Mostrando postagens com marcador vila nova. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador vila nova. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 23 de maio de 2017

RECEITA de Adubação verde para obter e conservar uma fertilidade duradoura

Para recuperar terras esgotadas, empobrecidas pelas monoculturas, queimadas, erosão, etc, existe um sistema muito eficiente de recuperação, desenvolvido pelo engenheiro agrônomo René Piamonte, do Instituto Biodinâmico de Botucatu, SP.


Nesse sistema, misturam-se vários tipos de sementes para serem semeadas no outono / verão. Por exemplo: 20 kg de milho, 10 kg de mucuna preta, 10 kg de feijão de porco, 10 kg de lab lab, 10 kg de guandú, 10 kg de girassol, 5 kg de crotalária, 5 kg de mamona, 5 kg de feijão catador, 4 kg de painço, 4 kg de leucena; 4 kg de calopogonio, 5 kg de soja, 4 kg de sorgo, 2 kg de mileto, 0,5 kg de abóbora; 2 kg de nabo, etc. A mistura pode variar conforme a disponibilidade, o preço e a região. A mistura acima é indicada para mais ou menos 1 há, aproximadamente 100 kg. Se for possível encontrar, recomenda-se misturar alguns inoculantes específicos para leguminosas e 5 kg de fosfato natural com Araxá ou Yoorin e água suficiente para peletizar as sementes. Deixar secar por algumas horas. A semeação deve ser feita a lanço,em terra bem preparada e calcareada, se necessário, e a incorporação com grade leve ou dependendo da área, com rastelo.

A eliminação do coquetel pode ser realizada com aproximadamente 150 dias, no início do florescimento da mucuna preta, colhendo antes manualmente o milho e o girassol. A produção de massa verde será de 50 a 70 ton/ha.


Também é possível deixar o ciclo das plantas finalizar, com o objetivo de colher as sementes. Assim a produção de massa verde será de 100 a 150 ton/ha. A incorporação pode ser feita superficialmente, com grade em caso de plantio de plantas de porte grande. Em culturas menores, que precisam ser semeadas em canteiros, deve ser usada a enxada rotativa. Quando se incorpora mais profundamente, deve-se deixar a massa verde mais tempo (30 a 60 dias) para se decompor antes da semeação.


A idéia de misturar vários tipos de plantas é como se fosse uma floresta tropical criada em 5 a 6 meses. Cada tipo de planta em um sistema de raízes diferente. O conjunto de raízes explora cada cm cúbico do solo e subsolo fazendo uma extratificação do solo. Cada planta tem uma capacidade diferente de extrair os minerais. O conjunto de plantas traz de volta todo complexo de elementos perdidos que as próximas culturas precisam.*


Para o Outono e início de Inverno podemos semear uma mistura mais adaptada ao frio e a dias mais curtos, por examplo; nabo 2 a 4 kg, cereais do inverno como aveia, centeio, cevada, trigo, triticali, trigo morisco, totalizando mais ou menos 60 kg, milho 20 kg, girassol 4 kg, soja 15 kg, sorgo 5 kg, milheto 2 kg, abobora e sobras de sementes de verduras 3 kg etc. No sul pode se pensar em trevo, tremoso, alfafa, mostarda, etc. No Inverno a cultura deve ser irrigado. Irrigar uma vez para nascer emais duas vezes durante o ciclo é suficiente.


Além da extratificação do subsolo, o coquetel faz milagres na superfície também. Com a grande diversidade de plantas obtém-se uma grande diversidade de insetos formando um equilíbrio para o controle das pragas nas culturas seguintes.

* Em Botucatu conseguiram plantar várias culturas de verdura em seguida, sem precisar de incorporação de esterco. As análises do solo antes e depois mostraram uma boa melhora no Ph, P, K, Ca, Mg , microelementos e material orgânico.

Joop Stoltenborg - Sítio A Boa Terra -

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Como Fazer um Gotejador com Garrafa Pet, o mais simples, fácil e Barato ...





Neste Vídeo Nós vamos aprender a fazer um Gotejador para Irrigação com 01 
Garrafa Pet e 01 Cotonete, é muito eficiente, é o Gotejador mais simples fácil e 
Barato para fazer, é praticamente Custo Zero.

