Mostrando postagens com marcador primavera. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador primavera. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Tenha um jardim florido na primavera

Continuando com os artigos sobre a Primavera, conhecer as necessidades de cada espécie é fundamental para garantir seu bom desenvolvimento. Além de nutrição e meio de cultivo, também é preciso observar os seguintes fatores básicos:
Iluminação – dois fatores influenciam o desenvolvimento das plantas: intensidade da luz e duração da exposição. Assim, para determinar o local em que uma planta será cultivada deve ser considerados os fatores sol pleno (grande intensidade e duração), meia sombra (pequena intensidade e grande duração) e sombra (pequena intensidade e duração). Quando a luz é insuficiente, os caules crescem longos e fracos, as folhas pálidas, não produzem flores e podem até morrer. Já o excesso de iluminação provoca queimadura nas folhas.
Temperatura – a temperatura ambiente é um fator muito importante no desenvolvimento das plantas. Em geral, uma temperatura ambiente entre 18° e 21°C é ideal para a maioria das plantas domésticas.
Umidade do Ar – tão importante quanto a umidade do solo é a umidade do ar para as plantas. Por isso, conhecer as necessidades da espécie e a situação do ambiente escolhido para cultivo é fundamental. 

Posição geográfica – veja as indicações para cada um dos lados:
  • Norte – sofre grande variação de luminosidade com a mudança das estações. No inverno, a iluminação acontece durante todo o dia enquanto no verão ocorre em metade do dia.
  • Leste – é o lado com menor incidência solar no verão devido ao sol nascer diretamente no leste com ponto máximo ao meio dia.
  • Oeste – é o lado mais quente durante o verão. Plantas como cactos e suculentas convivem bem nessa época, mas não é lugar para plantas mais delicadas.
  • Sul – é o lado com pior luminosidade. Só coloque plantas que convivem bem com baixa luminosidade e temperatura.

Regas

A necessidade de água varia de acordo com as espécies. No entanto, a umidade leve costuma ser ideal para a maioria das plantas. É preciso um cuidado especial com as plantas que ficam dentro de casa, pois tendemos a regá-las mais do que o necessário. Já para plantas de área externa, o melhor horário para regá-las é de manhã cedo ou no final da tarde, sendo que as folhas nunca devem ser molhadas se estiverem com incidência direta do sol.

Adubação

A adubação é um item de extrema importância para o desenvolvimento das plantas. Sua função principal é enriquecer o solo quando existe alguma deficiência de nutrientes. Mas isso não significa que devemos usar muito adubo, pois o excesso de nutrientes também pode ser prejudicial, já que torna o ambiente propício a fungos e bactérias. O ideal é sempre observar a necessidade de cada planta (quantidade e periodicidade).
Os adubos podem ser sintéticos ou orgânicos. Os sintéticos são vendidos como sais simples ou em misturas já prontas, em pós líquido, pastilha ou granulado e liberam nutrientes de 1 a 3 meses. Os orgânicos (meus preferidos) são compostos de resíduos animais e vegetais e contém todos os macro e micro nutrientes que as plantas precisam, devendo ser curtidos antes do uso. Também liberaram os nutrientes ao longo do tempo, mas de forma mais permanente do que os adubos sintéticos. Nessa categoria incluímos o húmus de minhoca.

Pragas e doenças

A observação cuidadosa das plantas é fundamental para identificar e prevenir infestações. Entre os tipos mais comuns de pragas estão: formigas, pulgões, lagartas, cochinilhas, ácaros, percevejos, moscas brancas e tripés. Já as doenças são causadas por fungos, bactérias e vírus, que provocam mofos e manchas em folhas e outras partes das plantas, levando ao apodrecimento.
É possível tratar essas pragas com receitas naturais e de baixa toxidade. O cheiro proveniente das plantas como alfavaca, arruda, hortelã, manjericão e gerânio repelem moscas, mosquitos e outros insetos. Outras soluções são as receitas caseiras que relaciono abaixo:
  • Para doenças fúngicas e fungos de solo – Cavalinha – Ferver 50 g de cavalinha em 12 litro de água por 20 minutos. Coar, diluir em 10 litros de água e pulverizar sobre a planta.
  • Para pulgões, cochinilhas e ácaros – Arruda – Em 1 litro de água bater 1 ramo grande de arruda. Coar e pulverizar sobre a planta.
  • Para formigas – hortelã e salsa – Plantar hortelã e salsa próximo ao jardim evita a aproximação de formigas.
  • Para bactérias, fungos, nematóides e insetos em geral – Suco de Alho – Em 4 litros de água quente dissolver 50 g de sabão de coco. Juntar 2 cabeças de alho e 4 colheres (chá) de pimenta vermelha (deixar em infusão por algum tempo).  Coar e pulverizar.

