jeito impróprio ou erroneamente poderá afetar a floração e o crescimento. O “como e quando” de cortá-las é determinado pelo tipo da mesma. Aqui irei dar alguns passos básicos para aparar sua rosa.

As plantas estarão prontas para serem podadas quando o arbusto começar a ficar sem folhas, ou então com algumas folhas durante a estação de inverno. Use uma faca afiada ou tesouras de poda e lembre-se de que deverá cortá-las aproximadamente a um centímentro abaixo do botão de rosa. Remova todas os cabinhos velhos, doentes ou danificados. Tire fora os caules que atravessam direto ao centro e reduza o centro da planta.
Reduza em 1/3 a parte crescida na última estação. Os cortes finais ajudam a determinar a forma da planta. Depois que limpar o resto da sujeira na planta, cheque se há insetos ou algum tipo de doença.

Fertilização

Ainda que algumas roseiras possam florescer sem fertilização, elas precisam dos nutrientes para chegar ao máximo de sua performance. Então, para isto se torna necessária a aplicação de fertilizantes de sua preferência. Os três nutrientes básicos para um crescimento saudável de qualquer tipo de planta são: Nitrogênio, Fósforo e Potássio.
Não fertilize novamente as rosas até que os botões floresçam. Evite usar fertilizantes químicos, tente as seguintes alternativas orgânicas: Torta de mamona, farinha de ossos, esterco curtido, cinzas sem sal, compostos orgânicos, emulsão de peixe (adubo feito com água de aquário mais resto composto de peixes de água doce), adubo comum, húmus de minhoca, alga marinha ou adubo vegetal.

Irrigação

RosaA quantia e a freqüência de irrigação irão depender to tipo de solo, tamanho do arbusto, e da precipitação pluviométrica de sua área. Se você vive em uma área empoeirada, deverá limpar as folhas de sua rosa pelo menos uma vez por semana (você irá fazê-las um grande favor!), e isso também ajuda a retirar pequenos insetos que grudam debaixo das folhagens. Alguns outros tipos de rosas precisam de irrigação toda manhã, mas evitando que deixe cair gotinhas de água nos botões e na folhagem, e providenciando forração na base de sua planta, para que o solo segure a umidade.
O uso da forração em volta das roseiras ajuda a deixar o solo umedecido, e também atrasa o crescimento das ervas daninhas. A forração pode ser feita de muitos materiais, como: Pedaços de madeiras, palhas ou grama seca recortada em pedacinhos. Materiais decorativos como madeira dura retalhada, casca de pinus, casca de coco podem ser usadas também. Quando aplicar qualquer forração, não amontoe na base dos caules, e sim espalhe por todo o vaso, com mais ou menos 3,4 centímetros de espessura (Sempre recoloque caso precise!).

Pragas e Doenças

Insetos e doenças nas folhagens poderão afetar suas rosas. Existem três tipos de problemas, a saber: Fungos, poeira e ferrugem. Para os fungos, você deverá limpar perfeitamente os restos de folhagem velha caídas durante as podas, e pulverizar com um fungicida que você tenha preferência.
O saneamento do jardim é a melhor maneira de acabar com a ferrugem que pode surgir em suas folhas e pode ser controlada com fungicida. Insetos e ácaros, como pulgões, tripes, besouros, larvas, moscas, lagartas e vermes, também causam problemas em suas plantas. Os Ácaros são os que mais causam danos às rosas. Os inimigos naturais dos ácaros e muito bem recomendados são as joaninhas. Elas comem os pulgões, que consequentemente poderiam deixar suas flores murchas e deformadas. Os pulgões gostam de sugar a seiva das plantas, e produzem uma excreção levemente doce que atraem formigas, outras inimigas das plantas.
Para um melhor controle de besouros, lagartas e vermes mate-as manualmente usando luvas. Os tripes deformam as pétalas das rosas. Para controlá-las use inseticida debaixo das pétalas, fazendo uma certa cobertura para todas as pétalas e botões abertos. O controle é fácil e a prática da prevenção, com o uso regular dos produtos adequados, controla a maioria dos problemas com fungos, ácaros e insetos.
Texto e Fotos: Christiane Calderan


Raquel Patro é a criadora e administradora do site Jardineiro.net. Formou-se em Veterinária em 2006, quando curiosamente passou a se dedicar ao estudo das plantas e sua interação com os jardins.
Categorias: Cuidados e Dicas, Jardinagem

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Flores comestíveis: descubra estas delícias



Na chegada da primavera, conhecça os benefícios das flores comestíveis, plantas ricas nutrientes



A maior parte das plantas aromáticas ou medicinais que conhecemos têm flores que são comestíveis. É o caso da manjerona, coentro, cebolinho, hortelã, rosmaninho, rúcula e salvia entre outras.