Sustentável pois vamos Reaproveitar e Reutilizar Materiais.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Sementes de girassol: descubra os benefícios

Fonte: http://www.ecycle.com.br/index.php
semente de girassol
Além de serem baratas e encontradas com relativa facilidade em mercados, as sementes de girassol são ricas em nutrientes que fazem bem para o nosso organismo. Confira na lista abaixo os benefícios das sementes de girassol:

Aliviam o estresse:

Por conterem magnésio, as sementes de girassol acalmam, aliviam estresse e enxaquecas. As sementes também contêm triptofano e colina, que ajudam no combate à ansiedade e à depressão; a colina também melhora a função cerebral e auxilia a memória.

Combatem o câncer:

As sementes de girassol têm selênio que previnem câncer, aumentando a reparação do DNA e impedindo a multiplicação de células cancerosas. O óleo de girassol também é rico em carotenoides que ajudam no controle de danos celulares, evitando o risco de desenvolvimento de cânceres de pulmão, de pele e de útero.

Reduzem o risco de infecções em bebês:

As sementes de girassol reduzem o risco de infecção em lactantes e previnem distúrbios como o parto prematuro e baixo peso ao nascer. Bebês prematuros têm mais chances de desenvolverem infecções por conta de seus órgãos subdesenvolvidos.

Previnem o envelhecimento precoce:

A vitamina E presente nas sementes de girassol ajuda na prevenção dos danos dos radicais livres à pele e danos causados pelo sol; previne também as cicatrizes e aparência de rugas. O betacaroteno presente nas sementes de girassol torna a pele menos sensível ao sol e outros oxidantes presentes protegem a pele de danos ambientais, evitando sinais de envelhecimento.

Têm propriedade hidratante:

O óleo de semente de girassol age como hidratante.

Previnem a perda de cabelo:

As sementes de girassol contêm vitamina B6, que previne a perda de cabelo, pois aumenta o suprimento de oxigênio para o couro cabeludo.

Estimulam o crescimento de cabelo:

Por conterem zinco, as sementes de girassol promovem o crescimento do cabelo. A vitamina E também estimula o crescimento do cabelo pois aumenta a circulação sanguínea para o couro cabeludo, porém deve ser consumida com moderação (excesso de zinco e vitamina E pode causar perda de cabelo).

Hidratam o cabelo:

óleo de semente de girassol possui ácidos graxos ômega 6 que evitam o desgaste do cabelo, sendo um hidratante natural.

Protegem a pele:

A vitamina E presente nas sementes de girassol ajudam a proteger a pele dos raios ultravioletas prejudiciais e proporciona uma pele brilhante e jovem.

Ajudam na manutenção da pele:

O cobre presente nas sementes de girassol mantêm a pele saudável e a protege contra os raios ultravioletas.

Combatem acne e problemas de pele:

O óleo de semente de girassol possui ácidos graxos essenciais, como os ácidos linoleico, palmítico, esteárico e oleico, estimulando a formação de colágeno e elastina e tornando a pele macia e suave. Os ácidos graxos têm propriedades antibacterianas que protegem a pele de bactérias, reduzindo a acne. O óleo de semente de girassol pode aliviar eczemas e dermatite, protege também a pele de bebês nascidos prematuramente, reduzindo os riscos de infecção de pele.

Previnem danos de radicais livres:

A vitamina E presente nas sementes de girassol é um antioxidante solúvel em gordura que neutraliza os radicais livres e os impede de danificarem as células cerebrais, as membranas celulares e o colesterol - ajuda também a manter a circulação sanguínea e a produção de glóbulos vermelhos.

Promovem a formação de células:

O girassol contém ácido fólico, essencial para a produção de um novo DNA, que é necessário para a formação de novas células. O óleo e a semente de girassol são muito recomendados para o consumo das mulheres grávidas por este motivo.

Previnem a artrite:

O óleo de semente de girassol reduz os sintomas da artrite, além de prevenir e ajudar no tratamento da artrite reumatoide.

Previnem a asma:

A semente de girassol ajuda a prevenir a asma e sintomas relacionados.

Previnem a catarata:

Por ser rica em carotenoides, a semente de girassol ajuda na prevenção de cataratas. O óleo contém vitamina A, que ajuda na saúde ocular.