Cuidados básicos para algumas plantas

Veja em seguida os cuidados básicos para alguns tipos de plantas:
Samambaia – deve ser regada 2 vezes por semana, com adubação a cada 2 meses. Não gosta de luz direta do sol nem vento.
Avenca – precisa de rega 3 vezes por semana, com adubação 1 vez ao mês. É mais delicada que a samambaia, não gostando de sol direto ou ventos. Precisa ser mantida em local mais protegido.
Antúrio, bromélia, filodentro, jibóia e orquídea – plantas que ficam dentro de casa devem receber rega 2 vezes por semana. As que ficam em área aberta precisam de rega diária. A adubação deve ser feita apenas no inverno e precisam receber pulverização a cada 40 dias contra fungos e insetos.
Cactos e suculentas – rega a cada 15 dias, somente nas raízes, com adubação 1 vez ao ano. Precisa de exposição diária ao sol.
Hera e trepadeiras – precisam de rega 1 vez por semana e adubação 2 vezes por ano. A cada 6 meses, pulverizar com calda bordalesa.

Lista de cuidados básicos

Conheça abaixo a lista de cuidados básicos com as plantas, sugerida pela Biomix:
  • Cuidados constantes – Observe seu jardim e suas plantas com regularidade!
  • Remova sempre as folhas velhas.
  • Corte as pontas das folhas escurecidas.
  • Utilize sempre substrato de boa qualidade.
  • Quando regar não molhe as folhas. Os fungos precisam de água para germinar.
  • Evite respigar água, os respingos são principais responsáveis pela transmissão de doenças entre as plantas.
  • Mantenha suas ferramentas sempre limpas e esterilizadas. Ferramentas cegas e/ou sujas prejudicam as plantas e transmitem doenças.
  • Cuide sempre da iluminação das plantas.
  • Isole plantas doentes das demais.
Diariamente
  • Verifique quais plantas precisam de água.
  • Remova as flores murchas.
  • Elimine folhas secas, deterioradas ou manchadas.
Semanalmente
  • Verifique a consistência do substrato, caso seja necessário complete o vaso ou canteiro.
  • Vire os vasos para que as plantas recebam luz por igual; se não fizer isso as plantas irão se desenvolver só para uma lado ficando deformadas.
  • Verifique as condições ambientais: temperatura, luminosidade, umidade atmosférica e ventilação.
Mensalmente
  • Faça a imersão em água das plantas que estão em vasos pendentes.
  • Faça muda dos exemplares mais bonitos.
  • Desponte as plantas que têm brotos fracos.
  • Corte a ponta dos ramos das plantas que você pretende deixar mais densas.
  • Pulverize ou passe um pano nas folhas para eliminar a poeira.
Trimestralmente
  • Verifique se as raízes estão saindo pelo furo de dreno do vaso, ou seja, se a planta precisa ser transferida para um vaso maior ou ser adaptada para o mesmo.
Anualmente
  • Faça podas.
  • Reenvase as plantas que necessitarem de novo recipiente ou de uma carga de substrato para renovar o meio de cultivo.