.
Lista de Flores Comestíveis e seus nomes científicos


Planta                                   Parte comestível                                                       Nome Cientifico

Abóbora                              Flores e fruto                                                            Curcubita máxima

Beldroega                            Flores e folhas                                                           Portulacea oleracea

Calendula                             Flores e Folhas                                                         Calêndula officinalis

Capuchinha                         Flores, botões de flor, folhas e sementes                     Tropaeolum majus

Dente-de-Leão                    Flores e folhas                                                          Taraxum officinale

Feijão                                 Flores, fruto                                                               Phaseolus vulgaris

Girassol                                Flores                                                                      Helianthus annus

Hibisco                                Flores (pétalas)                                                        Hibiscus rosa-sinensis

Pepino                                  Flores e fruto                                                           Cucumis sativus

Perpétua                              Flores                                                                        Centaurea cyanus



.  Além destas, podem também comer-se as folhas e flores do Amor-perfeito (viola), das zinias, das videiras e de muitas outras plantas. Já é possível encontrar no mercado uma variedade razoável de flores comestíveis.

Nota Importante

Existem aromas culinários naturais, como flor de laranjeira, geranium, jasmin, rosa e até violeta que se utilizam sobretudo em pastelaria e são originários de plantas perfeitamente comestíveis. Existem no entanto também aromas de plantas que são muito tóxicas, como por exemplo o Lírio-de-Maio (Convallaria maialis) e não deverão NUNCA os aromas ser tomados como referência para comer determinada flor.

Colher as Flores do meu Jardim

É preferível colher as flores abertas no dia, de manhã, depois de secas naturalmente do orvalho e sobretudo que sejam consumidas rapidamente.

É possível secar pétalas, ou até pequenas flores inteiras para utilizar durante o Inverno na decoração de sobremesas ou na composição de molhos. Depois de bem secas ao abrigo da luz, para não perderem a cor, devem ser guardadas em boiões herméticos.

Quando escolher flores muito perfumadas, colha-as na altura em que estão mais perfumadas: violetas sem cheiro não perfumarão intensamente os seus pratos, o mesmo se aplica às rosas, cravos, cravos-da-índia, etc.

Tenha sempre muito cuidado com uma possível contaminação, quer por produtos químicos (pode não utilizar nenhum, mas os seus vizinhos podem fazê-lo e o vento transporta facilmente os produtos até ao seu jardim). No caso das flores selvagens, colha-as sempre longe de fontes de contaminação (carros, bermas tratadas quimicamente, animais, etc…)

Segurança

É indispensável assegurar-se, antes de comer qualquer tipo de flor, que é de fato comestível. O fato de certas partes da planta o serem não implica que outras o sejam, como no caso das batatas e do tomate, cujo fruto é perfeitamente comestível sendo, as folhas muito tóxicas.

Procure um bom guia botânico, com imagens e descrições minuciosas das plantas e, em caso de dúvida desista ou procure conselho profissional. Lembre-se também que as flores são uma fonte de pólen e que há pessoas alérgicas ao mesmo.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

FLORES COMESTÍVEIS

Que tal servir flores no jantar?

Espécies comestíveis como a capuchinha, o amor-perfeito, o hibisco, a calêndula, o borago e a rosa são cada vez mais usadas no preparo de saladas ou pratos quentes