Previnem a osteoporose:

As sementes de girassol contêm proteínas que ajudam na reparação do tecido muscular e auxiliam em várias funções enzimáticas do corpo. A proteína também é essencial para o desenvolvimento ósseo e, por conta disso, previne a osteoporose, ajudando no desenvolvimento adequado da matriz óssea, auxiliando na força óssea.

Ajudam na digestão:

Por conter um alto teor de fibras dietéticas, a semente crua de girassol pode ajudar na digestão e curar a constipação.

Previnem doenças cardiovasculares:

A vitamina C, presente nas sementes de girassol, ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares e a vitamina E impede que os radicais livres oxidem o colesterol. Se oxidado, o colesterol adere às paredes dos vasos sanguíneos e provoca aterosclerose, que pode levar a ataques cardíacos, artérias bloqueadas ou AVC.

Reduzem o colesterol:

A semente de girassol tem um alto teor de fitoesteróis, fibras ou compostos que reduzem o colesterol.

Aliviam a congestão no peito:

A semente de girassol serve como remédio natural para ter alívio da congestão do peito.

Produzem energia:

As sementes de girassol contêm a vitamina B1, que estimula os catalisadores celulares ou enzimas para reações químicas, sendo requerido pelo corpo para derivar energia dos alimentos. Os girassóis contêm cobre, que ajudam na produção de energia a nível celular.

Mantêm o sistema imunológico saudável:

Por conter zinco, as sementes de girassol ajudam a manter o sistema imunológico saudável, sendo úteis também na cicatrização de feridas, além de manterem afiados os sentidos olfativo ou degustativo.

Mantêm o sistema digestivo saudável:

A semente de girassol contém vitaminas B, que são essenciais para um sistema digestivo saudável e para a produção de energia.

Relaxam os nervos:

Por conter magnésio, as sementes de girassol fazem com que nossos nervos fiquem relaxados.

São fontes de antioxidantes:

Antioxidantes como o selênio e a vitamina E estão presentes na semente de girassol - eles impedem ou limitam o dano oxidativo às células, protegendo de doenças como diabetes, câncer e doenças cardiovasculares.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Como plantar berinjela

Fonte: blog plantei

      Originária da Índia, a berinjela (Solanum melongena) é cultivada há milhares de anos.
      Com plantas que podem atingir de 40 cm a mais de dois metros de altura e frutos de diversos tamanhos, formatos e cores, dispõe de um grande número de cultivares. Ainda assim os mais cultivados são os de frutos roxo-escuros. Este fruto, é a única parte comestível da planta, pois as folhas e flores contêm o alcaloide tóxico solanina.
      É preciso se orientar quanto a alguns fatores determinantes para o bom desenvolvimento da planta.
Sobre o clima
      A berinjela é uma planta tropical, sendo assim necessita de temperaturas acima de 21°C para se desenvolver bem. Nos estados e regiões de temperaturas elevadas, a planta pode ser cultivada o ano todo. Já nas regiões onde o inverno apresente baixas temperaturas, deve ser cultivada apenas nos meses mais quentes do ano.
      Caso more em regiões onde a temperatura costume cair abaixo dos 18°C durante o período de cultivo, é recomendado o cultivo em estufa.
      Também é importante lembrar que chuvas durante o período de floração podem prejudicar a polinização e afetar a produtividade.
Sobre a luminosidade
      A planta necessita de alta luminosidade para seu bom desenvolvimento. Algumas horas diárias de luz solar direta são o necessário para uma boa produtividade.
Sobre o solo
      Deve ser bem drenado, fértil, rico em matéria orgânica, com boa disponibilidade de nitrogênio e pH entre 5,5 e 6,8.
Sobre a irrigação
      Deve ser realizada com frequência, de modo a manter o solo sempre úmido mas nunca encharcado.
berinjela-1
O plantio da berinjela
      As sementes devem ser semeadas na superfície do solo, cobertas apenas com uma leve camada de terra peneirada ou serragem fina.
      Normalmente as sementes são semeadas em copinhos de papel, sementeiras ou saquinhos plásticos e transferidas quando atingem de 8 cm a 10 cm de altura. A germinação ocorre em uma ou duas semanas.
      O espaçamento varia com o porte da planta e o clima da região (deve ser maior em regiões mais quentes e um pouco menor em regiões de clima mais ameno), podendo variar de 60 cm a 1 metro entre as linhas de plantio e de 50 cm a 1 metro entre as plantas.
      Também é possível cultivar as espécies mais comuns deberinjela em vasos grandes mas os cultivares de pequeno porte são mais indicados para esse tipo de cultivo.
      Dependendo do tamanho dos frutos, a planta pode precisar de tutoramento para que seus ramos não tombem. Uma forma de fazer isso, é amarrar cuidadosamente estacas verticais ou ainda utilizar suportes circulares de arame. Aqueles que são apropriador para esta função.
      Deve-se prestar a atenção quanto a ervas invasoras que possam vir a concorrer por recursos e nutrientes. É necessário retira-las, sempre.
Chegamos então a parte mais esperada: a colheita
      A colheita das berinjelas inicia-se de três a seis meses após o plantio, dependendo do cultivar e das condições de cultivo. Os frutos são colhidos quando estão bem desenvolvidos, lustrosos, lisos e com cor brilhante, antes de se tornarem opacos e começarem a enrugar, ocasião em que suas sementes começam a endurecer e a escurecer.
      É importante manusear com muito cuidados os frutos para não sofrerem ferimentos que podem acelerar sua deterioração.
       A berinjela é uma planta perene de vida curta em regiões de clima quente e pode produzir por alguns, embora a produção seja maior no primeiro ano. No entanto, é cultivada como anual.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Borra de café: formas de reutilizar no seu jardim