Considerações

Para concluir a série sobre a Primavera, indico a leitura do Manual de Jardinagem da Biomix, que foi uma das fontes usadas para os posts. É uma excelente e completa fonte de informação com muitas fotos e passo-a-passo sobre plantio, sementeiras e outros.
Índice de posts sobre o assunto
Referências
Jornal Plantas e Flores
Créditos pela foto: Јerry (cc by)

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

10 Dicas Essenciais de Primavera para o Jardim



É primavera: tempo de flores e borboletas. Foto de Vicki DeLoach
1. Faça uma análise de solo
Colete amostras de diferentes áreas do seu jardim e solicite uma análise de solo ao laboratório mais próximo. Você encontra laboratórios de solos em faculdades de agronomia, órgãos de extensão como a Emater e em empresas privadas. O exame do solo não é caro e vai ajudar a ditar a correção e fertilização do solo para a primavera e verão. Possivelmente você precisará calcarear e fertilizar com calcário dolomítico, microunutrientes e matéria orgânica.

2. Faça uma limpeza no quintal

Remova galhos caídos e excesso de folhas mortas do jardim. Verifique as cercas em busca de falhas e partes estragadas, assim como os caminhos pavimentados ou com pisadas. Peças de madeira ou concreto podem apodrecer com o frio e umidade do inverno, verificar agora evitará problemas futuros, quando o jardim for mais utilizado. Repare também as estruturas do jardim, como treliças, caramanchões, bancos e delimitadores de canteiros, e veja se precisam ter partes substituídas, consertos ou pintura.
Veja se está tudo em ordem com o cortador de grama. Foto de Cavalier92
Veja se está tudo em ordem com o cortador de grama. Foto deCavalier92

3. Compre ferramentas e plantas

Antes de precisar ativamente de novas ferramentas, verifique o que tem, limpe, lubrifique e faça uma lista do que vai precisar comprar. Aproveite para escolher e comprar novos arbustos, árvores e flores perenes. Faça um pequeno projeto para remodelar ou substituir plantas que não deram certo e adquira junto a sua floricultura ou garden center favoritos, se necessário encomende. Não tenha pressa, compre as plantas certas.

4. Prepare-se para as podas

Na primavera, podas e cortes são muito frequentes. Assegure-se que suas máquinas estão em perfeitas condições para iniciar a temporada. Envie seus cortadores de grama, roçadeiras e podadores de sebes para a assistência técnica, e solicite limpeza, afiação de lâminas, troca de óleo lubrificante e velas se necessário. Veja quais as áreas do seu jardim vão precisar de podas e trace um plano de ataque, para pôr em prática assim que suas máquinas voltarem da assistência.
A primavera é época de podar arbustos e árvores. TroigNipen
A primavera é época de podar arbustos e árvores. TroigNipen

5. Faça as podas de limpeza

Pode arbustos e árvores lenhosas, removendo ramos mortos e doentes. Se necessário contrate uma empresa especializada para podar árvores grandes. A poda vai ajudar a acordá-las para a primavera, arejando e iluminando a copa. Além disso mantém o jardim seguro, prevenindo a queda de algum ramo doente que pode ameaçar o telhado, carro e até mesmo as pessoas e animais. Pode também a folhagem velha dos arbustos, antes que eles rebrotem, pelo mesmo motivo. Remova folhas estragadas pelas geadas, principalmente de plantas tropicais como helicônias e bananeiras. Não esqueça de podar os arbustos e floríferas perenes após a floração.

6. Prepare os canteiros

Deixe seus canteiros limpos e prontos para os plantios de primavera. Remova plantas mortas, assim como ervas daninhas. Areje o solo e deixe que ele tome sol alguns dias, revirando a camada superficial periodicamente, antes de acrescentar matéria orgânica e fertilizantes. Essa técnica auxilia no controle de pragas e doenças que possam estar escondidos entre as folhas mortas, esperando as plantinhas novas para atacar.