Texto Janice Kiss
Fotos Leo Drumond
Ilustrações Filipe Borin


Há 20 anos, praticamente ninguém comia flores no brasil. a não ser brócolis, alcachofra ou couve-flor, espécies cultivadas e consumidas como verduras - na verdade, são inflorescências ou pedúnculos florais, mais próximas, portanto, do capítulo botânico das floricultura, não das hortaliças. Então, na esteira do sucesso de mercado das ervas frescas, também recente, as flores comestíveis começaram a atrair a atenção de gourmets e chefs de restaurantes sofisticados, interessados na beleza de suas pétalas ou nos sabores sutis, ou incomuns, para compor saladas, pratos quentes, molhos, temperos ou essências para sopas, caldos, etc. Hoje, constituem mercado ainda restrito, mas crescente.
As irmãs Graziela e Renata Dei Falci (sentada) abastecem restaurantes de Belo Horizonte, MG, com 60 tipos de flores
Em São Paulo, maior produtor do país, o Grupo Pão de Açúcar comercializa mensalmente 300 bandejas de 7 a 18 gramas cada, ao preço médio de 5 reais, de capuchinha, amor-perfeito e hibisco. 'É uma linha requintada. Cuidamos desse abastecimento de forma regular nos últimos três anos', comenta Renato Generoso, gerente de FLV (Frutas, Legumes e Verduras) da rede de supermercados. Antes, a procura era pequena, quase nula, segundo ele. Agora, atendendo ao aumento da demanda, as flores comestíveis estão em oferta constante nos balcões de legumes e verduras - sim, FLV, como o cargo de Renato indica. Elas não constituem ramo da floricultura. São alimentos. E nessa condição dividem prateleiras com outras hortaliças em supermercados e lojas especializadas. Como o Empório Santa Luzia, loja sofisticada da capital paulista. Segundo o gerente Geraldo Lima, 300 bandejas mensais têm saída garantida no Santa Luzia. Nesse caso, a preferida é a calêndula, cujo sabor lembra muito o gosto do legítimo açafrão, que custa mais de 50 reais o grama. Geraldo tem ciência de que as flores comestíveis têm vida útil curtíssima - duram no máximo três dias se embaladas e refrigeradas. Ele sabe que o cultivo exige muita atenção e cuidados, que o calor e as chuvas de verão castigam os canteiros, mas acredita que o produtor está marcando touca. 'O consumidor compraria mais se houvesse mais oferta', pensa.
Amor-perfeito (à dir.) e capuchinha são as mais requisitadas pelo colorido das pétalas
Flor de manjericão, para sabor mais acentuado no prato (à esq.), e estrelinha, novidade na culinária
As irmãs Renata e Graziela Dei Falci, assim como outras dezenas de produtores de verduras, não perderam tempo. Há 19 anos, elas cultivam 60 tipos de ervas e flores em um hectare da centenária propriedade da família, em Contagem, a 21 quilômetros de Belo Horizonte, MG . Os 38 hectares totais da Fazenda Vista Bonita são um dos poucos remanescentes da área rural desse município, um dos principais polos industriais do estado. Ao decidirem deixar o caminho das artes plásticas e da decoração, respectivamente, elas investiram inicialmente no cultivo de macela para forrar travesseiros - dormir com o perfume da planta já era hábito de infância na fazenda - e de ervas medicinais para farmácias homeopáticas. Como muitas delas também servem para a cozinha, Graziela decidiu fazer uma pequena amostra para alguns restaurantes de culinária internacional de BH. Aí o negócio mudou de rumo. Quando, na última década, as flores comestíveis viraram objeto do desejo de chefs e restaurantes nos grandes centros urbanos do país, elas já tinham experiência no ramo. Bastou a Renata aperfeiçoar a pequena lavoura colorida e perfumada. Para não trancar suas ervas e flores em estufas (a não ser as do viveiro) e conter o excesso de luminosidade, ela formou canteiros à sombra das árvores. A terra está sempre fértil porque é renovada com a rotação de culturas (o composto utilizado para adubar os canteiros é produzido na própria fazenda). Renata usa todo o receituário da produção orgânica - o caruru, por exemplo, serve de alimento para os insetos, e a presença da sojinha perene, típica da região, é fonte de nitrogênio para as plantas. A colheita é feita de manhã bem cedo, com o sol ainda fraco. As flores são lavadas e secas com muito cuidado antes de ser entregues três vezes por semana na capital mineira. 'Levamos aroma, saúde e beleza para a cidade', comenta Renata.
CANTEIROS EM EXPANSÃO
Comparar os mercados de flores comestíveis e flores em geral (usadas apenas com função decorativa) é equívoco na certa, comenta Hélio Junqueira, da consultoria Hórtica, de São Paulo. O primeiro é muito pequeno - não há dados concretos a respeito. O segundo movimentou 3,3 bilhões de reais no mercado interno no ano passado, com chances de crescer 15% até o final deste ano. Em 2008, o Brasil faturou 35,5 milhões de dólares com vendas de flores para Europa e Estados Unidos. Segundo pesquisa da Hórtica, o mercado interno de flores convencionais cresce em torno de 10% por ano porque o Brasil não foi tão afetado pela crise financeira quanto os países para onde exporta, a exemplo de EUA, Europa e Japão. As principais flores de corte negociadas por aqui são rosas, crisântemos, lisianthus, lírios, etc., e as envasadas são orquídeas, violetas, azaleias, bromélias, entre outras. Os estados de São Paulo (53%), Minas Gerais (13%) e Rio Grande do Sul (5%) lideram a produção nacional. De acordo com a economista Marcia Peetz, sócia da Hórtica, o futuro dos cultivos nacionais tendem a ser focados quase que exclusivamente nas vendas internas. 'Com o alarde da crise, as pessoas deixaram de consumir bens e serviços de valores elevados e gastaram mais com paisagismo e jardinagem', compara. Marcia reitera que o consumo per capita brasileiro (R$ 17,46) ainda é baixo. 'Ele denota uma alta capacidade de crescimento futuro', acredita. Segundo ela, a prova está na expansão de outras regiões de cultivo, como Nordeste e Norte do país, sinalizando a descentralização da produção exercida pelo estado de São Paulo, concentrada nos municípios de Holambra, Campinas e Atibaia.