Jardinagem / Borra de café: formas de reutilizar no seu jardim
A borra de café pode ser usada nas plantas, principalmente por ser uma grande fonte de nitrogênio, um dos principais elementos que compõem o solo e muito consumido pelos vegetais.
O café é uma das bebidas favoritas dos brasileiros e além de delicioso é um ótimo fertilizante para a terra. Utilizando a borra do café você evita que ele vá para o lixo e prejudique o meio ambiente, já que ele se decompõe e libera metano, contribuindo para o aceleramento do efeito estufa. Seguindo essas dicas você pode deixar o seu jardim mais bonito e evita de agredir o meio ambiente.cafe
Fertilização
A borra de café possui diversos nutrientes benéficos para o solo, porém não é indicado jogada direito no solo, pois o processo de composição irá consumir o nitrogênio necessário para o solo. Para impedir a decomposição você pode misturar a borra de café com água, numa proporção de 100 gramas de borra de café para 1 litro de água.
Outra forma para impedir a decomposição é balancear os nutrientes utilizando junto com a borra de café outros fertilizantes ou adubos que possuam nitrogênio e sejam mais ricos em potássio e fósforo, como farinha de ossos e esterco de animais, por exemplo. Também pode utilizar cascas de frutas, legumes e ovos triturados junto com a borra, basta deixar fermentar a mistura por aproximadamente dois meses e depois aplicar no solo.
Repelente de pragas
A borra da café é super eficiente no combate a pragas que podem atacar seu jardim e, ao contrário dos repelentes químicos, não traz danos a longo prazo, já que diferente dos produtos químicos não tem uma sobrevida maior na terra podendo matar insetos que seriam benéficos para a plantação.
Atrair minhocas
As minhocas adoram borras de café antigas, principalmente se já tiveram passado pelo processo de fermentação. Adicione de alimento e serragem também, você irá atrair muitas minhocas e fará com que seu jardim fique nutritivo.
As minhocas oxigenam o solo e melhoram a retenção de água.
As minhocas oxigenam o solo e melhoram a retenção de água.
Compostagem
A compostagem é uma espécie da reciclagem do lixo orgânico, é um processo de transformação da matéria orgânica encontrada no lixo em adubo orgânico. Para quem já aplica esse método é uma boa opção adicionar a borra de café junto aos outros compostos, fará com que o cheio se amenize, ficará mais quente e conservará a umidade.
jardim
Deixe o seu jardim lindo!

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Plantar e enxertar – Da regra à exceção!

Extraído do site www.esmeraldazul.com



No Inverno é tempo de plantar as árvores de folha caduca que, estando dormentes, podem ser plantadas de raiz nua, ou seja, sem terra envolvendo a sua raiz.