7. Plante

O início da primavera é o momento ideal para plantar e transplantar árvores, arbustos, flores, bulbos, hortaliças, etc. Muitas espécies exigem este calor da primavera para seu crescimento inicial e pronto estabelecimento. Nesta estação que as plantas acordam, nascem, e naturalmente emitem raízes e folhas novas. Escolha um dia mais fresco e nublado para esta tarefa, prepare covas profundas e acrescente boa quantidade de matéria orgânica. Faça sementeiras com bom substrato e proteja-as em estufa se ainda correr o risco de geadas. Não se esqueça de regar completamente cada muda e semente, neste dia e nos dias seguintes.
Verifique cercas e veja se precisam de manutenção e pintura. Foto de Lynn Friedman
Verifique cercas e veja se precisam de manutenção e pintura. Foto de Lynn Friedman

8. Fertilize

Estimule o crescimento, floração, regeneração, rebrote e frutificação das plantas com bons fertilizantes. Faça um projeto de adubação, relacionando cada árvore e canteiro. Adquira adubos próprios para cada planta e a fase em que se encontra. Plantas que vão florescer, frutificar ou estão enraizando exigem fertilizantes ricos em fósforo e potássio. Já plantas em pleno crescimento vegetativo, como cercas-vivas, folhagens e gramados, vão necessitar de fontes ricas em nitrogênio também. Não esqueça de fertilizar árvores e arbustos na linha de projeção da copa, e evite aplicar os adubos próximo ao colo das plantas e em dias de sol forte. Regue muito bem depois de cada adubação. Além dos adubos químicos, aplique também matéria orgânica, como húmus de minhocas, terra vegetal, estercos curtidos. Assim as plantas são alimentadas por mais tempo e o solo se mantém mais saudável e equilibrado.

9. Faça compostagem

Com tantos restos de podas e folhas mortas é primordial fazer uma pilha de compostagem, caso contrário você vai perder um rico material fertilizante para o seu jardim. Prepare-se, pois a partir de agora a pilha só tende a aumentar, com as plantas crescendo vigorosamente e necessitando de podas mais frequentes. Se possível invista num cortador de grama com recolher de aparas, para aproveitá-las na compostagem e se puder, um triturador de ramos. Não esqueça de revirar regularmente sua pilha de compostagem e regue-a quando estiver seca. Para enriquecê-la ainda mais, junte cascas de frutas e legumes, cascas de ovos, pó de café, chá e chimarrão entre outros materiais interessantes que vem da cozinha. Não adicione alimentos cozidos ou com sal à sua pilha de compostagem. Ao final de poucos meses você terá um rico adubo caseiro.

10. Aproveite

De nada adianta tanto trabalho se não puder aproveitar a estação mais bonita. Faça um suco gostoso ou prepare um chimarrão, pegue sua cadeira e vá curtir as flores, borboletas e pássaros. Coloque alimentadores com frutas e grãos para atrair passarinhos e borboletas. Tome sol pela manhã e faça sua dose diária vitamina D! Chame seus amigos para um churrasco no fim de semana ou um simples chá com bolo no jardim. Compartilhe a beleza das suas plantas. Convide as crianças para um banho de mangueira. Aproveite para desfrutar da natureza e viver um pouco no presente. A vida está lá fora, no seu quintal, florescendo e esperando que você.
Um piquenique é uma ótima forma de desfrutar do jardim. Foto de Chloe Lim
Um piquenique é uma ótima forma de desfrutar do jardim. Foto de Chloe Lim
Raquel Patro
Sobre 
Raquel Patro é editora do site Jardineiro.net e uma pessoa totalmente fascinada pela natureza, principalmente por plantas e jardins. Criou o site Jardineiro.net para disseminar sua paixão, contagiando novos adeptos e entusiasmando os antigos.






10 Dicas Essenciais de Primavera para o Jardim

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Bom Dia! Decore sua casa com as flores da primavera


Paisagista dá dicas de quais plantas escolher e como cuidar delas para que sigam lindas e coloridas