Macieiras, pereiras, ameixeiras, pessegueiros e outras fruteiras caducifólias entram emdormência à queda da folha e nem a parte radicular cresce. Mas, embora poucos saibam, araiz recomeça o crescimento quase um mês antes da parte aérea, pelo que, se queremos perturbar o menos possível a árvores na sua transplantação do viveiro para o local definitivo, devemos plantar entre a queda da folha e um mês antes da rebentação.

No caso da produção biológica devemos dar preferência a variedades mais resistentes às pragas e doenças  para termos mais facilidade de produzir boa fruta sem pesticidas.

Deixamos alguns exemplos dessas variedades para algumas espécies:
  • Macieira: Bravo de Esmolfe (pouco sensível ao pedrado, a principal doença da macieira), Querina ou Florina e Summerfree (resistentes ao pedrado);
  • Pereira: Conference (resistente ao pedrado da pereira), Carapinheira (pouco sensível ao pedrado);
  • Ameixeira: Santa Rosa (pouco sensível á mosca da fruta), Stanley e Rainha Cláudia (resistentes aos afídeos, sendo esta última produtiva só em regiões de invernos mais frios);
  • Pessegueiro: em geral as variedades do tipo "pavia” ou "maracotão” (de roer, de polpa aderente ao caroço) são mais resistentes à lepra, a principal doença do pessegueiro.
No inverno também podemos plantar árvores de folha persistente como os citrinos, mas nas regiões mais frias devem ser plantadas mais tarde. Podemos considerar esta uma situação excecional pois os citrinos são preferencialmente cultivados em zonas mais quentes, mediterrânicas ou subtropicais, pelo que cultivá-los em regiões onde as geadas são regra no inverno constitui uma exceção.

Para reproduzir as variedades com garantia de que têm a mesma qualidade do que a árvore que lhes deu origem faz-se em geral a propagação vegetativa e não a seminal.

É que da semente pode resultar bom ou mau pois a genética pode pregar algumas partidas. Quando a estacaria não é boa solução, o que acontece frequentemente pelas limitações de crescimento da raiz da variedade que se pretende cultivar para dar bons frutos, recorremos àenxertia. No Inverno enxerta-se de garfo como no caso da videira da figura 1.
Figura 1 – Enxerto de garfo simples de fenda cheia em videira - variedade Moscatel de Hamburgo em bacelo (ou porta-enxerto) 1103P

Uma variante ao garfo de fenda cheia é o garfo de fenda lateral, que resulta bem em macieira e de que damos uma panorâmica nas figuras 2, 3, 4 e 5. Com algum engenho e arte, o leitor poderá fazer o mesmo com o cuidado principal de unir casca com casca e de isolar bem o enxerto para que ligue antes que seque.

No próximo artigo mostraremos o resultado do enxerto.

Figura 2 – Corte lateral sem chegar ao centro do ramo

Figura 3 – Encaixe do garfo unindo a casca de um dos lados.

Figura 4 – Atar com ráfia para garantir a melhor união.

Figura 5 – Isolar com pasta de enxertia para não deixar secar.


EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

PITANGA: UMA FRUTA ESPECIAL, possui antocianinas e carotenóides.

Resultado de imagem para pitangaTenho colhido muitas pitangas de uma muda, que trouxe do bairro Belém Novo em 1997. Aliás esta muda plantada em uma lata de 18 l, foi enterrada por mim no fundo do terreno onde moramos.
Pórem durante uns cinco anos ela não se desenvolvia. Em 2002 iniciei o curso de agronomia na UFRGS e a minha primeira cobaia foi a pitangueira.
Comecei corrigindo a acidez do solo, aplicando calcareo, observei que o crescimento era enorme, mas as frutas eram poucas. Neste ano com aplicação do biofertilizante caseiro, a colheita está estupenda, veja as fotos!
boa semana!

alexandre


A pitanga, fruto da pitangueira (Eugenia uniflora L.), pertence à família botânica das Myrtaceae. É uma planta frutífera nativa do Brasil, da Argentina e do Uruguai. O seu nome vem da palavra tupi "pyrang", que significa "vermelha". Já era apreciada pelos colonizadores que a cultivavam em suas residências, e de seus frutos produziam doces e sucos, além de utilizarem suas folhas na medicina popular. Apesar de sua origem tropical, seu cultivo já se encontra difundido por diversos países, podendo ser encontrada no sul dos Estados Unidos, nas ilhas do Caribe e em alguns países asiáticos. No Brasil, a região nordeste é a única a explorar comercialmente esta fruta de alto potencial econômico.



A pitangueira frutifica de outubro a janeiro, e existe uma grande variação na coloração da fruta, indo do laranja, passando pelo vermelho, e chegando ao roxo, ou quase preto. As folhas da pitangueira têm conhecidas atividades terapêuticas, tendo sido usadas no tratamento de diversas enfermidades, como febre, doenças estomacais, hipertensão, obesidade, reumatismo, bronquite e doenças cardiovasculares. Tem ação calmante, antiinflamatória, diurética, combate a obesidade e também possui atividade antioxidante. Os extratos da folha da pitangueira, assim como de outras espécies nativas, também apresentam atividade contra Trypanosoma congolense (doença do sono), e moderada atividade bactericida, sobre Staphylococcus aureous e Escherichia coli.Há uma variedade de compostos secundários, ou fitoquímicos, já identificados nas folhas da pitangueira, como flavonóides, terpenos, taninos, antraquinonas e óleos essenciais. No entanto, sobre a fruta da pitangueira existem poucos estudos, identificando somente algumas antocianinas e carotenóides.

Pesquisas mostram que o conteúdo de fitoquímicos é maior em pitangas maduras do que semi-maduras e estes compostos de uma maneira geral estão concentrados na película da fruta, ou seja, na casca, sendo encontrados em menores concentrações na polpa. Para a pitanga, isto não chega a ser um problema já que, geralmente, é consumida sem a retirada da fina casca que protege a polpa.

 

Muitos estudos demonstram que o consumo de frutas e hortaliças, principalmente as coloridas, trazem benefícios à saúde. No entanto, nenhum mostra a relação do consumo de pitangas e prevenção ou combate de doenças. Neste sentido, a Embrapa Clima Temperado está iniciando um projeto em que a pitanga será estudada quanto ao seu potencial na prevenção de câncer, uma doença crônica não-transmissível. Em trabalhos preliminares, extratos de pitanga de coloração alaranjada foram testados em algumas linhagens de células cancerígenas (câncer cólon-retal, câncer de pulmão, câncer renal, câncer de mama, câncer de ovário), demonstrando redução na proliferação e viabilidade celular.



Neste projeto será focado o câncer de cólon e serão feitos estudos desde a obtenção e estabilização do extrato, até a identificação dos compostos fitoquímicos e estudos em células cancerígenas de cólon e em animais modificados geneticamente para desenvolver o câncer de cólon. Este projeto conta ainda com a parceria da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e da Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos.

Márcia Vizzotto

Pesquisadora da Embrapa Clima Temperado

Contatos: www.cpact.embrapa.br








sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Composteira barata! R$ 60,00 - EMBRAPA



O minhocário econômico e funcional tem custo total de cerca de R$ 60,00.Ter uma composteira caseira é um ótimo jeito de reduzir a quantidade de lixo que iria para os aterros e também uma forma de mudar a relação das pessoas com o lixo que elas geram.
A composteira doméstica decompõe os alimentos por meio da ação de micro-organismos e, com a ajuda de minhocas, transformam os restos de frutas, legumes e verduras em um rico adubo, tanto líquido, como sólido.
Para você que quer ter a sua própria composteira, o CicloVivo separou um passo a passo feito por Cleber Almeida. Esta técnica reutiliza baldes de 15kg de margarina ou manteiga (também chamadas de bombonas). Esses baldes são geralmente comprados por restaurantes e padarias em mercados de atacado, e muito deles acabam doando ou vendendo por um preço baixo. Foi o que aconteceu com Almeida, que foi até a padaria e comprou os seus por R$ 5,00 cada.

Foto: Arquivo pessoal / Cleber Almeida
O policial, nascido no Paraná, começou a fazer compostagem e a cultivar uma horta para aliviar o estresse do seu trabalho, também encomendou minhocas californianas, a espécie ideal para fazer compostagem. O custo das minhocas, com frete, foi de R$ 45,00. O minhocário econômico e funcional teve custo total de R$ 60,00.
A composteira caseira é formada por três baldes de plásticos empilhadas e interligadas por pequenos furos feitos ao fundo.
O primeiro passo para começar a trabalhar na composteira foi lavar os baldes para retirar os resíduos gordurosos da margarina, que são prejudiciais a todo o processo de compostagem.