Para entrar no ritmo da recém chegada primavera, estação conhecida pelo desabrochar das flores e a renovação das cores do mundo, que tal trazer um pouco do que a natureza oferece para dentro da sua casa? Conheça as plantas que vão aproveitar o calor que começa a chegar para florescer e dar novos aromas para os ambientes externos e internos.
Para os canteiros baixos em quintais e floreiras na janela, ou seja, locais com sol direto por várias horas ao dia, as mudas de floração são a dica de Sinecio Jacobus Klein, paisagista e sócio-gerente da BlumenGarten Plantas e Flores, em Porto Alegre. Entre as opções, ele cita a balsamina, a sálvia e a begônia.
Decore sua casa com as flores da primavera
Balsamina é conhecida como maria-sem-vergonha e beijo-de-frade
Decore sua casa com as flores da primavera
Begônia, gênero da família Begoniaceae, tem mais de 1,4 mil espécies
A lista de alternativas também inclui os arbustos com flor. Camélia e azaleia já passaram da época da floração, mas o jasmim, o manacá e a buganvília ainda vão dar o ar de suas cores neste ano.
Decore sua casa com as flores da primavera
Buganvília, três-marias ou flor-de-papel, é originária da América do Sul
Sol"Plantas que florescem precisam de sol", alerta Klein. Os raios precisam incidir sobre as plantas por algumas horas, seja de manhã ou à tarde, embora não necessariamente durante todo o dia. Mas cuidado: a quantidade de luminosidade também não pode ser excessiva. "As folhas são como a pele humana: com excesso de sol, ressecam, queimam", explica o paisagista.
E se na sua casa ou no seu apartamento não há sol, não se preocupe, nem tudo está perdido. O dono da loja de mudas cita algumas plantas que sobrevivem - e dão flores - mesmo se plantadas em locais com sombra. A bromélia é uma delas, e tem opções com e sem flor.
Decore sua casa com as flores da primavera
Bromélia é uma planta originária das Américas e que sobrevive mesmo sem sol direto, tendo gêneros com flores (acima) e sem
Decore sua casa com as flores da primavera
O antúrio (vermelho) e o lírio da paz - também chamado lírio branco - entram na lista de plantas com flores que conseguem sobreviver em ambientes com pouca luminosidade.
Decore sua casa com as flores da primavera
Decore sua casa com as flores da primavera
As orquídeas de vaso também são propícias a locais sombreados. No entanto, lembra Klein, esses vegetais precisam de uma série de cuidados especiais. Um deles, destacado pelo proprietário da BlumenGarten, é que o solo onde se planta as orquídeas precisa ser bem drenado, ou seja, não pode acumular muita água. Por isso, dá-se preferência ao plantio em substratos - como a casca de pínus ou a fibra de coco, já que hoje não se pode mais usar xaxim.
Decore sua casa com as flores da primavera
Decore sua casa com as flores da primavera
Orquídeas (primeira foto) devem ser plantadas em substrato bem drenado, como casca de pínus (detalhe acima) ou fibra de coco
Decore sua casa com as flores da primavera
ÁguaO cuidado com a quantidade de água, aliás, é um cuidado que se deve ter não só com orquídeas, mas com todas outras plantas. Em excesso, a água pode mofar as raízes, e se for menos do que o necessário pode fazer o vegetal "morrer de sede".
Normalmente, segundo Klein, as plantas devem ser regadas duas vezes por semana. Mas é preciso estar atento ao tamanho do vaso, porque em recipientes maiores a água fica mais tempo acumulada.
Na primavera e no verão, quando há mais sol, às vezes é necessário regar todos os dias, e o mesmo vale para ambientes com ar condicionado ou ventilador. Com o excesso de calor e a baixa umidade, a planta resseca e pode também precisar de mais água - mas, atenção: regar com mais frequência não significa usar mais água em cada vez.
Decore sua casa com as flores da primavera
Outro fato para o qual o paisagista chama a atenção é quanto à aparência de ressecamento: é comum a parte de cima da terra ficar mais seca, por causa do ar-condicionado por exemplo, mas o fundo do vaso pode ainda estar encharcado.
Klein ainda pontua que essas recomendações são gerais, e que é interessante, na hora de adquirir a muda, perguntar ao florista quais os cuidados específicos dela. "Cada espécie vai ter um limite diferente do que é 'pouca' e 'muita' água ou luz", pontua Klein.