Fotos: Arquivo pessoal / Cleber Almeida
Depois de limpos, faça diversos furos no fundo de dois dos baldes. Neste caso foi utilizada uma broca 6mm para aço, que não deixa rebarbas no plástico.

Fotos: Arquivo pessoal / Cleber Almeida
É preciso também fazer furos menores, com broca de 3mm ou inferior nas laterais superiores dos três baldes, para que o oxigênio penetre na caixa, e também em uma das tampas, a que ficará no topo da composteira.

Fotos: Arquivo pessoal / Cleber Almeida
O centro das outras duas tampas devem ser retirados para que as minhocas possam subir e descer livremente pela composteira. Você pode deixar apenas a borda deles para que o balde superior fique suspenso, como pode ser visto na foto abaixo.

Fotos: Arquivo pessoal / Cleber Almeida
Instale uma torneirinha no fundo do último balde, que servirá para escoamento e armazenamento do chorume, líquido formado durante o processo de decomposição do material orgânico.

Fotos: Arquivo pessoal / Cleber Almeida
A composteira pronta com três andares deve ficar assim. Caso produza mais resíduos orgânicos do que a composteira possa comportar, é possível aumentar mais andares ao sistema.

Fotos: Arquivo pessoal / Cleber Almeida
Cleber Almeida se inspirou no tutorial abaixo para fazer sua composteira:

Para saber mais detalhes de como funciona todo o processo da compostagem, confira o Manual de Compostagem Doméstica com Minhocas do grupo Composta São Paulo.
Caso queria aproveitar o húmus e o biofertilizante para começar uma horta orgânica em sua casa, clique aqui.
Mayra Rosa - Redação CicloVivo





segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Vale a pena uma composteira?

JÁ PENSOU EM TER UM MINHOCÁRIO PARA RECICLAR O SEU LIXO ORGÂNICO DOMÉSTICO?
Cuidar do lixo que produzimos para que seja o menos agressivo possível ao meio ambiente, dando-lhe o destino adequado é nossa responsabilidade, caso contrário, ficaremos literalmente submersos a ele.
Numa cidade como São Paulo, aproximadamente 60% do lixo coletado consiste em material orgânico, diariamente descartado de nossas cozinhas. Ter um minhocário urbano pode auxiliar a reciclar estes restos de comida, produzir o húmus, valioso para os vasos  e obter também um biofertilizante excepcional para a nutrição das plantas.
Saiba como funciona o minhocário:


http://www.dicasdoitaim.com.br/tag/minhocario/
Mariangela
 Fale conosco; agropanerai@gmail.com 

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Manhã de Campo Mirtilo e Amora Preta - Morro Redondo

A Embrapa Clima Temperado, Emater/RS-Ascar, UFPel e Produtores de Morro Redondo, se reúnem em uma debater assuntos que envolvem desde manejo até possíveis mercados para as pequenas frutas.

sábado, 9 de julho de 2016

Aprenda a fazer um suco antienvelhecimento

Suco antienvelhecimento


Foto: Finn
A nutricionista Juliana Rocha preparou uma série de receitas de sucos para os leitores do blog. A dica de hoje é um suco antienvelhecimento.
Leia mais
10 alimentos do bem para ingerir sem culpa no inverno
Cinco mitos e cinco verdades sobre alimentação saudável
Conheça os benefícios do limão e cinco receitas saudáveis
10 alimentos recomendados para quem quer ganhar massa magra
Conheça os sete benefícios da aveia, que ajuda na perda de peso

A nutricionista acaba de retornar dos Estados Unidos, onde se formou chef de cozinha e instrutora de raw food (alimentação viva). Confira o que ela preparou para vocês.
SUCO ANTIENVELHECIMENTO - SUCO VERMELHO

Ingredientes
Morangos
Amoras
Mirtilos
Goji berry
Água de coco
Banana
MODO DE PREPARO
Bata os ingredientes no liquidificador e sirva.
BENEFÍCIOS
- Equilibrar nossas defesas antioxidantes e neutralizar o excesso de radicais livres advindos do excesso de estresse, seja ele físico ou mental.
- E um suco fantástico para pele, prevenindo o envelhecimento graças as substâncias nutracêuticas encontradas nos pigmentos vermelhos, roxos e azuis das frutas vermelhas.
Chamo a atenção para o superalimento goji berries. E um frutinha tibetana que contém o maior poder antioxidante da natureza e ainda funciona como um tônico sexual. A água de coco e um hidratante hidroeletrolítico da natureza com um grande poder de hidratação celular.
Quando tomar?
É excelente para tomar antes durante e depois de todo o verão.


fonte CLIC RBS

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Como, Quando e Porque Podar suas árvores frutíferas?