VentoEm terraços e jardins onde há muito vento, o conselho é usar vasos maiores e mais consistentes - de concreto, por exemplo -, para evitar o tombamento. Por ser um lugar em que a planta fica exposta também ao sol, durante todo o dia, os recipientes de maior porte permitem o acúmulo de água, facilitando a reidratação do vegetal.
Além disso, como o vento também acaba rasgando e desgastando as folhas da planta, o indicado é escolher as espécies mais resistentes, como palmeiras, gerânios ou mesmo cactos.
Decore sua casa com as flores da primavera
Gerânio tem dois modelos: arbustivo (acima) e pendente
Decore sua casa com as flores da primavera
Na praia
Para os jardins e floreiras da casa de praia, Klein também sugere os gerânios, e inclui na lista as clúsias, os ciprestes e as palmeiras. Mas o paisagista alerta que, no litoral gaúcho, quanto mais perto do mar for a residência, menos espécies sobreviverão ao vento forte, à maresia e às altas temperaturas.
Já em Santa Catarina, que tem características climáticas um pouco mais amenas aos vegetais, a quantidade de opções é maior - a dica é consultar o florista de acordo com a sua praia.
Decore sua casa com as flores da primavera
Clúsia é resistente e, por isso, se torna uma boa opção para a praia
Arbustos e árvores
Embora na maioria das vezes não deem flores, os arbustos tão uma boa opção de planta, principalmente para ambientes internos. O ideal é escolher os que têm folhas mais escuras, pois essas têm mais capacidade de absorção de luz - o que é importante se o apartamento ou a casa não tem muita luminosidade.
Klein recomenda pleomeles, palmeiras, chamaedoras, dracenas e a areca bambusa. Uma sugestão para combinar o arbusto com plantas de flores seria plantá-lo em um vaso e, em seu redor, colocar as mudas de floração - dando preferência às que necessitam de menos luz.
Decore sua casa com as flores da primavera
Decore sua casa com as flores da primavera
Decore sua casa com as flores da primavera
Decore sua casa com as flores da primavera
De cima para baixo: pleomele, chamaedora, dracena e a areca bambusa
Para quem quer o colorido das plantas e tem mais espaço, ainda há a opção das árvores. Neste caso, pode-se escolher as de menor porte para calçadas - pitangueira, ingá, extremosa - e as um pouco maiores para o jardim - flamboyant, cassia (chuva-de-ouro), jabuticabeira, ipê.
Decore sua casa com as flores da primavera
Ipê, em geral roxo, amarelo, rosa ou branco, é sugestão para jardim
Flores de vaso
Quem gosta de ornar a casa com plantas como violetas, crisântemos e outras flores compradas em vaso - e comuns como forma de presente -, deve ter em mente que não é fácil mantê-las vivas e florescendo. Klein explica que, por serem produzidas em estufas, em condições de adubação e temperatura controladas, as plantas precisariam de cuidados muito específicos depois de sair da floricultura. Por mais que o vegetal sobreviva, dificilmente dará flores novamente, informa o paisagista. A vida média das flores, nesse caso, é de três semanas a dois meses.
Para quem quer garantir a floração mas não tem tanto tempo para se dedicar ao cuidado da planta, uma alternativa são os cactos. Necessitam de pouca manutenção - uma rega por semana, em geral, é mais que suficiente - e, por isso, conseguem se manter saudáveis para voltar a florescer.
Dicas para começar
- Quando escolher o local de plantio, verifique se ele tem boa drenagem. A dica é cavar um buraco de cerca de 25 centímetros de profundidade, cerca de dois dias após uma chuva, e ver se ainda há água acumulado no fundo do solo; se a resposta for sim, o lugar não é adequado, pois a raiz apodrecerá. Apesar disso, há como fazer uma espécie de dreno artificial, com brita e areia, operação que pode ser instruída pelo jardineiro da loja;
- Opte pelas mudas já enraizadas e embaladas (em vasos de argila, plástico ou mesmo em sacos específicos);
- Caso prefira árvores, atente ao porte que a planta adulta vai ter: a regra geral diz que a sombra da copa é a forma da raiz. Falta de atenção, nesse caso, pode significar uma calçada quebrada ou mesmo um dano à estrutura da casa;
- Ao transferir a muda do vaso para o jardim, o buraco na terra deve ser da mesma profundidade que o recipiente usado pela floricultura. Se o caule ficar mais enterrado do que estava na loja, a planta pode acabar morrendo;
Decore sua casa com as flores da primavera
Tagete também é opção para jardim ou floreira, mas têm cheiro forte