Com a chegada do frio, o agricultor precavido sabe que está chegando a hora correta. Começa a amolar as ferramentas, limpa as lâminas impregnadas de ferrugem por estarem guardadas desde o ano anterior, engraxa a mola da tesoura e afia o serrote. O ritual do corte está para começar. Todo ano é a mesma coisa. Mas porque fazer ? Por que deixar esse ao aquele ramo ? Qual o verdadeiro objetivo da Poda ? Devo ou não devo cortar ?

Essas são perguntas que mais ouvimos desde um simples possuidor de uma fruteira de fundo de quintal até um grande fruticultor. Mas quais são as finalidades desta habilidosa arte milenar, a poda, que dela depende em grande parte a explosão da vida na primavera que virá a seguir, a fartura e a qualidade da colheita de qualquer pomar.

Muito embora seja praticada para dirigir a planta segundo a vontade do homem, como no campo da estética em algumas árvores, arbustos e jardins ornamentais, em fruticultura, ela é utilizada para regularizar a produção e melhorar a qualidade dos frutos.


A poda é umas das práticas culturais mais antigas realizadas em fruticultura que, juntamente com outras atividades não menos importantes, torna o pomar muito mais produtivo.


Alguns autores chegam a citar a poda como uma espécie de bisavó da enxertia e da hibridização, citando que foi um jumento que, devorando os sarmentos de uma videira, deu aos nauplianos a idéia de podá-la. Verdade ou não, o fato é que ela se tornou imprescindível no manejo de pomares frutíferos, principalmente.


CONCEITOS E IMPORTÂNCIA DA PODA:


Existem diversos conceitos para o termo poda dentre os quais:

- É o conjunto de cortes executados numa árvore, com o objetivo de regularizar a produção, aumentar e melhorar os frutos, mantendo o completo equilíbrio entre a frutificação e a vegetação normal;
- É a arte e a técnica de orientar e educar as plantas, de modo compatível com o fim que se tem em vista;
- É a técnica e a arte de modificar o crescimento natural das plantas frutíferas, com o objetivo de estabelecer o equilíbrio entre a vegetação e a frutificação.
- É a remoção metódica das partes de uma planta, com o objetivo de melhorá-la em algum aspecto de interesse do fruticultor.


Poderíamos continuar com vários conceitos, mas como podemos notar, tudo se resume em cortar para direcionar e equilibrar. Com uma boa filosofia de interpretação, podemos até considerar a poda como uma autêntica cirurgia. Quando a decisão foi de podar, é porque todos os parâmetros indicaram que ela é necessária. Mas qual é a importância de se podar ?


A importância de se podar varia de espécie para espécie, assim poderá ser decisiva para uma, enquanto que para outra, ela é praticamente dispensável. Com relação à importância, as espécies podem ser agrupadas em:

- Decisiva: Videira, pessegueiro, figueira.
- Relativa: Pereira, macieira, caquizeiro.
- Pouca importância: Citros, abacateiro, mangueira.


O podador, deverá fazer uso de seus conhecimentos e habilidades, onde um gesto seguro reflete a convicção de quem acredita que a interferência humana é imprescindível para modelar um pomar. Na natureza, as plantas crescem sem qualquer modelamento, buscam sempre a tendência natural de crescerem em direção à luz, tomando a forma vertical, e com isso perdem a regularidade de produção.


Toda a importância da arte de usar a tesoura, não está em simplesmente cortar esse ou aquele ramo, dessa ou com aquela espécie. Cada fruteira tem o seu hábito específico de frutificação, tendo conseqüentemente, exigência muito diversa quanto à poda. E quanto a isso, devemos então entender o básico de como funciona a planta frutífera, para adaptarmos a cada espécie que pretendemos podar. Com citamos anteriormente, o podador assemelha-se a um cirurgião, e como tal, não opera sem entender como funciona o organismo que ele está lidando.